Grupo de vereadores pede investigação contra o presidente da Câmara de Rio Bonito, Eduardo Soares

O clima esquentou na noite da última terça-feira (14), na sessão da Câmara de Vereadores de Rio Bonito, após os vereadores Humberto Belgues, Carlinho da Praça, Diorle, e Neném de Boa Esperança representarem contra o presidente da Casa, o vereador Eduardo Soares. O documento lido pelo vereador Humberto, contém uma série de acusações de possíveis irregularidades cometidas pelo presidente e passíveis de destituição do cargo, de acordo com o Regulamento Interno da Câmara, caso sejam comprovada.

Segundo o documento lido, “No dia 3 de agosto de 2021 foram apresentados diversos projetos de resolução, visando a modernidade do Regimento Interno da Câmara Municipal de Vereadores (…). (…) Depois de apresentados regularmente em plenário, obedecendo as técnicas de redação jurídicas vigentes e obedecendo o Regimento Interno, qual não foi a surpresa dos vereadores que apresentaram suas propostas e emendas, quando o presidente de forma autoritária ditatorial, onde somente deveria opinar, encaminha as mesmas para o arquivo, sob alegação de que as mesmas eram inconstitucionais, além de outras pífias alegações”.

De acordo com a representação, as mensagens, que deveriam ser encaminhadas para a Comissão de Justiça e Redação, não chegaram, o que, no entendimento dos vereadores diante do Regimento Interno, configuraria, dentre outras ações, “abuso de poder”. Na queixa, os vereadores pedem que os atos sejam investigados e processados, e se forem confirmados, podem gerar a perda da função de presidente.

 

Clima quente

Após a apresentação do pedido de investigação, o clima esquentou durante as explicações pessoais, quando a vereadora Marlene Carvalho saiu em defesa do presidente Eduardo Soares, e acusou o vereador Alex da Guarda – já eleito para ser o presidente da Casa no segundo biênio -, de ser um “espião” entre os vereadores que apoiam Eduardo. O vereador Alex pediu aparte, para falar durante a explanação da edil, mas foi negada por ela. Em outro momento, durante a fala do vereador Reis, Alex respondeu às acusações, dizendo que “de santinha, a senhora não tem nada”.

 

Defesa

Ao final da sessão, o presidente usou a tribuna para comentar sobre a representação, e disse que não estava surpreso com o pedido.

“Não posso deixar, nem aceitar ser chamado de omisso. Não me surpreende esse pedido. Eu nunca estive preso àquela cadeira. Responderei dentro da lei, de forma regimental, e se necessário, vamos buscar os meios legais, mas tenho a consciência tranquila de que não cometi crime nenhum. Se um dia eu tiver que sair, sairei com a cabeça erguida. Recebo com a maior naturalidade essa denúncia, é um direito (dos vereadores), mas tenham certeza, que mais uma vez se provará a minha inocência, e que nada ilegal foi feito”, disse Eduardo Soares.

 

Lívia Louzada