Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Rio afirma que abastecimento dos postos está normalizado após motoristas de caminhões-tanque cruzarem os braços

A informação foi divulgada na manhã desta sexta-feira (22), um dia após os motoristas de caminhões-tanque cruzarem os braços em frente à Refinaria de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Eles protestavam contra a alta dos preços do diesel, da gasolina, do etanol e do gás de cozinha.

Segundo o Sindicomb, o abastecimento começou a ser normalizado no fim da noite de ontem. A Associação das Empresas de Transporte de Combustíveis e Derivados do Estado ainda não se pronunciou sobre o fim da paralisação.

Nesta quinta-feira (21), motoristas chegaram a encontrar alguns postos na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, sem gasolina. O mesmo aconteceu nas cidades de Teresópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana, onde até mesmo motoristas de ônibus foram aos postos com medo do desabastecimento.

O Sindcomb disse já ter notícias de que os caminhões vão fazer as entregas dos combustíveis no fim de semana. A possibilidade de desabastecimento durante a paralisação deixou a população e os gerentes de postos preocupados. Os motoristas temem que haja um novo aumento no preço dos combustíveis, o que já foi adiantado pelo presidente Jair Bolsonaro.

 

 

Crédito: http://bandnewsfmrio.com.br/

Acidentes fatais durante gravação de filmes são mais comuns do que se pensa; Conheça alguns casos

Acidentes acontecem em sets de filmagens e algumas vezes podem ser fatais. Na quinta-feira (21), o ator Alec Baldwin disparou uma arma cenográfica que matou uma mulher e deixou um homem ferido no set do filme “Rust” no estado americano do Novo México, nos Estados Unidos.

A diretora de fotografia Halyna Hutchins, de 42 anos, morreu, e o diretor do filme, Joel Souza, de 48 anos, foi atingido, mas teve alta médica. Essa não é a primeira vez que um profissional do cinema morre em uma gravação. Já houve casos de atores que foram atingidos de forma semelhante.

Veja artistas que sofreram acidentes fatais no set:

Brandon Lee, de ‘O Corvo’

Brandon Lee, o filho do ator Bruce Lee, morreu em 1993 durante as gravações do filme “The Crow “ (O Corvo). Ele tomou um tiro na barriga ao filmar uma cena. A arma cenográfica devia estar carregada com bala de festim, mas havia duas balas na pistola. O ator Michael Massee deu o tiro em Lee, que foi levado para o hospital e morreu depois de 12 horas. As balas de festim não têm pólvora e nem detonador. No set de “O Corvo”, as balas de festim eram feitas pela própria produção do filme. A arma ainda tinha um cartucho dentro dela e, quando foi feito o disparo com o tiro de festim, essa outra bala saiu do cano da pistola. Ninguém havia checado a arma antes da cena.

Justin Carter

O cantor de country Justin Carter morreu após disparar acidentalmente contra si mesmo em 2019. Ele estava gravando um novo clipe em Houston, no Texas, quando tirou uma arma de seu bolso e atirou em seu próprio olho. A arma estava sendo usada no vídeo. Carter, que era considerado uma estrela em ascensão no country, morreu aos 35 anos.

Vic Morrow, de ‘No Limite da Realidade’

Durante as gravações de “No Limite da Realidade” em 1982, o ator morreu decapitado quando o helicóptero em cena perdeu o controle. Além dele, dois atores de 6 e 7 anos também ficaram feridos e morreram na hora. No filme, ele interpretava um homem racista que era colocado de voltar no tempo em situações de uma vítima perseguida. Eles estavam gravando uma sequência do Vietnã, em que os personagens tentavam escapar de uma aldeia vietnamita deserta em um helicóptero do Exército dos Estados Unidos.

Roy Kinnear, de ‘A Volta dos Mosqueteiros’

O ator inglês morreu após cair de um cavalo durante as filmagens de “A Volta dos Mosqueteiros”, de 1989. Ele foi internado e sofreu um infarto. A queda foi em Toledo, e a morte em Madri, na Espanha. O ator tinha 54 anos e era mais conhecido pelos papéis em comédias.

John Bernecker, de ‘The Walking Dead’

O dublê sofreu um acidente no set de The Walking Dead em 2017. Fontes informaram que Bernecker caiu de uma altura de 9 em um chão de concreto. Ele foi encaminhado ao hospital, chegou a melhorar, mas não resistiu.

Bernecker trabalhou em “Jogos Vorazes: A Esperança – O Final (2015), “Quarteto Fantástico” (2015), “As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras” (2016) e “Logan” (2017). Ele também participou de “Pantera Negra”, mas não chegou a ver o filme estrear.

Joi ‘SJ’ Harris, de ‘Deadpool 2’

A dublê Joi “SJ” Harris morreu em cena em seu primeiro filme. Durante as gravações de “Deadpool 2”, Harris, que foi a primeira negra a se tornar piloto profissional de motociclismo nos Estados Unidos, perdeu o controle da moto. Ela acelerou no momento em que devia frear, por isso acabou colidindo em uma janela de vidro. O acidente aconteceu em agosto de 2017, em Vancouver.

David Ritchie, de ‘Jumper’

David Ritchie estava trabalhando nos cenários de “Jumper”, aventura de 2008, quando um enorme bloco de areia, terra e gelo escorreu em direção à equipe técnica do filme. Ele morreu na hora e outras duas pessoas ficaram feridas durante o acidente.

Kun Lieu, de ‘Os Mercenários 2’

Kun Lieu, dublê do filme de ação “Os mercenários 2” (2012), morreu durante as gravações do longa estrelado por Sylvester Stallone. O acidente na Bulgária aconteceu durante uma cena de explosão e deixou outro dublê ferido.

Conway Wickliffe, de “Batman – O Cavaleiro das Trevas”

Conway Wickliffe, de 41 anos, fazia parte da equipe de efeitos especiais de “Batman – O Cavaleiro das Trevas”, de 2008. Ele estava no banco de trás de um carro que bateu em uma árvore, durante as filmagens na Inglaterra.

Crédito: g1.globo.com

Vereador de Duque de Caxias, Carlinhos da Barreira, é preso suspeito de chefiar quadrilha de agiotas

O vereador de Duque de Caxias Carlinhos da Barreira e mais dois policiais militares são presos pela Polícia Civil acusados de integrar uma organização criminosa que pratica agiotagem e extorsão. O parlamentar ainda responde por lavagem de dinheiro e fraude à licitação

Ao todo, a Operação Barreira Petrópolis cumpre 17 mandados de busca e apreensão, inclusive na Câmara Municipal de Duque de Caxias.

Segundo o Ministério Público do Rio, o vereador oferecia empréstimos e depois fazia a cobrança de forma violenta, com ameaças de morte, se as pessoas que receberam dinheiro não conseguissem honrar com os pagamentos. Os PMs davam apoio nas ameaças.

A denúncia oferecida à Justiça também relata a prática de fraude à licitação por parte do vereador, sócio da empresa Sodré Serviços de Transportes Locação de Máquinas e Equipamentos.

A empresa Madasa Comércio e Locações de Máquinas e Veículos manteve vínculo contratual com a Prefeitura de Duque de Caxias de 2013 a 2016, tendo repassado à empresa do vereador o mais de R$ 8,5 milhões em 109 diferentes operações bancárias.

Outras três empresas também celebraram contratos administrativos com a Prefeitura de Duque de Caxias, entre 2017 e 2018, e repassaram um total de quase R$ 4,2 milhões para as contas da Sodré Serviços de Transportes Locação de Máquinas e Equipamentos.

As investigações também apontaram que, entre janeiro de 2015 e agosto de 2020, Carlinhos da Barreira dissimulou a origem de mais de R$ 62,3 milhões provenientes das práticas criminosas denunciadas.

 

 

Crédito: http://bandnewsfmrio.com.br/

Sancionada a lei que altera tolerância no excesso de peso de caminhões

O presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto de lei que altera de 10% para 12,5% os limites de tolerância para o excesso de peso por eixo de ônibus de passageiros e de caminhões de carga. O projeto foi aprovado em setembro pelo Senado.

A lei determina que os veículos ou combinações de veículos (carretas com reboques, por exemplo) com peso bruto igual ou inferior a 50 toneladas deverão ser fiscalizados apenas quanto aos limites de peso bruto total ou de peso bruto total combinado (caminhão mais o reboque).

A tolerância sobre o peso excessivo aumentou de 10% para 12,5%. Nesses casos não haverá aplicação de penalidades, pelo peso a mais registrado por eixo tanto de ônibus de passageiros como de caminhões de carga.

Apenas nos casos em que os veículos ultrapassarem a tolerância máxima do peso, é que será feita, também, a fiscalização sobre o excesso de peso por eixo, “aplicando-se a ele as penalidades de forma cumulativa, respeitada a nova tolerância máxima por eixo”, diz a lei.

Já os veículos não adaptados ao transporte de biodiesel, mas que realizam o transporte desse produto, terão seus limites de tolerância aumentados de 5% para 7,5% no peso bruto total ou no peso bruto total combinado – regra que vale até o sucateamento dos caminhões.

“A diversidade da frota do transporte rodoviário de cargas em operação deverá ser considerada na regulamentação do Contran [Conselho Nacional de Trânsito], contemplando os casos de dimensão de tolerância e de isenção na pesagem por eixo. Ademais foi prevista exceção, quanto às vias rurais não pavimentadas, geralmente de circunscrição municipal de trânsito, para as quais o Contran estabelecerá os requisitos mínimos e específicos a serem observados pela autoridade de trânsito ao conceder autorização para o tráfego de caminhões fora dos limites de peso e dimensões, como, por exemplo, aqueles que carregam cana-de-açúcar”, informou, em nota a Secretaria-Geral da Presidência da República.

A nova legislação prevê que o condutor parado pela fiscalização poderá seguir viagem caso a irregularidade não possa ser corrigida no local ou caso o veículo ofereça condições de segurança para circular.

Para liberar o condutor, a autoridade de trânsito deverá, no entanto, reter o Certificado de Registro Veicular (CRV) mediante recibo e conceder até 15 dias para que a pessoa regularize a situação a fim de poder receber de volta o CRV. Essa concessão não vale para veículos que não estejam registrados e licenciados ou para veículos de transporte pirata de passageiros ou produtos.

Vale-pedágio

A nova legislação prevê prazo de 12 meses para que o caminhoneiro cobre do contratante a indenização pelo vale-pedágio a que tem direito – valor que corresponde a duas vezes o valor do frete, caso não receba adiantado o valor do pedágio. O mesmo prazo vale para o órgão competente cobrar a multa administrativa pelo descumprimento da lei do vale-pedágio.

Outra mudança prevista pela nova lei é o dispositivo que obriga a pessoa jurídica proprietária do veículo multado indicar, ao Detran, o motorista infrator, no prazo de 30 dias. Caso isso não seja feito, a empresa terá de pagar nova multa cujo valor será o dobro do valor aplicado inicialmente.

 

Fonte: Agência Brasil

Fim de semana com Caravana do Esporte da Prefeitura de Maricá

A Prefeitura de Maricá realiza a primeira edição da Caranava+Esporte e Lazer neste fim de semana. O projeto é gratuito e voltado para todas as idades. Serão oferecidos aulões de alongamento e zumba, além de cama elástica, futmesa e futredinha.

No sábado, dia 23/10, as atividades acontecem das 16h às 20h no Parque a Céu Aberto, no Parque Nanci. No domingo (24/10), o projeto estará na orla de Itaipuaçu (Rua Professor Cardoso de Menezes, antiga Rua 1), ao lado do Quiosque Sobre as Ondas, das 8h às 12h.

Para participar é necessário apresentar o comprovante de vacinação contra Covid, além do uso de máscara de proteção e da higienização frequente das mãos com álcool gel.