Campanha de adoção de animais de Maricá consegue lar para 13 pets

A primeira campanha de adoção animal de 2022 conseguiu um novo lar para 13 bichinhos, sendo nove cães e quatro gatos, durante ação promovida pela Coordenadoria Especial de Proteção Animal no último domingo (16/01), no Shopping Boulevard Maricá, no Centro.

Responsável pela feira de adoção, Débora Maciel, da Coordenadoria de Proteção Animal, falou sobre a importância de retornar com o evento no início deste ano.

“O abandono de animais está muito grande na cidade. Então, as pessoas resgatam os bichinhos e nós os orientamos a trazê-los para cá. Hoje são 13 animais que ganham a oportunidade de ter um novo lar, ao invés de ficarem jogados na rua”, afirmou, lembrando que a ação acontece sempre no terceiro domingo de cada mês.

Gatos encantam novos donos

Com um pouco mais de um ano, a felina Paty de três patinhas ganhou um novo lar, em Teresópolis. Adotada por um casal de Niterói, ela vai para a casa de Angela, mãe de Aloísio Moura, 51 anos.

“Nós viemos fazer um show aqui e descobrimos a feira por acaso. Minha mãe queria uma gatinha amarela, mas quando a gente viu a Paty se apaixonou por ela. Ela é muito meiga e vai ter uma vida fácil no apartamento da minha mãe”, contou Aloísio afirmando que o nome da gatinha será mantido.

A pequena Maria Luísa, de 11 anos também escolheu uma gatinha. “Eu já tenho uma gatinha de oito anos e também adquiri por adoção. Acho importante transmitir para a criança essa questão de adotar ao invés de comprar o bichinho. Ela ficou em dúvida entre essa e um macho, mas os olhos brilharam quando tomou a decisão. Foi uma escolha do coração”, explicou a mãe da menina, Luciana Maral, 47 anos, moradora de Araçatiba.

Cães vão alegrar suas famílias

Moradora de Itapeba, Elisabeth Coutinho, 74 anos, adotou duas cadelinhas.

“Eu tinha um cãozinho que morreu há mais ou menos um mês. Era um rottweiler de dez anos, que estava com câncer. Eu chorei muito e também perdi meu irmão na mesma época. Agora eu vou levar dois para ocupar um pouco do vazio que o meu deixou. Eu ia levar uma só, mas fiquei doida pelas duas e elas têm cerca de dois meses”, contou.

Moradora do Vale da Figueira, em Ponta Negra, Caroline Oliveira, 29 anos, levou para casa seu melhor amigo, que tem cerca de quatro meses.

“Eu já tinha vontade de adotar e aí perdi meu cachorrinho na última semana, que eu havia resgatado na rua. Então, resolvi vir hoje aqui adotar um macho. Meu filho, Joaquim, já batizou e colocou o nome dele de Jack”, contou.

 

Foto: Pedro Solis