No Rio, crime de violência contra a mulher aumentou 10% na quarentena

A proporção de crimes mais graves contra a mulher no estado do Rio de Janeiro, ocorridos dentro de casa, aumentou entre 13 de março e 30 de abril de 2020. A avaliação faz parte do Monitor de Violência Doméstica durante o período do distanciamento social divulgado hoje (5) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio.

O início do período analisado coincide com o começo do isolamento social no estado. Segundo a diretora-presidente do ISP, Adriana Mendes, nos crimes de violência física a alta ficou em 10% na comparação ao mesmo período do ano passado. Nos crimes de violência sexual o índice subiu 17% em relação a 2019. Quando a análise se refere ao total dos registros dos crimes, os de violência física representam 68,8%, enquanto no ano passado eram 60,8%. Já os de Violência Sexual o percentual subiu de 55,4% em 2019, para 72,4% em 2020.

Embora a proporção tenha aumentado, houve redução de 65,4% nos números gerais dos registros de crimes de violência moral contra a mulher. Enquanto em 2020 foram 1.571, no ano passado ficaram em 4.537. Os de violência patrimonial caíram 60,8% saindo de 822 em 2019 para 322 em 2020. Os crimes de violência psicológica tiveram queda de 58,8%. Em 2020 são 2.467 contra 5.993 em 2019. Na violência sexual a redução ficou em 51,6% (464 em 2020 contra 959 em 2019). Na violência física foram menos 43,7% (3.321 em 2020 contra 5.889 em 2019). Ainda conforme o Monitor, os crimes tipificados pela Lei Maria da Penha apresentaram diminuição de 48,5% (5.457 em 2020 contra 10.594 em 2019).

“Isso na proporção dentro de casa, não no registro total de ocorrências, justamente porque houve essa mudança na rotina das pessoas em termos de dificuldade circulação e muitas vezes também da dificuldade de realização dos registros impeçam essa mulher de notificar e de comunicar que está acontecendo, mas quando nos voltamos para aqueles crimes mais graves que é a violência sexual e a violência física esses números aumentam”, disse a presidente em entrevista à Agência Brasil.

“Embora nós tenhamos uma diminuição nos números de ocorrência, quando verificamos os casos ocorridos em casa, com relação à violência física e violência sexual os números estão aumentando”, completou.

Adriana Mendes acrescentou que o estudo inédito levou em consideração mais de uma fonte de dados. Além dos registros de ocorrência nas delegacias da Polícia Civil, há informações dos casos anotados pelo serviço 190 da Polícia Militar e do Disque- Denúncia. “Aí quando observamos os números de ligações do 190, esses números, ao contrário dos registros de ocorrência, aumentam. Na comparação com o mesmo período de 2019, a gente observa um aumento de 12% no número de ligações, justamente, porque essa mulher, no momento em que está em casa tem dificuldade de deslocamento e permanece mais tempo com o seu agressor. Isso propicia o seu pedido de socorro”.

Das 119.577 ligações que geraram ocorrências recebidas pelo Serviço 190 em 2020, 13.065 foram referentes a crimes contra a mulher. Esse total representa 10,9% de todas as ligações, e significou o aumento de 12% em relação ao mesmo período de avaliação do ano passado. Cada ligação recebida pelo Serviço 190 é categorizada como ocorrência, informação, elogio, trote, queda, entre outros. No Monitor, foram consideradas somente as ligações categorizadas como ocorrência. O Serviço 190 e a Patrulha Maria da Penha, também da Secretaria de Estado de Polícia Militar, estão funcionando normalmente, apesar das medidas restritivas de afastamento social.

Já na Central de Atendimento do Disque Denúncia, o número de ligações apresentou redução de 60,6% das relativas à violência contra mulher. No período entre 13 de março e 30 de abril de 2020 foram 43 contra 109 em 2019.

As formas de violência são como violência física (homicídio doloso, feminicídio, tentativa de homicídio, tentativa de feminicídio e lesão corporal dolosa), violência sexual (estupro, tentativa de estupro, importunação sexual, importunação ofensiva ao pudor, assédio sexual e ato obsceno), violência psicológica (ameaça e constrangimento), violência moral (calúnia, injúria, difamação e divulgação de cena de estupro ou de cena de estupro de vulnerável, de cena de sexo ou de pornografia) e violência patrimonial (violação de domicílio, supressão de documentos e dano).

Fonte: Agência Brasil

Rio Bonito: veja quais escolas receberão os kits de alimentação na próxima semana

A secretaria municipal de Educação segue com a distribuição dos kits de alimentação para todos os alunos das escolas municipais durante o período de suspensão das aulas, em virtude da pandemia do Coronavírus. As próximas entregas acontecem na próxima semana nas escolas Dr. Albino Thomaz de Souza Filho (Conjunto Monteiro Lobato) e Duque de Caxias, no Rio Seco, dia 9, nas Creches Municipais Sheylle Abdalla Helayel e Nelson Gomes da Silva, no dia 10, e Nossa Senhora da Conceição, no dia 16 de junho.

O trabalho está sendo realizado de acordo com a Lei Federal nº 13.987 de 07/04/2020, que autorizou, em caráter excepcional, a distribuição de gêneros alimentícios adquiridos com recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Para retirar os kits nas escolas, os responsáveis pelos alunos devem seguir algumas orientações:

– Apenas 1 membro da família deve ir buscar o kit de alimentação
– Trazer (original) dos seguintes documentos: RG e CPF. (Do responsável)
– Chegar no horário marcado.
– Evitar aglomerações no portão da escola, respeitar a distância de 1,5 metros.
– Preferencialmente ir de máscara.
– Evitar encostar nos muros, grades, paredes, cercas, etc., para a segurança de todos.
– Não levar as crianças ou pessoas do grupo de risco.
– Evitar conversar na fila.
– Após pegar o kit dirigir-se a sua residência.
– Na impossibilidade de comparecer no horário previsto, entrar em contato com o diretor da escola.

Segue o cronograma das entregas do kits de alimentação:

Dia 09/06: E.M.Dr Albino Thomaz de S.Filho
Dia 09/06: C.M.Duque de Caxias
Dia 10/06: Creche Municipal Sheylle Abdalla Helayel
Dia 10/06: Creche Municipal Nelson Gomes da Silva
Dia 16/06: Creche Nossa Senhora da Conceição

As datas das entregas dos kits de alimentação seguem um cronograma que vem sendo divulgado no site e no facebook da prefeitura, na pagina do facebook da Alimentação Escolar PNAE RB (https://www.facebook.com/pnae.rb.1) e repassado pela direção das escolas aos pais dos alunos.

Vigilância em Saúde realiza testes rápidos em pacientes com sintoma de coronavírus

O aumento do número de casos de coronavírus em Rio Bonito nos últimos 30 dias assustou a população. Segundo a Vigilância em Saúde do município, isso se deve a chegada dos testes rápidos, que entregam o resultado em 15 minutos. Antes, os exames que eram feitos demoravam entre 10 a 15 dias para terem um resultado. Os testes estão sendo realizados em profissionais de saúde em atividade, profissionais de segurança pública em atividade e pessoas do grupo de risco, mas todos esses somente se estiverem com sintomas. O teste rápido é feito a partir do 11º dia de sintomas, antes desse período o exame é pouco eficaz.

Desde o início da pandemia, o município vinha recebendo testes tradicionais para detecção do coronavírus, que eram enviados para análise no Laboratório Lacen, no Rio de Janeiro. Esse número de exames era bem limitado, mas desde o início de maio, o Ministério da Saúde enviou os testes rápidos, em maior quantidade, que é feito a partir de um furo no dedo da pessoa para coleta de sangue. Segundo a coordenadora da Vigilância em Saúde de Rio Bonito, Indiara Teixeira, por causa disso, mais pessoas tiveram a oportunidade de fazer o teste.

Mas ela alerta que somente fazer o exame, não substitui o tratamento, e que só são feitas as detecções em pacientes que foram encaminhados e agendados pelos ESF’s. Quem mora em algum bairro que não tem a cobertura de ESF, como por exemplo, no Centro, pode procurar o Posto Central, próximo a agência da Caixa Econômica Federal e obter orientação.

“Se a pessoa perceber que está com sintomas, procure o ESF mais próximo e lá irão avaliar o estado de saúde e se realmente o paciente apresentar um quadro compatível, a unidade irá marcar com a Vigilância o teste desse paciente”, explicou Indiara.

Rio passa dos 60 mil casos confirmados de Covid-19

O Rio de Janeiro ultrapassou os 60 mil casos confirmados de Covid-19 em todo o estado nesta quinta-feira (4). O total de notificações confirmadas pela Secretaria estadual de Saúde chega agora a 60.932. O número é 1.692 a mais do que os casos confirmados até a quarta-feira. O boletim relatou 317 mortes adicionais registradas nas últimas 24 horas. O total de casos fatais acumulados chega agora a 6.327 no estado.

Desses 60.932 casos, 33.695 foram registrados na capital (55,29%). Já o total de mortes na cidade chegou a 4.231- 176 a mais do que o total de óbitos confirmados até a véspera.

O total de casos e óbitos corresponde aos casos confirmados nesta quinta-feira. Não necessariamente, são casos registrados ao longo do dia. Ao todo ainda existem 1.180 óbitos em investigação. Até o momento, entre os casos confirmados, 45.319 pacientes se recuperaram da doença.

Bolsonaro confirma mais duas parcelas do auxílio emergencial

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (4) que foi acertado o pagamento de mais duas parcelas do auxílio emergencial, mas com valor inferior aos atuais R$ 600. A informação foi dada pelo presidente durante sua live semanal, transmitida pelas redes sociais.

“Vai ter, também acertado com o [ministro da Economia] Paulo Guedes, a quarta e a quinta parcela do auxílio emergencial. Vai ser menor do que os R$ 600, para ir partindo exatamete para um fim, porque cada vez que nós pagamos esse auxílio emergencial, dá quase R$ 40 bilhões. É mais do que os 13 meses do Bolsa Família. O Estado não aguenta. O Estado não, o contribuinte brasileiro não aguenta. Então, vai deixar de existir. A gente espera que o comércio volte a funcionar, os informais voltem a trabalhar, bem como outros também que perderam emprego”, disse.

O auxílio emergencial foi aprovado pelo Congresso Nacional em abril e prevê o pagamento de três parcelas de R$ 600 para trabalhadores informais, integrantes do Bolsa Família e pessoas de baixa renda. Mais de 59 milhões tiveram o benefício aprovado. O novo valor ainda não foi anunciado pelo governo.

O presidente também antecipou um possível aumento no valor do benefício do Bolsa Família, pago a cerca de 14 milhões de famílias em situação de pobreza e pobreza extrema. O valor do eventual aumento ainda será anunciado, garantiu o presidente, sem especificar uma data.

“Acho que o pessoal do Bolsa Família vai ter uma boa surpresa, não vai demorar. São pessoas que necessitam desse auxílio, que parece que está um pouquinho baixo. Então, se Deus quiser, a gente vai ter uma novidade no tocante a isso aí”, afirmou.