Jovem mergulha na ‘Lagoa Azul’, em Tanguá, e desaparece; Corpo de Bombeiros faz buscas no local

Agentes do Corpo de Bombeiros retomam na manhã desta terça-feira (25), o segundo dia de buscas por um jovem de 18 anos que se afogou no lago que ficou conhecido como “Lagoa Azul”, em Tanguá, na Região Metropolitana do Rio. Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima foi identificada como Luiz Souza, que teria desaparecido depois de mergulhar no lago. Ainda não há informações sobre as circunstâncias do afogamento.

Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, agentes do destacamento de Rio Bonito foram acionados por volta das 19h15 dessa segunda-feira (24), para a Estrada Minério, no bairro de mesmo nome, em Tanguá. Ao chegarem ao local, os bombeiros iniciaram as buscas na “Lagoa Azul”, mas não conseguiram localizar a vítima.

A Prefeitura de Tanguá informou que a Defesa Civil do município também foi acionada, mas encaminhou a ocorrência para o Corpo de Bombeiros.

SOBRE A “LAGOA AZUL”

O lago de água com tom verde esmerada foi batizado pelos moradores da região de “Lagoa Azul”. O lugar é uma antiga área de exploração de minério e ficou conhecido após a divulgação de uma reportagem produzida pelo Informe, em abril de 2017.

 

 

Crédito: Informe RJ

Super-heróis se unem para ajudar na luta contra a Covid-19 em Tanguá

Para diminuir a adrenalina e a ansiedade das crianças na hora da vacina contra a Covid-19, a prefeitura de Tanguá teve uma ideia inovadora: escolheu o palco do projeto cultural Lona na Lua, instalado no Centro da cidade, para imunizar os pequenos no último sábado (22/01).

Além do lugar, que muito se assemelha com a lona de um circo, a prefeitura levou para o local de vacinação super-heróis conhecidos, como Batman, Homem-Aranha, Homem de Ferro e Flash. O sucesso da iniciativa foi tão grande que a prefeitura estuda repetir a ação nos próximos dias.

“A gente sabe que o momento da vacina é sempre muito traumático para as crianças, seja pelo nervosismo ou mesmo pelo medo. O que a gente pretendeu foi criar um ambiente mais convidativo e com isso estimular a vacinação infantil nesse momento no qual os indicadores mostram um novo avanço da Covid-19”, disse Rodrigo Medeiros, prefeito de Tanguá.

A ação teve como público alvo crianças de 5 a 11 anos com comorbidades ou deficiência, além daquelas com 10 e 11 anos.

A tanguaense Gabriela Américo, mãe da Mirella Almeida, de 8 anos, que tem comorbidade, compareceu à mobilização e se surpreendeu com os personagens.

“Fiquei encantada com o cuidado e com a iniciativa. As crianças gostam muito dos super-heróis e com mais diversão acabam perdendo o medo”, disse.

 

Crédito: Assessoria de imprensa da Prefeitura de Tanguá

Mais de 50 profissionais de saúde de Tanguá estão afastados com Covid-19

Além do crescimento no número de casos de Covid-19, Tanguá, município da região metropolitana do Rio de Janeiro, tem mais uma preocupação: o expressivo número de profissionais da área de saúde diagnosticados com a doença, em janeiro.

A lista, com mais de 50 profissionais, inclui médicos, enfermeiros, técnicos administrativos e profissionais de apoio.

Para suprir esse déficit, o prefeito de Tanguá, Rodrigo Medeiros, determinou que sejam feitas, emergencialmente, algumas contratações. Além disso, solicitou que as equipes desfalcadas nos centros de testagem sejam reforçadas com profissionais de saúde que atuam nos setores administrativos, desde que estejam habilitados para a prestação de serviço na linha de frente.

“A prefeitura vem fazendo esforços para que os atendimentos sejam realizados com a maior celeridade possível. Estamos com muitos profissionais contaminados e, em alguns casos, o teste é um procedimento que pode demorar mais de 10 minutos, o que contribui para o aumento no tempo de espera”, esclareceu Rodrigo Lopes, secretário municipal de saúde.

Ainda segundo o secretário, começa nesta quinta-feira (20/01) a expansão da área de atendimento do Centro de Tratamento da Covid-19 em Tanguá. O aumento da área coberta e a colocação de cadeiras vai oferecer mais conforto aos pacientes que aguardam a consulta.

 

 

Crédito: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Tanguá

Mais de 600 alunos se inscrevem para as oficinas do Lona na Lua Rio Bonito e Tanguá; aulas começam em fevereiro

O projeto social Lona na Lua inicia as aulas em fevereiro deste ano com 648 alunos, sendo 326 em Rio Bonito e 322 em Tanguá. Das 326 crianças e adolescentes que aprenderão um ofício artístico no Lona, 123 são alunos novos, que iniciarão 2022 aprendendo sobre arte.

Segundo o fundador e diretor do projeto, Zeca Novais, a oficina mais disputada no Lona é a de teatro. A Entidade oferece aulas de teatro, circo, música, dança, produção áudio visual, e roteiro para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos.

“O Lona na Lua começa 2022 com mais de 600 alunos inscritos em dois municípios. São 600 famílias que terão suas vidas transformadas através da arte. Mais do que oficinas, é uma nova rotina para essas famílias, que aos poucos vão enxergando e compreendendo o poder transformador da arte na vida de seus filhos. Disciplina, respeito às diferenças, e desenvolvimento de potencialidades até então adormecidas. Que 2022 muito especial para os novos e antigos loneiros!”, comemora Zeca.

 

Lívia Louzada

Tanguá ganhará Clínica-Escola do Autista ainda esse ano

A prefeitura de Tanguá deve entregar, no primeiro semestre deste ano, Clínica-Escola do Autista do município. A expectativa é que a unidade funcione no Centro e atenda uma demanda reprimida existente no município, para o conforto de alunos com autismo e seus pais.

“Nos próximos dias iremos preparar todos os procedimentos visando atender esse projeto. Estamos nos ajustes finais para a viabilização do local que abrigará essa importante iniciativa”, antecipou o secretário municipal de Educação, Luciano Lúcio.

A Clínica-Escola seguirá as normas estabelecidas pela Lei N° 12.764, Lei Berenice Piana, idealizadora da primeira Clínica-Escola do país e defensora dos direitos das pessoas autistas, como seu filho e suas famílias.

A legislação determina que as Clínicas-Escolas disponibilizem aos alunos: fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicopedagogos, nutricionistas e um neuropediatra, que devem compor o time multidisciplinar.

“Só quem tem um filho autista ou tem profundo conhecimento sobre o autismo pode avaliar o quão é importante essa atenção especial que nossa cidade passará a oferecer a essas crianças. Fico muito feliz em participar desse momento”, disse o prefeito Rodrigo Medeiros, preocupado com a melhoria e qualidade dos serviços na área da educação especial.
Crédito: Assessoria de imprensa da Prefeitura de Tanguá