‘Guerra de sacolés’ em Cabo Frio e Arraial do Cabo

Uma brincadeira do tempo da nossa avó, que parece inocente, tem incomodado os moradores de Cabo Frio e Arraial do Cabo e acabou chamando atenção da Polícia Militar da região. A chamada ‘guerra de sacolés’, muito praticada no Rio de Janeiro, consiste em dois grupos que jogam entre si os saquinhos preenchidos com água.

Os agentes precisaram intervir quando os participantes, que se reunem em grupos para fazer a “guerra”, começaram a passar dos limites e no lugar da água estão enchendo os saquinhos com fezes, urina, pedras e tinta.  Há preocupação de que a brincadeira também seja pretexto para que crimes sejam cometidos.

Por conta dos inconvenientes provocados pela prática, a PM tem recebido diversas chamadas pelo serviço 190 de pessoas que se sentem coagidas, informando sobre grupos de pessoas encapuzadas circulando pelas região.

No começo da semana,  dois grupos promoveram uma baderna na rua que  fica atrás do Clube Tupy, em Arraial. Segundo o comandante do 25º BPM, coronel Rodrigo Ibiapina, as equipes da Polícia Militar abordaram um grupo de pessoas em um caminhão baú que se preparava para a ‘guerra dos sacolés’, mas nada de ilícito foi encontrado após uma revista nos participantes.

Vídeos que circulam na internet também mostram a ‘batalha’ em outros pontos de Arraial e em Cabo Frio, como o que foi registrado no último fim de semana, no Jardim Caiçara. “Essa prática pode em muitos casos ser nociva para as pessoas, tanto as que brincam quanto as que não estão brincando”.

Em nota, a assessoria do 25º BPM informou que “Quem está ‘brincando’ fica focado na brincadeira e esquece que muitas vezes está em uma via movimentada e pode acabar atravessando a rua de forma intempestiva e causar ou ser vítima um acidente de trânsito.
Quem não faz parte da ‘brincadeira’ por sua vez, tem o direito de ir em vir sem ser molestado”.

Apesar disso, a prática da ‘guerra de sacolés’ em si não é considerada crime e sim contravenção prevista no artigo 37 da Lei de Contravenções Penais (1941), sujeita a aplicação de multa.

Maricá terá tecnologia 5G e Faetec anuncia curso voltado para aviação

Maricá receberá o primeiro teleporto com tecnologia 5G da América Latina e terá curso, na Faetec, voltado para área de aviação.  O anuncio foi feito durante assinatura da joint venture, um acordo entre duas ou mais empresas que estabelece alianças estratégicas por um objetivo comercial comum, entre a Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar) e a empresa italiana Leonardo, voltada para projetos nas áreas de aviação e segurança.

De acordo com o presidente da Codemar, José Orlando, a nova tecnologia permitirá cobertura de 100% do território brasileiro e faixa marítima, atendendo as operações de Offshore. O investimento também permitirá que a cidade receba mais empresas de telecomunicações.

“Será o 1º Teleporto da América Latina, serão 3 na América do Sul (Maricá, Fortaleza e Chile). Teremos 900 satélites em uma órbita específica para gerar esse fluxo de dados permitindo a cobertura nacional. Nossa expectativa é que esta torre seja instalada próximo ao Parque Tecnológico, o que também irá impulsionar a região. Não é só isso, a chegada desta tecnologia nos permitirá receber grandes investimentos na área de telecomunicação com a chegada de novas empresas”, disse José Orlando.

O prefeito de Maricá, Fabiano Horta, falou dos desafios a serem percorridos.

“Sabemos que com a chegada desta tecnologia ainda temos uma imensa distância a ser percorrida. Já estamos desenvolvendo projetos na área de ciência, tecnologia, inovação e desenvolvimento. Acho que estamos dando um grande salto, teremos um conjunto de empresas com investimentos em tecnologia de ponta. Nosso cronograma para instalação é de nove meses e vamos tentar acelerar, pois é de grande importância para cidade”, falou o prefeito.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado, Leonardo Rodrigues, aproveitou para reforçar a presença da Faetec no município, além de já definir um dos cursos da unidade.

“Em demonstração desta parceria com a cidade de Maricá quero anunciar a construção da Faetec voltada para área da tecnologia e para formação de mecânicos de manutenção de aeronaves. Sabemos da importância desta atividade e tenho certeza que esta escola terá os cursos 100% gratuitos”, disse o secretário.

O que é Joint Venture?

É o acordo entre duas ou mais empresas que estabelece alianças estratégicas por um objetivo comercial comum.

 

Prefeito assina convênio e garante o repasse de R$ 2,8 milhões para a saúde

Uma boa notícia para os moradores de Rio Bonito. O prefeito José Luiz Mandiocão e o secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, assinaram um Termo de Cooperação Técnica que garante o repasse de R$ 2,8 milhões para investimentos na área de saúde no município. A assinatura, realizada nessa quinta-feira (13) na sede da secretaria de Saúde do Estado, contou com a presença da secretária municipal de Saúde, Dailane Magalhães, além do deputado estadual, Anderson Alexandre, e do deputado federal, Áureo Ribeiro, que viabilizaram a liberação dos recursos.

Esses recursos, de acordo com o termo de cooperação que foi firmado, serão utilizados para a compra de equipamentos para as unidades de saúde do município, como tomógrafo, aparelho de endoscopia, mamógrafo, eletrocardiógrafo, bomba de infusão, ventilador pulmonar, monitor multiparâmetro, computadores, impressoras, no-breaks, além de ambulância e veículos de passeio, entre outros, que irão auxiliar no trabalho dos profissionais de saúde.

O prefeito José Luiz Mandiocão comemorou a assinatura desse convênio, e disse que essa verba vai dar condições de ampliar e melhorar o atendimento prestado à população.

“Agora teremos mamógrafo e tomógrafo na rede de saúde pública própria do município. Estávamos em busca desses recursos, que chegam em ótima hora, pois estamos ampliando cada vez mais os serviços de saúde de Rio Bonito”, declarou o prefeito agradecendo o apoio dos deputados Anderson Alexandre e Áureo Ribeiro.

Segundo a secretária de Saúde, Dailane Magalhães, os recursos servem para qualificar os atendimentos no município, humanizando a assistência.

“No total são R$ 2,8 milhões que serão destinados a aquisição de novos equipamentos, para o aparelhamento e estruturação das nossas unidades de saúde”, esclareceu a secretária.

O aparelhamento das unidades deve respeitar os projetos e os cronogramas apresentados pelo município à Secretaria de Estado de Saúde. Após a conclusão desse processo, a prefeitura também deve enviar a prestação de contas. À SES cabe providenciar o repasse de recursos.

Defensoria Pública do Rio quer proibir operações no entorno de escolas e creches

Uma Ação Civil Pública (ACP) movida nesta quinta-feira (13) pela Coordenadoria de Defesa da Criança e do Adolescente (Cdedica) da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ), pede que a Justiça proíba a realização de operações das forças de segurança no entorno das creches e escolas públicas estaduais e municipais.

Com base no estudo feito pelo Fogo Cruzado e a Fundação Getúlio Vargas entre  2016 e 2017, e o levantamento sobre escolas afetadas pela violência armada em  2019, a liminar obriga que o Estado adote uma série de medidas que priorizem o direito constitucional à educação, como a proibição de operações das forças de segurança no entorno de creches e escolas durante o horário de entrada e saída de alunos e funcionários, assim como a utilização das unidades de ensino como bases operacionais durante tiroteio, e o voo de helicópteros nessas áreas a uma distância de menos de 2 quilômetros. A proposta pede ainda que diretores das unidades de ensino e saúde criem um protocolo para que tenham tempo hábil para executar as medidas necessárias a fim de reduzir os danos à integridade física das pessoas.

O descumprimento de tais medidas acarretará em uma indenização no valor de R$ 1 mil por dia de aula perdido aos alunos em razão dos tiroteios e uma condenação do Estado no valor de R$ 1 milhão por danos morais coletivos, em razão da violência, que deverá ser revertido ao Fundo para a Infância e Adolescência e utilizado no desenvolvimento de projetos que reduzam os danos causados aos estudantes impactados com a constante violência institucional.

Escolas afetadas em 2019

No ano passado, 2.335 tiroteios/disparos de arma de fogo ocorreram nos arredores de escolas da região metropolitana do Rio de Janeiro – o que equivale a 32% de todos os tiroteios registrados pelo Fogo Cruzado no Grande Rio em 2019 (7.365).

A Vila Kennedy, com 376 tiroteios, foi “campeã” pelo segundo ano consecutivo no número de tiros no entorno de escolas e creches da região metropolitana do Rio.

O estudo considerou as 7.386 escolas e creches públicas e privadas nos 21 municípios da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, em um raio de 300 metros das unidades, em dias letivos e horário escolar (de segunda à sexta-feira de 06 às 22 hrs).

Diretores de escolas já podem suspender as aulas

Baseada nos dados do Fogo Cruzado de 2018 e sancionada pelo Prefeito Marcelo Crivella, a Lei Nº 6.609, de autoria do Deputado Junior da Lucinha (MDB), foi aprovada em 2019 e garante a diretores da rede municipal de ensino a suspensão das aulas durante tiroteios para manter a integridade física de estudantes e funcionários da rede de ensino. A Lei prevê ainda que, caso as aulas sejam suspensas, o conteúdo perdido seja reposto durante o período letivo, sem que as férias e recessos sejam afetados.

PM retira quatro toneladas de barricadas no Jardim Catarina

Policiais do 7º Batalhão, em São Gonçalo, realizaram nesta sexta-feira (14) uma ação no bairro Jardim Catarina, para retirar cerca de quatro toneladas de entulho usados pelos traficantes como barricadas.

Segundo os agentes, o objetivo da ação é desobstruir as vias que estavam interditadas pelos criminosos da região com  pedras, trilhos de trem, entre outros materiais. Ainda segundo a corporação, as ruas Aldeia de Matos, Navarro da Costa, Ouro Fino, Miguel Glinka e Piracanjuba foram liberadas para o livre trânsito de pedestres e veículos.

A ação foi realizada com um caminhão, o blindado do batalhão e uma retro escavadeira. Não houve registro de confronto entre criminosos e policiais militares