UPA de Inoã, em Maricá, registra aumento de atendimentos e receberá novo sistema para agilizar a assistência

A secretária de Saúde de Maricá, Solange Oliveira, visitou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã na manhã da última terça-feira (02/08), para verificar os atendimentos realizados, as instalações do local e acolher as demandas dos pacientes e profissionais da unidade. Atualmente, a UPA atende cerca de oito mil pessoas por mês e aproximadamente 20% desse público é composto por pessoas de outros municípios. Em busca de agilizar os atendimentos, a unidade ganhou dois novos consultórios recentemente e, em breve, receberá um sistema novo e mais ágil.

A secretária percorreu a estrutura atual que agora conta com quatro consultórios específicos para os clínicos gerais e outros três para a pediatria, totalizando sete, permitindo mais consultas de forma simultânea e, consequentemente, um menor tempo de espera dos moradores. Na ocasião, também anunciou que o espaço contará, em breve, com um novo sistema informatizado, que poderá reduzir em até três horas a espera por atendimentos.

“No último ano, tivemos um crescimento significativo nos atendimentos, chegando a mais de 25%. Recentemente, também passamos por um período de superlotação em nossas unidades, como em todo o Estado do Rio de Janeiro em virtude das síndromes respiratórias. Mesmo assim, a unidade acompanhou esse fluxo, atuando na maioria das vezes com equipes completas, fornecendo os medicamentos prescritos durante as consultas na própria UPA e buscando alternativas para reduzir o tempo de espera, identificando a necessidade do novo sistema que vamos implementar”, destacou.

Pacientes ressaltam a importância da unidade

Durante a visita, a secretária de Saúde conversou com diversas pessoas que haviam passado por atendimento, que se mostraram satisfeitas com o acolhimento promovido no local. Robson da Silva, de 63 anos, acompanhava a tia Jovelina de Almeida, de 92, moradora do Rio do Ouro, em São Gonçalo, e disse que o atendimento foi bastante satisfatório, ajudando a controlar uma crise de falta de ar.

“Minha tia estava muito resfriada e acordou com uma espécie de peso no peito, dificultando a respiração. Com isso, decidimos vir até a UPA, pois ela já havia sido atendida por um médico no local e gostou bastante. Essa é a terceira vez que viemos aqui e o acolhimento foi rápido, passando pela classificação de risco e logo sendo chamada pelos profissionais. O atendimento já era bom e melhorou bastante se comparado às outras vezes”, contou.

O processo de atendimento ocorre de acordo com a classificação de risco, indicado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que define prioridade aos pacientes mais graves, representados pela cor vermelha (gravíssimo) e amarela (grave). Os pacientes de cor vermelha são socorridos imediatamente. Já os de cor amarela são encaminhados para atendimento em, no máximo, 30 minutos.

Visitas e melhorias continuam em toda a rede

O acompanhamento do trabalho nas unidades de saúde de toda a cidade acontece periodicamente. Na segunda-feira (01/08), a secretária de Saúde, Solange Oliveira, esteve na Unidade de Saúde da Família (USF) Chácara de Inoã, que atende mais de seis mil pessoas e registrou um crescimento de 70% no número de pessoas cadastradas nos últimos dois anos. Além disso, outras visitas foram feitas recentemente nas USF Jardim Atlântico, Barroco, Inoã II, Ponta Negra e Guaratiba.

Diversas melhorias e novidades estão em andamento. A USF Carlos Alberto Soares de Freitas, que atende os moradores do condomínio Minha Casa Minha Vida (MCMV) de Inoã, já tem um novo espaço definido, bem próximo ao residencial, que começará a ser estruturado em breve. Além disso, a nova unidade do Serviço de Atenção Especializada (SAE) está em fase final das obras e as novas instalações das USF Ponta Negra, Carlos Marighella (condomínio Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu), Mumbuca e Caxito serão concluídas até o primeiro semestre de 2023.

Em outra frente, estão sendo retomadas as obras das unidades de São Bento da Lagoa e Itaocaia Valley, no distrito de Itaipuaçu; além da USF Saco das Flores.