Falta de funcionários afastados por Covid e gripe fazem com que associação de lojistas peça redução no horário de funcionamento de shoppings

A Associação Brasileira dos Lojistas Satélites, que engloba os pequenos e médios estabelecimentos, vai fazer um pedido aos shoppings para que os horários de aberturas das lojas sejam reduzidos por algumas semanas.

O objetivo é ajudar os comerciantes a administrarem a falta de funcionários afastados em função da Covid-19 ou da gripe. A proposta é que o atendimento seja reduzido a um turno.

Devido ao aumento de casos de Covid-19, a Farm, marca de vestuário com lojas em diferentes cidades do país, optou, na última sexta-feira (7), por fechar ou reduzir o horário de funcionamento de algumas de lojas por tempo indeterminado.

No Shopping da Gávea, na Zona Sul do Rio, a unidade teve que fechar as portas. O aviso informava que não havia funcionárias suficientes para fazer o atendimento. Já as lojas de Ilhabela, Ribeirão Preto, Uberlândia e do shopping Iguatemi Campinas, em São Paulo, além da casa FARM, no Rio, estão funcionando em horário reduzido.

O presidente da Associação Brasileira dos Lojistas de Shopping, Nabil Sahyoun, se posicionou contra a medida.

O aumento de casos de Covid-19 também tem afetado bares, restaurantes e hotéis. A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes diz que o setor tem passado por vários desafios, mas afirmou que os protocolos são eficazes e que a substituição das equipes está sendo possível porque o setor vinha contratando e, por isso, possui um banco de talentos.

No município do Rio, de acordo com levantamento da Fecomércio, 39,2% dos empresários tiveram que afastar funcionários diagnosticados com Covid nos últimos dias. Segundo a pesquisa, cerca de 40% dos comerciantes afirmam que os negócios foram prejudicados ou muito prejudicados nesse período.

 

Crédito: https://bandnewsfmrio.com.br/