Vendedora de mariola pode ser a primeira vítima fatal do coronavírus em Rio Bonito

De acordo com informações apuradas pela FOLHA, a vendedora de mariolas conhecida pelo bordão “toda hora sai” pode ser a primeira vítima fatal do coronavírus em Rio Bonito. Ela seria um dos dois casos confirmados pelo Hospital Regional Darcy Vargas na manhã de hoje (30). Ela morreu há cerca de 10 dias. A unidade informou que nas próximas horas fará um comunicado oficial sobre o assunto. A outra paciente, uma idosa, está internada no hospital com quadro de saúde estável.

Urgente: Rio Bonito registra dois primeiros casos de coronavírus

O Hospital Regional Darcy Vargas confirmou na manhã de hoje (30) os dois primeiros casos de coronavírus em Rio Bonito. Em comunicado divulgado na internet, a unidade de saúde informou que prestará maiores informações nas próximas horas.  Até o momento, a Secretaria Municipal de Saúde não se manifestou sobre o assunto.

Segundo informações obtidas pela FOLHA, os pacientes, um homem e uma mulher, estão internados na unidade e já vinham sendo monitorados enquanto aguardavam o resultado do teste para Covid-19.

Novo Decreto determina que funcionários usem máscara e luva em Rio Bonito

Com um novo decreto em vigor, os fiscais de postura da Secretaria de Fazenda agora orientam os comerciantes que foram autorizados a abrir as portas pelo Decreto Municipal 323/2020, sobre o uso de máscara e luvas. Somente na última sexta-feira (27), 52 estabelecimentos comerciais foram visitados, em bairros como Ipê, Praça Cruzeiro, Rio do Ouro, e Rio Vermelho, e todos receberam uma cópia do decreto com as novas regras. Além das orientações, os agentes também averiguaram 15 denúncias que chegaram através do telefone e do email do setor.

Em uma avaliação dos sete dias, desde o primeiro decreto de orientação aos comerciantes sobre as regras para evitar a contaminação do novo coronavírus, o chefe da fiscalização do município, Marco Aurélio Alves diz que quase todos os bairros da cidade foram visitados, e que “a maioria absoluta dos comerciantes entenderam a gravidade do problema, e mesmo aqueles que por um motivo pessoal ou financeiro, tentaram se manter em funcionamento, acabaram de forma tranquila atendendo ao nosso pedido e encerraram suas atividades”.

Para o fiscal, a redução de 50 para 5 denúncias, em menos de uma semana, demonstra um apoio dos empresários, apesar do momento difícil que eles estão passando. Mas Marco Aurélio pondera sobre a nova fase que se inicia com esse novo decreto, publicado na última sexta-feira (27), que estabelece punição específica para o seu descumprimento.

“Esperamos que agora, com o Decreto 323/2020 possamos manter a mesma tranquilidade que presenciamos até este momento, baseando nossas ações na orientação e não na punição, mas preparados para tomarmos medidas mais drásticas, como a cassação da licença de funcionamento e o encerramento imediato das atividades, no caso de ser apresentado impedimento ao seu cumprimento”.

 

Secretaria de Fazenda – 2734 0997 – Ramal 225

Setor de fiscalização – Ramal 245

Denúncia de funcionamento irregular e eventos em casa de festas ou locais públicos:  posturas.sefaz@riobonito.rj.gov.br

Coronavírus: prefeito de São Pedro da Aldeia é internado e aguarda resultado de exame

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informou que o prefeito Cláudio Chumbinho encontra-se bem de saúde após atendimento médico que lhe foi prestado na tarde do último sábado (28).

O prefeito sentiu um mal-estar, falta de ar, pressão alta e foi atendido na Clinerp, sendo diagnosticado inicialmente com pneumonia. Por precaução e devido à pandemia mundial do coronavírus, o hospital decidiu mantê-lo internado para a realização de exames, entre eles, para COVID-19, conforme protocolo.

De acordo com o boletim médico de hoje, domingo (29), o prefeito passa bem e aguarda o resultado dos exames realizados. Assim que houver novas informações, serão divulgadas nos canais oficiais da Prefeitura de São Pedro da Aldeia.

Secretaria confirma primeiro caso de coronavírus em Maricá

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou, neste domingo (29/03) a ocorrência do primeiro caso de paciente vítima de Covid-19 na cidade de Maricá. O paciente, que já está curado e teve alta médica, é um homem, tem 38 anos, mora em Itaipuaçu fez uma viagem no fim de fevereiro a Roma e Milão. Ao retornar ao trabalho, assim que percebeu os sintomas da doença, ele se afastou e ficou em isolamento em casa. No dia 3 de março procurou a área de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, que enviou uma equipe à residência para coleta de material.

A Secretaria Municipal de Saúde ressalta que o paciente não apresentou evolução do quadro de Covid-19 ao longo dos quase 15 dias em que foi permanentemente monitorado – bem como a família e os colegas mais próximos – até o resultado das análises. Estas deram negativo tanto para Influenza quanto para o próprio Covid-19, mas o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) orientou a conclusão pelo positivo pelo histórico epidemiológico, por se entender que o paciente veio de uma região crítica para a pandemia, onde teria contraído uma forma mais branda do Covid-19.

Segundo a pasta, trata-se de um caso importado, sem transmissão para pessoas próximas e não há, até o momento, transmissão comunitária do coronavírus no território da cidade. “Esse caso realça a importância do isolamento domiciliar como ferramenta de contenção da transmissão comunitária da doença. Por isso, reiteramos tanto que as pessoas evitem sair de casa nesse período, evitem aglomerações e situações onde a transmissão possa ocorrer”, afirma a secretária de Saúde, Simone Costa.

“Este paciente foi permanentemente acompanhado, mas tanto ele que tinha os sintomas, quanto a família, que se manteve assintomática, seguiram à risca as orientações e dessa forma, embora a cidade tenha registrado seu primeiro caso, ele não significa o surgimento de outros mais em Maricá a partir desse foco. É o primeiro caso confirmado e, ao mesmo tempo, o primeiro curado de Covid-19 na cidade”, avalia.

“Como se trata de uma doença sem recidiva, se após o período de 15 dias os sintomas associados desapareceram, tecnicamente ele está curado”, acrescenta a secretária, explicando o critério usado para a alta.