Lona na Lua completa mais um ano de parceria com o ‘Criança Esperança’

A parceria entre o projeto Lona na Lua e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), através do projeto ‘Criança Esperança’, da TV Globo, mais uma vez vai beneficiar mais de 200 crianças que são assistidas pela iniciativa em Rio Bonito. Esse ano, o projeto aprovado pela Unesco tem como tema “A Lona dos Sonhos”. Essa é a segunda vez que o órgão dá apoio ao projeto, a primeira vez foi em 2018.

O fundador e coordenador do Lona na Lua, Zeca Novais, avalia de forma positiva a parceria. “Fico muito feliz, porque é sinal de que o trabalho desenvolvido aqui na Lona está sendo bem avaliado pela Unesco”.

Ele explicou ainda de que forma o dinheiro enviado através da parceria está sendo usado. “O apoio do ‘Criança Esperança’ contribuiu com pagamento de instrutores e produtores, com aquisição de material circense e garantiu lanche mensal para os alunos. Além disso, dentro de alguns dias estaremos substituindo a Lona que cobre nossa estrutura por uma novinha”, conta Zeca.

 

Histórico de parceria

Mas a boa relação entre o Lona na Lua e o ‘Criança Esperança’ não começou em 2018. Assim como as grandes escolas de arte que existem pelo mundo, o projeto também forma e “exporta” talentos. Em 2016 o aluno do Lona, Lucas Fernandes foi o vencedor do ‘Click Esperança’, no Fantástico. No mesmo ano, uma campanha de arrecadação de doações produzida pelo Lona na Lua passou a ser veiculada na TV Globo. Já em 2017, Zeca Novais anunciou a abertura do ‘Criança Esperança’ daquele ano direto do palco do Caldeirão do Huck.

Em 2018 a história do projeto social foi contada no ‘REP – Repercutindo Histórias’, um projeto da TV Globo voltado para a responsabilidade social, e que é transmitido através do portal da emissora. No ano passado, o jovem Wesley Gomes, também formado pelo Lona na Lua, participou de um projeto da TV Globo que foi veiculado nos intervalos comerciais, chamado “motivo para doar esperança”.

 

Pandemia

Assim como outros seguimentos de atividades com crianças, o projeto Lona na Lua passou a realizar as oficinas de forma on-line, mas uma vez por mês, o kit lanche ainda é distribuído na sede da entidade. Com a pandemia, os espetáculos foram paralisados, e junto com eles, a renda proveniente das apresentações. “A bilheteria dos espetáculos sempre foi muito importante para a sustentabilidade de nossas ações. Foi muito difícil não poder contar com este suporte. Um espaço de arte tem gastos. Material de limpeza, tarifa de luz, água, pagamento de vigia, manutenção e etc.”, explica Zeca Novais.

 

 

Lívia Louzada