Traficantes que movimentam dinheiro do crime com bitcoins são alvo de operação da Polícia Civil e Ministério Público

Uma organização criminosa especializada no tráfico de drogas em bairros nobres no Rio de Janeiro, e que usava criptomoedas para movimentar o dinheiro é alvo de uma operação da Polícia Civil e Ministério Público do Rio.

A ação da Desarme em parceria com o GAECO tem como objetivo cumprir 18 mandados de prisão preventiva e 31 de busca e apreensão. Os mandados estão sendo cumpridos nos bairros do Flamengo, Inhaúma, Campo Grande, Guaratiba, Rio Comprido, Maracanã, entre outros.

Até o momento, 15 pessoas foram presas.

11 cumprimentos de mandados de prisão da operação e 4 flagrantes até o momento

Segundo a Polícia Civil, a quadrilha tem armas de fogo de grosso calibre para realizar a segurança e transporte das drogas. Contando ainda com apoio de um ex-policial militar para entregas de entorpecentes e grandes valores em espécie. Entre os locais de atuação estão a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e bairros da Zona Sul, como o Leblon.

Através de perícias criminais e análise de conteúdos telemáticos de telefones apreendidos, foi verificado que o grupo utilizava bitcoins ou ethereum, moedas virtuais, para pagamento e movimentação financeira do esquema para despistar a Polícia.

De acordo com a denúncia, o grupo utilizava a ferramenta do WhatsApp Business para facilitar o contato com os usuários, que acessavam a conta comercial do aplicativo “Alfafa Batutinha Best Quality Drugs” para realizar a encomenda da droga.

A investigação apontou para a existência de uma verdadeira “sociedade empresária criminosa” com sofisticada aquisição, armazenamento e distribuição de drogas em bairros de alto padrão.

 

Crédito: bandnewsfmrio.com.br