Semana da Bossa Nova Virtual reunirá amantes da boa música

Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc, apresentam a Semana da Bossa Nova. Rio das Ostras é conhecida como a cidade da boa música. Entre 8 e 14 de março, um time de artistas vai promover a primeira Semana da Bossa Nova, que irá levar o universo do gênero por meio de plataforma digital.

Entre 8 e 14 de março, um time de artistas vai promover a primeira Semana da Bossa Nova de Rio das Ostras, que irá levar o universo do gênero por meio de plataforma digital. Na programação, o público poderá participar de videoaulas de instrumentos e canto, bate papo musical (Master Class), apresentação de alunos e um grande show no encerramento do evento.

Toda a programação é gratuita por meio do YouTube da Like Produtora, http://bit.ly/canaldalike. A empresa é coprodutora do evento.

O evento tem o objetivo de democratizar a Bossa Nova para que todos possam conhecer melhor a história deste gênero, a influência dele em outros ritmos, como o estilo de um samba “jazzistíssimo”, que colocou o Brasil no cenário mundial da música e abriu portas para milhares de instrumentistas e cantores.

Para trabalhar a inclusão todas as apresentações terão intérpretes de libras para pessoas com deficiência auditiva.

VIDEOAULAS – As vídeoaulas acontecerão do dia 8, segunda, ao dia 14, domingo, sempre às 19h. Na segunda, dia 8, quem ministra a primeira vídeoaula é o instrumentista Rodolpho Mendes com workshop de violão e guitarra. Na terça, 9, é a vez de Jorge Mortágua com o Contrabaixo. Na quarta, dia 10, Rodrigo Zago apresenta a oficina de Bateria. Quinta, dia 11, o pianista Maurício Libardi Jr ministra a aula sobre seu instrumento. Na sexta, dia 12, a cantora Thati Dias fala sobre a voz na Bossa. Sábado, dia 13, Luiz Felipe Oliveira, com a flauta. Para fechar, no domingo, 14, é a vez de Dalton Freire, com o saxofone.

MASTER CLASS – Na sexta, dia 12, os músicos Rodolpho Mendes e Luiz Felipe Oliveira, e no sábado, 13, os músicos Dalton Freire e Maurício Libardi Jr farão juntos uma Master Class, um encontro para bater papo sobre a influência da Bossa Nova sobre suas carreiras musicais.

SHOW – No último dia, 14, para coroar a Semana da Bossa Nova, todos os músicos que ministraram as videoaulas se reunirão para um show ao vivo, executando inesquecíveis clássicos da Bossa. A apresentação está prevista para às 20h. Logo após a última videoaula.

APRESENTAÇÃO DE ALUNO – A Semana da Bossa Nova abrirá espaço para alunos que desejam mostrar sua versatilidade musical. A comissão organizadora irá receber músicas, por meio do e-mail semanadabossanovaro@gmail.com, com tempo de até quatro minutos e selecionará cinco para que componham a apresentação de abertura da programação do domingo, dia 14, às 18h.

Para Dalton Freire, idealizador, professor e produtor musical do evento, “foi a Bossa Nova que lançou o Brasil para o cenário musical em todo planeta. João Gilberto, por exemplo, é conhecido em todos os continentes, sendo respeitado por músicos de diferentes estilos”.

Rodolpho Mendes, idealizador e um dos músicos que irá ministrar a oficina, conta que amar a Bossa é amar o Samba. “São gêneros irmãos. A Bossa é um samba sofisticado e precisamos difundi-lo em Rio das Ostras e Brasil a fora para que deixe de pertencer a uma classe elitista e seja um gênero acessível a todas as pessoas”, disse.

A Semana da Bossa Nova tem a coprodução da Like Produtor. “A Bossa Nova é um marco na história. Moldou um estilo de vida e internacionalizou a obra musical brasileira. A LIKE Produtora se orgulha em participar deste resgate cultural e assim disseminar para as novas gerações a sutileza tão impactante da Bossa”, disse Paulinho Moreira, sócio da produtora.

SERVIÇO

Semana da Bossa Nova

Data: De 8 a 14 de março

Exibição pelo Youtube da Like Produtora

Evento gratuito.

 

Informações:

Rodolpho Mende – (22) 99757-9609

Dalton Freire – (22) 99926-8772

Bruno Pirozi (22) 99988-4433 – Assessoria de Imprensa

 

A PRIMEIRA SESSÃO DO CINE&MANAS VERÃO 2021 ACONTECE NA LONA NA LUA, EM RIO BONITO, NO DIA 25 DE FEVEREIRO

O Coletivo Manas, idealizado pelas produtoras culturais Carolina Rodriguez e Helena Claro, inicia a partir do dia 25 de Fevereiro (quinta-feira), o Circuito Cine&Manas Verão 2021, em formato híbrido, com sessões especiais locais e online.

No dia 25 de fevereiro, a primeira sessão será com os alunos das oficinas e comunidade da Lona na Lua, localizada em Rio Bonito, com exibição dos filmes “Jonas e o Circo Sem Lona”, direção de Paula Gomes e “Lé com Cré”, direção de Cassandra Reis.

O longa metragem “Jonas e o Circo Sem Lona” conta a história de Jonas, filho e neto de artistas de circo, aos 13 anos de idade. O garoto tem seu próprio circo improvisado, frequentado pelos moradores do pobre bairro onde vive, na Bahia. É ele quem coordena os números, prepara os figurinos, a música e controla os ingressos. Jonas pretende abandonar a escola para se juntar ao tio e viver em um circo itinerante, mas a mãe prefere que ele permaneça na escola. No meio desta briga, ele descobre as dificuldades da vida adulta.

O curta metragem em stop motion “Lé com Cré”, apresenta temas sobre dinheiro, medo e coisas de menino e menina, por algumas crianças segundo sua própria experiência.

 

 O LONA NA LUA é uma associação cultural e social sem fins lucrativos, que tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento social e cultural de crianças e jovens através de um modelo de arte inclusiva, utilizando como ferramentas de transformação o teatro, a música, a dança, o circo e a produção audiovisual. Desta forma o projeto estimula o surgimento de jovens críticos, conscientes e inseridos no contexto da comunidade. Sua missão é apresentar um universo de possibilidades a crianças e jovens através de uma arte que pulsa de verdade, oportunizando vivência cultural e transformação social.

O projeto Circuito Cine&Manas Verão 2021 tem patrocínio do Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc.

Serviço:

CINE&MANAS NA LUA

18H

LOCAL LONA NA LUA

ENDEREÇO: R. Des. Admario Alves de Mendonça, 121 – Cidade Nova, Rio Bonito
FILMES: Jonas e o Circo Sem Lona e Lé com Cré
Sessão Gratuita (Público limitado de acordo com os protocolos de segurança)
Distribuição de Pipoca e Suco.

 

Sobre o projeto Cine&Manas:

Projeto cineclubista itinerante que realiza sessões de cinema afim de fomentar e promover a realização e o consumo do audiovisual brasileiro. Principalmente as produções dirigidas e protagonizadas por mulheres cis e trans.  Com sessões sempre seguidas de bate papo e dinâmicas que provocam nos espectadores momentos de escuta, troca de saberes e experiências.

Realizado pela produtora MANAS, o cineclube surgiu em 2017 do desejo de contar, partilhar histórias sobre mulheres. Idealizado pelas produtoras culturais Carolina Rodriguez e Helena Claro.

Em 2019, com apoio da Prefeitura do Município de Niterói (PMN), por meio da Secretaria Municipal das Culturas (SMC) e da Fundação de Arte de Niterói (FAN), realizou o projeto Circuito Escolar de Cineclubes Cine&Manas, levando sessões a escolas e instituições da rede pública de ensino da região tendo como principal temática o protagonismo feminino e suas representações no audiovisual nacional. Em sua presença nas escolas, o Cine&Manas valoriza e interage com as atividades educacionais regulares, a partir do diálogo entre cinema, educação e ampliação do acesso ao cinema brasileiro, o projeto busca responder perguntas e fomentar novos questionamentos sobre como a mulher se projeta e é projetada no mundo.

I Festival de Arte Pública de Silva Jardim

As inscrições estão abertas até domingo, 28 de Fevereiro,  para o I Festival de Arte Pública de Silva Jardim. O projeto será realizado em duas etapas e a primeira delas prevê premiação de R$ 1 mil, para o autor da obra escolhida, seja trabalho artístico em fotografia, pintura, desenho, design, colagem e técnicas mistas, que retratem o patrimônio cultural da cidade.

Segundo a organização, artistas de todo o território nacional podem se inscrever na primeira etapa do projeto, que vai selecionar uma obra para ser reproduzida através de pintura a mão por um mestre pintor em um painel de azulejo de 1m², instalado permanentemente em um local público da cidade.

“Os temas dos trabalhos enviados tem como proposta valorizar e homenagear o patrimônio local, através da reprodução de um painel de azulejos que ficará pra sempre em exposição na cidade”, destaca a artista e produtora cultural, Julia Botafogo, idealizadora do concurso.

Já na segunda etapa do festival, que não terá premiação, será construído um painel cerâmico coletivo, com tema a memória cultural de Aldeia Velha, distrito de Silva Jardim. Ainda segundo a organização, a ideia é criar um painel com imagens de acervo dos moradores da localidade, onde o espectador possa passear por diferentes informações, descobrir e se reconhecer.

O edital do concurso está disponível no site da Cerâmica Júlia Botafogo, responsável pela realização do concurso. Ainda de acordo com a organização, os trabalhos deverão ser executados até o dia 23 de março.

O festival tem patrocínio dos governos Federal e Estadual do Rio de Janeiro, através da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, por meio da Lei Aldir Blanc, que tem o objetivo de incentivar a retomada do setor cultural atingido pela pandemia do novo corona vírus.

 

 

Fonte: informerj.com.br

Ex-aluno deficiente visual do Polo Cederj de Rio Bonito dá exemplo de superação

Os novos alunos do Consórcio Cederj, que reúne instituições de ensino superior do Estado do Rio de Janeiro, começaram a jornada rumo ao diploma do ensino superior no dia 20 de fevereiro, quando aconteceu a aula inaugural. Trajetória que Elvis Filgueiras Ramos, de 36 anos, já percorreu e que serve de inspiração para os calouros. Deficiente visual, Elvis é exemplo de superação e de que, com força de vontade e dedicação, é possível conciliar trabalho, estudos e família. No dia 30 de janeiro, ele defendeu o trabalho final do curso de Pedagogia ofertado pela UniRio e deixou familiares, colegas e equipe do Polo Cederj de Rio Bonito, onde estudou, muito orgulhosos com a conquista e com a nota obtida: 10,0.

“Ver meu esposo subir esse degrau na vida é uma grande alegria, pois a vitória dele é a nossa também. Por muitas vezes, o vi virar noites sem dormir para dar conta dos estudos, principalmente em dia de prova. Ele é bastante dedicado e disciplinado em tudo o que faz e não foi diferente na graduação, sem se esquecer dos cuidados com a família, sendo um excelente esposo e pai”, fala com carinho Sebastiana de Carvalho Campos Ramos, de 36 anos, com quem Elvis é casado há dez e tem duas filhas, Rafaela, de 7 anos, e Lara, de 4.

Elvis perdeu a visão aos três anos de idade devido a uma alergia medicamentosa. Com uma febre muito alta e que não passava, ele tomou um remédio que provocou manchas e feridas em todo o seu corpo. Os pais o levaram rapidamente para o hospital, onde ficou internado 21 dias no Centro de Tratamento Intensivo. Elvis acabou ficando com sequelas que atingiram suas córneas.

Ele conta que optou por Pedagogia, porque queria estudar educação especial. A escolha do tema do seu trabalho de conclusão de curso – tecnologias assistivas em sala de aula e sua importância – foi algo natural: “A abertura de novas perspectivas de aprendizagem, que a tecnologia assistiva oferece aos alunos com necessidades educacionais específicas, revela-se como um impulsionador para que esses estudantes alcancem seus objetivos. Os profissionais também precisam estar preparados para atender esses alunos em sala de aula. Parafraseando a escritora Mary Pat Radabaugh, ‘para as pessoas sem deficiência, a tecnologia torna as coisas mais fáceis; para as pessoas com deficiência, a tecnologia torna as coisas possíveis'”.

Para dar autonomia a Elvis na elaboração do trabalho final, a equipe do Polo Cederj Rio Bonito utilizou ferramentas como o teclado de voz, gravador de voz, atividades como vídeos e filmes com audiodescritores, além de sites com acessibilidade. “Fiquei lisonjeada em ser a orientadora do Elvis, um aluno extremamente inteligente, e porque a inclusão deve ser uma realidade. Fui sua ledora e escriba e estipulamos metas. Ele fazia as leituras por áudio, através dos arquivos em PDF, e fichávamos os pontos mais pertinentes”, explicou a professora Denise Barbosa Pinto Neves.

Além da professora Denise, que é mediadora pedagógica de apoio, o diretor do polo de Rio Bonito Charlles da Fonseca Luca, e a professora Leomar Rodrigues de Avellar Baptista, articuladora acadêmica e mediadora pedagógica na licenciatura em Pedagogia/UniRio, acompanharam de perto a formação de Elvis. “O Polo Cederj de Rio Bonito, do qual sou diretor desde 2016, preconiza o cumprimento do acolhimento humanizado de todos os estudantes, que trazem trajetórias bem diferentes. E o primeiro aluno com deficiência visual formado no polo foi o Victor Uchôa, que cursou Tecnologia em Sistemas de Computação pela Universidade Federal Fluminense (UFF)”, relembra.

 Polos Cederj

 O Polo Cederj de Rio Bonito é uma das 35 unidades espalhadas pelo Estado e oferece os cursos de Matemática/UFF e Pedagogia/Unirio, Tecnologia em Sistemas de Computação/UFF e em Segurança Pública /UFF e, a partir do 1° Semestre de 2021, o bacharelado em Biblioteconomia/UFF. “O Polo Cederj de Rio Bonito é um marco em minha trajetória acadêmica, pois me abriu as portas para ingressar no ensino superior, sem contar a maravilhosa equipe de profissionais que muito contribuiu para minha formação. Sinto uma imensa alegria em vencer mais uma etapa e a sensação de iniciar um ciclo e poder fechá-lo, é algo indescritível”, disse Elvis, que é morador de São Gonçalo.

Para o presidente da Fundação Cecierj, Jorge Roberto Pereira, destaca que a Fundação Cecierj, através do Consórcio Cederj, entrega o conteúdo, e cabe ao aluno a parte mais importante dessa trajetória, que é incorporar os conhecimentos e a prática de uma profissão. “O Elvis, que já revelou o desejo de dar prosseguimento aos estudos, nos enche de orgulho por ter sido nosso aluno. Que a história do Elvis sirva de inspiração para os estudantes que começam a jornada da graduação”.

Flamengo vence e assume liderança do Campeonato Brasileiro

O Flamengo venceu o Internacional de virada por 2 a 1 na tarde deste domingo (21) no Maracanã em partida válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time do técnico Rogério Ceni assume a ponta da tabela de classificação pela primeira vez nessa edição do torneio, com 71 pontos. O Inter caiu para vice-líder com 69.

O Colorado, que entrou em campo precisando de uma vitória para conquistar o tetracampeonato brasileiro, pulou na frente do placar aos 11 minutos com uma cobrança perfeita de pênalti de Edenílson. A infração foi marcada pelo árbitro Raphael Klaus depois que o zagueiro Gustavo Henrique puxou Yuri Alberto em cruzamento na área rubro-negra.

Com a vantagem no placar, os gaúchos até que tentaram se manter no campo de ataque. Mas, o Flamengo foi aumentando o ritmo e começou a pressionar cada vez mais. Até que, aos 28, Filipe Luís aproveitou uma bola na frente da área e abriu de primeira para Bruno Henrique. Depois da disputa com Rodinei, o atacante carioca foi no fundo e deixou o meia Arrascaeta de frente para o gol. O uruguaio só rolou. A bola ainda bateu na trave e entrou para empatar a partida. Aos 42, teve outra chegada forte do Inter. Depois de boa jogada de Caio Vidal pelo lado direito, Rodinei pegou a sobra e mandou uma bomba na trave.

Na volta do intervalo, ocorreu o lance capital do jogo. Aos três minutos. Rodinei dominou mal uma bola e ao tentar se recuperar entrou duro no lateral-esquerdo Filipe Luís. O árbitro Raphael Klaus, com o auxílio do VAR, expulsou o jogador do Inter. Depois disso, só deu Flamengo. Aos nove, Pedro perdeu boa chance. Aos 17, em brilhante jogada de Arrascaeta, Gabriel Barbosa só deslocou o goleiro Marcelo Lomba e virou a partida. Aos 34, Pedro marcou o terceiro, mas o lance foi invalidado por impedimento. Aos 46, outra vez o centroavante Pedro balançou as redes coloradas, mas com o auxílio do VAR, Raphael Klaus invalidou dando falta no início da jogada em cima de Lucas Ribeiro. Aos 49, Bruno Henrique ainda desperdiçou outra excelente chance. E o placar ficou mesmo no 2 a 1 para os cariocas.

 

 

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br