Polícia prende três suspeitos de envolvimento na morte de investidor Wesley Pessano

A Polícia Civil prendeu, na manhã de hoje, quinta-feira (02), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, três homens suspeitos de estarem ligados diretamente com o assassinato do investidor e influenciador digital Wesley Pessano, de 19 anos, que foi morto a tiros em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio, em agosto. Agentes da força-tarefa criada para investigar a execução do youtuber ainda procuram mais suspeitos. A Polícia Civil quer entender o que motivou a morte do rapaz, e uma possível queima de arquivo não é descartada. A operação foi batizada de Pullback (expressão que remete a um movimento de correção repentino que contraria a tendência do mercado).

Os detidos são Thiago Julio Galdino, Bruno Luzardo Vidal Sabajes, Valder Janilson Chaves dos Santos. Fabio Natan Nascimento, mais conhecido como FB, já é considerado foragido. Morador de Rio das Ostras, também na Região dos Lagos, FB é apontado pela polícia como o principal articulador do bando. De acordo com a investigação, Fábio participou de toda a empreitada criminosa. Ele estaria no Nissan Versa preto que seguiu o veículo da vítima, que dirigia um Porsche vermelho, e teria ligação com Edson Marinho, morador de Rio das Ostras, preso na primeira fase da operação.

Roberto Silva Campanha, apontado como o executor, foi levado de Nova Iguaçu para a Região dos Lagos, em 3 de agosto, quando ocorreu o assassinato, em um carro, um HB20, dirigido por Bruno, que retornou à Baixada Fluminense no mesmo dia. Roberto foi preso dias depois. O HB20 foi encontrado na casa de Bruno pelos agentes que participam da operação.

Após ser levado para a Cidade da Polícia, Thiago, um dos suspeitos, negou participação na execução de Wesley. “Eu não participei desse crime. Eu tenho casa lá (em Cabo Frio) há um ano. Eu não porto arma e não tive problemas com a Justiça. Eu não tenho nem noção por que eu estou sendo levado”.

 

Fonte: Jornal Extra