Após perder chefia em Manguinhos, Choque apanha na cadeia e é expulso de facção

Na madrugada de ontem, quinta-feira (20), o traficante Alexander de Jesus Carlos, o Choque ou 220v, foi socorrido para o Pronto Socorro Geral Hamilton Agostinho, unidade de saúde do sistema prisional, localizado dentro do Complexo Penitenciário de Bangu. Choque ou 220v foi espancado por comparsas dentro da Penitenciária Gabriel Ferreira Castilho, Bangu 3, que abriga os chefes da facção Comando Vermelho, segundo apurou a reportagem.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) afirmou que ele alegou ter sofrido uma queda no banheiro e que vai “apurar a veracidade dos fatos narrados pelo preso”. O criminoso já recebeu alta e está na Cadeia Pública Inspetor José Antônio da Costa Barros.

O motivo de Choque não retornar à cela onde estava com outros chefes da facção tem uma explicação: ele teria sido expulso da quadrilha após ser destituído da liderança do tráfico de Manguinhos, na Zona Norte, conforme O DIA noticiou.

Na ocasião, segundo informações de inteligência da Polícia Militar, cerca de 50 homens teriam saído do Complexo da Penha e ordenado a troca da chefia em Manguinhos. Vídeos chegaram a ser postados nas redes sociais e mostraram moradores em meio a criminosos comemorando a queda de Choque do tráfico local. Nas imagens, pelo menos um homem aparece armado, com um fuzil.  Ainda nas imagens, não é possível contabilizar o número de criminosos informado pela inteligência da polícia.

A ordem para a troca de comando em Manguinhos teria partido de Wilton Quintanilha, o Abelha, posto em liberdade mesmo com mandado ativo de prisão, no ano passado, e apontado como um dos chefes da facção. Moradores teriam ido reclamar com Abelha sobre práticas de milícias que Choque insistia em praticar na comunidade, como taxas para internet e cultos religiosos.

Abelha não teria assumido a arrecadação das verbas da venda de de Manguinhos, mas teria sido procurado pelos moradores por integrar um conselho da facção, o que lhe permite solicitar trocas nas lideranças das comunidades. Há 15 dias, uma outra mudança foi feita no Vidigal, Zona Sul do Rio.

O estopim para a retirada de Choque da liderança teria sido o castigo imposto a uma menina de 16 anos: ela foi baleada na mão após a recusa em se relacionar com um dos traficantes. Após o crime, a cúpula do Comando Vermelho teria pedido explicações a Choque.

O traficante Choque ou 220v está preso desde 2008 e já passou por presídio federal antes de retornar ao Rio.