Candidatos a presidente da 35ª Subseção da OAB (Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim) expõem suas propostas

Com a aproximação da eleição para escolher a nova diretoria que comandará a 35ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim – pelos próximos três anos, que acontecerá no dia 16 de novembro, a FOLHA convidou os candidatos para uma entrevista na tentativa de que os advogados pudessem conhecer as propostas e fundamentar melhor seu voto. Por esse motivo, nas duas últimas semanas, a Live da Folha foi com os candidatos a presidente e vice da Chapa 1 – ‘OAB Forte e Unida’, Karen Figueiredo e Rafael Fróes; e Chapa 2 – ‘Pela Ordem’, Glauber Guadelupe e Luiz Felipe Boareto.

Esse é apenas um resumo das lives. As duas entrevistas estão disponíveis no Facebook, Instagram e no YouTube do Jornal Folha da Terra

Chapa 1

A chapa 1, que leva o nome de “OAB Forte e Unida”, é formada pela atual presidente da 35ª subseção, Karen Figueiredo, como candidata a presidente, e Rafael Fróes, candidato a vice-presidência. Segundo a candidata a reeleição, o período de pandemia atrapalhou a execução de diversas ações que estavam em andamento e também outras que seriam iniciadas pela sua gestão, como a proposta de disponibilizar uma van para que os advogados dos três municípios que competem a 35ª subseção, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim, possam se deslocar para os fóruns. E de acordo com ela, esse é um dos projetos que será colocado em prática, se sua chapa ganhar o pleito.

A dupla de advogados ainda listou algumas outras propostas que estão em seu plano de ação para o próximo triênio, como a capacitação profissional, oferecendo cursos e palestras; trazer a Justiça Itinerante Trabalhista para Rio Bonito novamente; dar assessoria e assistência informativa para que os advogados trabalhem com as mídias digitais; suporte e auxílio para os jovens advogados; lançar o projeto ‘prerrogativa digital’ através de um link nas redes sociais para que o advogado envie sua reclamação de forma online; e ainda criar em Silva Jardim um escritório compartilhado digital, como o que já existe em Rio Bonito.

Karen e Rafael ainda falaram sobre uma grande demanda, a falta de um juiz titular para a 1ª Vara do Fórum de Rio Bonito. Segundo eles, a proposta seria desvincular o juizado da 1ª Vara, para que assim, o volume de processos seja menor e juízes tenham o interesse de assumir a vaga.

Para Karen, “a perspectiva para o próximo triênio é trabalhar mais pela advocacia. É colocar em prática o que não conseguimos colocar (por causa da pandemia também). Nossas propostas são atuais. Nosso desejo é ter a advocacia cada vez mais forte e unida porque acho que só seremos fortes, se formos unidos, divisão não dá certo, a ideia é união”, enfatizou.

Alinhado com o mundo digital, Rafael Fróes disse que a intenção é “compatibilizar o que tem de legal na questão virtual, com o que tem de muito legal nas questões presenciais, que a gente está com saudade. Então o desafio da advocacia é esse, unidos, fortes, e buscando melhoria da advocacia que vai repercutir diretamente na população, na sociedade. Compatibilizar o que tem de bom na área tecnológica, com o que não se pode perder nunca, que é a essência humanística do presencial”, finalizou o advogado.

Chapa 2

Representando a chapa 2, “Pela Ordem”, o candidato a presidente Glauber Guadelupe e o vice, Luiz Felipe Boareto disseram que defendem a alternância de poder e que a 35ª subseção precisa ter mais “representatividade” na municipalidade.

“Nós entendemos que a OAB como instituição, tem que ter uma interferência maior, principalmente na municipalidade. (…) A gente quer dar a nossa contribuição porque a gente acha que a gente tem que trazer novas ideias”, disse Glauber.

Durante a entrevista, os candidatos falaram sobre diversas propostas que pretendem realizar à frente da subseção, se forem eleitos. Uma delas é o ‘happy hour jurídico’, que seria um encontro de novos e antigos advogados, para troca de experiências, boas e ruins, com o objetivo de crescimento profissional.

Outras propostas são; uma parceria com táxis e carros de aplicativo, para facilitar o transporte dos advogados até o Fórum dos municípios; conseguir o retorno da Justiça do Trabalho para Rio Bonito; instalação do Fórum de Tanguá, realizar a Semana Jurídica, com palestras e eventos que contribuam para o crescimento da profissão; formar um grupo para acompanhamento da utilização da verba proveniente do leilão da Cedae, que Rio Bonito e Tanguá receberam; e ainda a volta do projeto ‘OAB Vai a Escola’, em que advogados visitam escolas e ministram palestram sobre noções básicas de cidadania e Direitos Fundamentais, por exemplo, para os estudantes.

No entendimento de Boareto, o fortalecimento da instituição, é uma das questões mais importantes. “A intenção nossa como instituição OAB, é ter uma OAB mais forte, só que pra OAB ficar mais forte, eu dependo de que o advogado inscrito nela também se torne mais forte. Isso é uma coisa muito importante. Nós não temos que dar cesta básica para o advogado, nós temos que fazer com que o advogado ganhe dinheiro, que ele tenha trabalho”.

Defendendo a representatividade da OAB, Glauber prometeu ação, se eleito for. “A gente pretende efetivamente representá-la em todos os sentidos, não só no sentido jurídico, mas também no sentido social e econômico, perante os três poderes. Não só com ações judiciais, mas com efetivas diligencias ao Executivo e Legislativo. E para o advogado colega, eu peço que ouça nossos projetos. Não decida seu voto antes de nos ouvir. Nos dê essa oportunidade de fazer um trabalho real para o advogado”, disse.

 

Lívia Louzada