Henry foi levado ao pediatra pela mãe dias após conversa com babá

Atualização do caso

Novas investigações estão sendo feitas sobre o caso da morte do menino Henry, que morreu no dia 08 de Março de 2021 e no programa de TV Fantástico foi dito que um dia após as conversas entre Monique Medeiros, a mãe da criança, e a babá Thayná Ferreira, que informou que Henry estava sendo agredido pelo Dr. Jairinho, padrasto de Henry, a mãe do menino o levou a um pediatra e no hospital informou que ele estava com dores por ter caído da cama.

Segundo informações, a polícia descobriu, enquanto investigava o caso, uma troca de mensagens de Monique e Thayná que ocorreu no dia 12 de fevereiro pelo WhatsApp. Nas mensagens, a mãe de Henry fica sabendo que o padrasto levou o menino para um quarto e que, de lá, a criança saiu mancando e sentindo dores. Ainda nessa situação, Thayná, a babá do menino, conta para a mãe da criança que Henry relata que tomou alguns chutes e outras agressões vindas do vereador enquanto estava no quarto sozinho com ele. Ou seja, Monique sabia das agressões contra o filho.

No dia seguinte, Henry foi levado por sua mãe até um pediatra. Monique contou ao médico que seu filho havia caído da cama por volta das 17h do dia anterior, momento em que ocorre a troca de mensagens entre Thayná e Monique, onde a mãe da criança fica sabendo que seu filho está sendo agredido por Jairinho. No documento do hospital, ainda consta que o menino estava mancando. Monique relatou para o médico que seu filho acordou neste dia assim após cair da cama, apenas com dor, mas sem febre. Nos exames feitos no dia no hospital, a estrutura óssea do menino não foi afetada.

 

Vereador Jairinho e mãe do menino Henry são presos

Henry

O menino foi encontrado morto no dia 8 de Março, no apartamento do casal. Eles afirmam que houve um acidente mas laudos descartam a hipótese. Consta pela investigação, que semana antes do falecimento, o menino havia sido torturado por Jairinho com o conhecimento da mãe da criança.

A prisão

Nesta quinta-feira, 8 de Abril, O vereador Jairinho (padrasto) e Monique Medeiros (mãe)  do menino Henry foram presos nesta manhã por serem acusados de atrapalhar as investigações e ameaçar testemunhas para combinar versões. A prisão é temporária, por 30 dias.

Eles foram presos na casa de uma tia do vereador, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, por volta de 6h10 da manhã, no mesmo dia em que a morte de Henry completa um mês. Segundo um delegado envolvido no caso, a Polícia Civil conseguiu recuperar mensagens apagadas dos celulares dos suspeitos. Nelas, Monique admitiu o crime contra a criança.

Investigações

Desde a morte de Henry, os policiais vem ouvindo testemunhas e reunindo provas para entender o que aconteceu para que uma criança de 4 anos chegasse ao hospital desacordado e morresse. Segundo o documento assinado pelo perito, à criança tinha múltiplos hematomas no abdômen e nos membros superiores, infiltração hemorrágica na parte frontal, lateral e posterior da cabeça, apontou grande quantidade de sangue no abdômen, contusão no rim e trauma com contusão pulmonar.

A Polícia Civil ouviu 18 testemunhas, entre médicos que atenderam o casal no Hospital Barra D’Or, uma psicóloga, legistas, a faxineira do apartamento do casal, ex-namoradas de Jairinho e a babá de Henry Borel. Os celulares do casal também vem sendo investigados, mas a polícia tem usado um novo software para recuperar mensagens dos dois que os agentes acreditam terem sido apagadas.

Embora o inquérito ainda não tenha sido concluído, a polícia acredita que Henry foi assassinado. Falta esclarecer como o crime foi cometido

Até o momento, o casal não se pronunciou após sua prisão. Anteriormente, durante as investigações, eles negaram qualquer envolvimento com a morte da criança de quatro anos. Na última quarta-feira (07), eles prestaram depoimento do caso e continuaram negando envolvimento.

Dia Mundial de Conscientização do Autismo Autismo Virtual – Um Fenômeno Real e Alarmante

O Que Vem a Ser Autismo Virtual? E por que o Autismo Virtual Aumentou Tanto nos Últimos Anos e Qual Sua Relação com a Pandemia?

No ano de 2007, a ONU (Organização das Nações Unidas), definiu o dia 02 de abril como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo.

O autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento. Isso significa que no desenvolvimento global, existe um prejuízo ou retrocesso. É necessário pois, que esse paciente realize uma avaliação multiprofissional a fim de elucidar a causa desse atraso.

Há um fenômeno que vem crescendo nas últimas décadas e que atualmente passou a ser chamado de Autismo Virtual.

Estudos recentes de casos clínicos estão comprovando que crianças pequenas que são expostas excessivamente em frente as TELAS (TVs, computadores, tablets e videogames), acabam apresentando sintomas próprios do espectro autista. Segundo as recomendações da Academia Americana de Pediatria, crianças com a idade abaixo de dois anos não devem ser expostas às telas. Para as crianças acima dos dois anos, a recomendação é que tenham um limite de apenas duas horas por dia, divididas ao longo do dia.

Mas não é isso o que vem acontecendo, principalmente nos países onde a revolução digital já é uma realidade na vida da população – É o que explica a Dra. Gesika Amorim, Médica, Pediatra, Neuropsiquiatra infantil com formação em Homeopatia Detox (Holanda), Especialista em Tratamento Integral do Autismo com diversos títulos  em Neurodesenvolvimento – Autismo virtual, grosso modo, é a presença de manifestações do espectro autista que as crianças passam a demonstrar pelo uso abusivo de telas. Para uma criança que não seja autista, por volta dos dois anos de idade, ficar exposta diariamente às telas, faz com que ela comece a anular as coisas que estão ao seu redor; esse é o primeiro sintoma do autismo, o isolamento social. A criança fica com o seu foco totalmente voltado para a tela e esquece de todo o resto, de todo estímulo, de todas as pessoas que estão ao seu lado. O segundo sintoma é o prejuízo na fala; se a criança está isolada de frente à tela, com quem ela vai falar? Ela não tem com quem se comunicar. O terceiro sintoma é a dificuldade de mudar a rotina, tendo uma preferência por rituais e rotinas, que é o que acontece nessa faixa etária; a criança tem a preferência de ver sempre os mesmos desenhos, os mesmos programas.

É assustador o aumento do diagnóstico de autismo nos EUA. O Centro Para Controle de Doenças (Center For Disease Control) apresenta as seguintes estatísticas:

  • No ano de 1975, de cada 5.000 crianças, apenas 01 era diagnosticada com autismo.
  • No ano de 2005, de cada 500 crianças, 01 era diagnosticada.
  • No ano de 2014, segundo os últimos números da CDC, de cada 68 crianças, 01 era diagnosticada.

O governo americano apresentou uma pesquisa junto com os pais, mostrando que 01 criança, em cada grupo de 45, já é diagnosticada com autismo, ou seja, apenas nos EUA, nos dias atuais, a probabilidade de uma criança ter autismo aumentou 100 vezes mais do que no ano de 1975. Outros países também apresentam esse aumento alarmante em comparação das últimas décadas.

Segundo a Dra. Gesika Amorim, é importante entender que o desenvolvimento da criança é construído por fases, não depende só do estímulo visual que as telas fornecem. A criança depende de diferentes estímulos; do estímulo tátil, sonoro e principalmente da imitação, que é o que acontece quando ela está interagindo em casa, com a família, na escola ou na creche.

Desde o ano de 2020, por causa das restrições impostas pela pandemia, houve uma explosão de casos. O que vem acontecendo, por causa do isolamento social, e o chamado autismo virtual aumentou muito pela hiperexposição das crianças às telas, pela falta de socialização e pelo prejuízo da comunicação, ou seja, devido as consequências de ficar em casa, unicamente com essa rotina.

Em um ano de pandemia, em que as crianças deixaram de ir às escolas ou às creches, muitas dessas crianças passaram a ficar expostas unicamente às telas, porque a mãe, mesmo trabalhando em home office, tinha que cuidar também dos afazeres da casa, deixando a criança entretida diante da TV ou do computador. Por conta da questão financeira, muitas empregadas e babás foram dispensadas de seus serviços e as crianças perderam toda essa socialização em casa também – reitera a Dra. Gesika Amorim.

Pesquisadores demonstram que quanto maior for o tempo de exposição da criança diante das telas, mais prejudicial será o desenvolvimento do seu cérebro, impedindo, inclusive, que ela tenha uma vida social saudável.

As telas viciam e não é nada fácil para os pais reverterem essa situação, tirando dos seus filhos pequenos essas telas e ao mesmo tempo oferecer outros estímulos para eles. Isso deve envolver toda a família.

Esse processo não é fácil e a criança provavelmente apresentará crises de raiva. No entanto, vencendo essa primeira etapa e com paciência e disciplina, a criança voltará a interagir normalmente e os sintomas vão desaparecer em um curto prazo de tempo- explica a especialista, Dra. Gesika Amorim, que continua: “ Quando você quebra essa rotina, tirando as telas e aumentando o repertório, o leque de opções de estímulos para essa criança, quando ela é colocada para interagir com outras crianças, por exemplo, você tem uma regressão quase que imediata desses sintomas.

Aproveitando a Semana da Conscientização do Autismo, vamos observar mais as nossas crianças e passar a frente estas informações. Lembrando que é muito importante o diagnóstico precoce, pois assim, maiores e melhores serão as chances de tratamento do seu filho.

 

CRÉDITOS:

Dra. Gesika Amorim é Mestre em Educação Médica, Pediatra, Neuropsiquiatra com formação em Homeopatia Detox (Holanda), Especialista em Tratamento Integral do Autismo. Possui extensão em psicofarmacologia e Neurologia Clínica em Harvard. Especialista em Neurodesenvolvimento e Saúde Mental, dentre outros títulos

Mulher e filhos são feitos reféns em Itaboraí, RJ

Dois bebês, de um e dois anos, foram mantidos como reféns junto com a mãe, uma gestante de 20 anos, dentro de casa, em Itaboraí. Os três foram presos pelo próprio marido da jovem.

De acordo com a polícia, uma equipe do 35° BPM (Itaboraí) foi até a Rua Onze, no bairro Novo Horizonte após receberem denúncias sobre uma briga entre pai e filho.

Mas no endereço citado os policiais ouviram gritos de uma mulher.

Com medo da situação sair do controle, já que a polícia não sabia se ele estava armado, policiais pediram reforços para iniciarem as negociações.

Após um período de negociação, o homem liberou a família e se entregou.

O caso foi registrado na 71° DP (Itaboraí). Na casa do homem os policiais encontraram simulacros de pistola e revólver.

 

Fonte: https: osaogoncalo

Criança de dois anos morre no desabamento em São Gonçalo

As fortes chuvas que caíram nas últimas horas, no município de São Gonçalo, causaram uma tragédia, na madrugada de hoje. De acordo com as primeiras informações, uma criança, de 2 ano, morreu durante um desabamento que ocorreu, na comunidade do Feijão, no bairro Paraíso. O Corpo de Bombeiros informou que foi acionado por volta da meia-noite para uma travessa situado no bairro, onde constataram o desabamento e morte da criança.

De acordo com informações da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros, além da ocorrência com vítima fatal, vários chamados foram registrados em pontos diferentes do município, com cerca de dez solicitações, como três de queda de muros, nos bairros Porto Velho, Covanca, e Tribobó, além de alagamentos, em Neves e Venda Cruz, risco de queda de árvore, em Vila Lage, deslizamento no bairro Jardim Catarina, e risco de desabamento no Pita, entre outras.

Com relação ao desabamento que vitimou a criança, a Defesa Civil informou em seguida que fez a vistoria e interditou o local. Informação de momento é que está acontecendo um vazamento de gás que será avaliado pelos bombeiros. Haviam quatro pessoas no cômodo da casa no momento do desabamento, e o resgate da criança levou cerca de duas horas.

O Corpo de Bombeiros acrescentou que durante a realização do trabalho, chegaram a ser intimidados por criminosos ligados ao tráfico na localidade onde ocorreu o desabamento. na localidade, apenas uma casa foi atingida mas tem outros imóveis a perigo e devem ser interditados.

 

De acordo com informações do Climatempo, a previsão meteorológica para hoje é que novas pancadas de chuva ocorram na região, com o céu permanecendo nublado. A mínima registrada será de 22 graus, nos períodos da noite e da madrugada, e a máxima será de 27°C, no período da tarde. Em caso de emergência, a Defesa Civil de São Gonçalo disponibilizou os telefones 199 ou 2601-0199.

 

Fonte: atribunarj.com