Rio Bonito inaugura Espaço Bilíngue Libras/Língua Portuguesa

A Prefeitura de Rio Bonito inaugurou nesta semana o o Espaço Bilíngue Libras/Língua Portuguesa no Colégio Municipal Maurício Kopke, no Centro, que promete ser uma referência na Língua Brasileira de Sinais na cidade. Nesta semana, também ocorreu, no Centro Administrativo da Prefeitura, na Praça Cruzeiro, uma palestra para professores de educação inclusiva e alunos ouvintes e surdos, com o diretor do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), Paulo Bulhões, abordando assuntos ligados as “Lutas e conquistas da comunidade surda”. Além disso, também foram realizadas apresentações de teatro com surdos e do curso de Libras.

O Espaço é voltado para o aluno surdo que não domine a libras e nem a língua portuguesa, e vai poder efetivar o conhecimento através da Língua Brasileira de Sinais, aprendida no local.  De acordo com a secretária de Educação, Wanderlúbia Antunes, o espaço é mais uma referência na educação inclusiva. “O trabalho incansável dos profissionais que atuam na educação inclusiva, fez com que o município se tornasse referência em todo o Estado. Isso nos traz muito alegria, mas também aumenta a nossa responsabilidade de trabalhar cada vez mais em prol da inclusão em nosso município”, ressaltou a secretária.

O dia 26 de setembro, data que se comemora o Dia Nacional do Surdo, foi escolhido para representar a luta da comunidade surda brasileira por ser a data da criação da primeira escola de surdos no Brasil, o INES, fundada em 1857.  Hoje, o órgão, ligado ao Ministério da Educação (MEC), nomeou o primeiro diretor surdo, depois de 163 anos. Paulo Bulhões, que atuou vários anos como ouvinte, assumiu o INES escolhido de uma lista tríplice pelo presidente da República.

Na sua palestra, o diretor do INES falou que uma das maiores conquistas da comunidade surda foi a Lei que instituiu a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), há 17 anos, e o reconhecimento da carreira de interprete de libras.

O objetivo é divulgar a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e a cultura surda, além de possibilitar o compartilhamento de informações e conquistas da comunidade surda e proporcionar a interação entre surdos e ouvintes de Rio Bonito e região.