Prefeitura de Maricá recomenda moradores a não praticarem altinha e atividades similares na Praça Orlando de Barros Pimentel temporariamente

A Prefeitura de Maricá recomenda que, por conta da montagem das estruturas e decoração de Natal, seja evitada a prática da altinha e de outros esportes que envolvam o uso de bolas no entorno da Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro. A orientação é uma forma de assegurar a integridade das ornamentações, além de evitar acidentes e promover a segurança da população, visto que o fluxo de crianças e idosos aumenta exponencialmente na região nesse período do ano.

Agentes da Secretaria de Ordem Pública e Gestão de Gabinete Institucional (Seop) atuarão na orientação e conscientização dos praticantes dessas modalidades, comunicando sobre a importância de evitar a prática temporariamente por medida de segurança.

 

Foto: Vinícius Manhães

Internauta que teve conta do Instagram hackeada deve receber indenização de R$ 3 mil do Facebook

O 3º Juizado Especial Cível de Brasília determinou que o Facebook Serviços Online do Brasil pague R$ 3 mil de indenização, por danos morais, para um usuário que teve a conta hackeada.

O advogado Fabiano Sommerlatte contou, no processo, que o perfil que usava nas redes sociais foi invadido enquanto usava o wi-fi do aeroporto do Rio de Janeiro. Ao perceber o acesso indevido à conta do Instagram, a vítima disse que tentou entrar em contato com a plataforma, por telefone e via e-mail, mas não conseguiu falar com a central de atendimento ao consumidor.

O advogado disse ainda que tentou remover o perfil várias vezes e não conseguiu. Outras duas contas também acabaram vinculadas em seu nome sem autorização.

Ao g1, o escritório do Facebook no Brasil, que também responde pelo Instagram, informou que vai recorrer da decisão.

Na sentença, a juíza Gisele Rocha Raposo destacou a falha na segurança e na prestação dos serviços.

“É inegável que ter seus dados pessoais com informações, fotos e vídeos tomado por terceiro, traz angústia e sofrimento que em muito supera o mero aborrecimento […]. Restou cabalmente demonstrado nos autos a falha na segurança dos serviços prestados pelo requerido ao permitir o ‘hackeamento’ da conta, além do vício no serviço consistente na demora do seu bloqueio”, afirmou a juíza.

Além disso, a magistrada alertou que a “demora injustificada no bloqueio ou restabelecimento ou do perfil”, revela “menosprezo aos direitos do consumidor (…) resultando em transtornos aptos a violar a dignidade e configurar dano moral passível de indenização pecuniária”.

“No tocante ao dano moral, os documentos juntados aos autos demonstram que, após várias tentativas de recuperação da sua conta no Instagram, o requerido manteve-se inerte.”

Como recuperar a conta

Em caso de suspeita de invasão ao perfil nas redes sociais, é possível denunciar o acesso indevido por meio do aplicativo. O Instagram também disponibiliza um formulário para que o usuário informe a situação à plataforma.

Já, para recuperar a conta invadida, o Instagram orienta buscar a Central de Ajuda do Instagram.

Passo a passo:

  1. Verifique se há uma mensagem do Instagram na sua conta de e-mail: Se você recebeu um e-mail de security@mail.instagram.com informando que seu endereço de e-mail foi alterado, poderá desfazer a ação usando a opção reverter essa alteração na mensagem.
  2. Se outras informações também foram alteradas (por exemplo, sua senha) e não foi possível reverter seu endereço de e-mail, solicite um link de login ou um código de segurança ao Instagram: na tela de login, toque em “obter ajuda”.
  3. Se você não conseguir recuperar sua senha com o link de login, é possível solicitar o suporte (toque em “Precisa de mais ajuda?”).
  4. Para recuperar a conta, será necessário um endereço de e-mail seguro, diferente do usado anteriormente, ao qual somente você tenha acesso. Depois de enviar a solicitação, o usuário receberá um e-mail do Instagram com as próximas etapas.

Segundo o Instagram, qualquer pessoa que tiver acesso ao e-mail e/ou telefone cadastrado em uma conta da plataforma poderá ter acesso a ela. Assim, é importante que os usuários se certifiquem de que a conta de e-mail esteja segura e de que a autenticação de dois fatores (por aplicativo, SMS ou WhatsApp) esteja ativa.

Crédito: g1.globo.com

Goiana de 29 anos se casa após ser freira, piloto de avião, motorista de aplicativo, feirante e professora

A goiana Crislane Costa, de 29 anos, viralizou nas redes sociais após um primo compartilhar a história de sua vida. A mulher saiu da zona rural de Caturaí, no centro goiano, se formou para ser piloto de avião, foi freira, babá, motorista de aplicativo, empreendedora, feirante, e agora é coordenadora em uma escola.

“Nunca imaginei ter esse alcance com a minha história, fui seguindo o que a vida estava me propondo, eu não imaginava que a minha era tão extraordinária quanto depois que vi nas redes sociais”, conta Crislane.

A mudança mais recente da vida de Crislane foi o casamento com o desenhista e quadrinista Rodrigo Viana, que é o destaque na história publicada nas redes sociais. O post, feito há quase uma semana em uma rede social, conta com mais de 45 mil curtidas e 2,3 mil comentários.

Crislane comenta que desde jovem é inquieta e motivada a mudar. Em 2020, ela foi aprovada em um concurso para ser professora em Anápolis, mas como está no cadastro reserva, aguarda a convocação.

“Estava sempre buscando o que era melhor para mim, quando eu fui para o convento, eu acreditava que era um chamado de Deus. Eu tinha medo, mas ia assim mesmo”, explica.

Veja a linha do tempo de Crislane:

  • 2006: Saiu da zona rural de Caturaí e se mudou para Goianira;
  • 2007: Foi babá;
  • 2010: Ingressou no curso de ciências aeronáuticas, em Goiânia;
  • 2016: Decidiu se tornar freira e foi para um convento;
  • 2019: Deixou o convento e voltou para Caturaí, neste período trabalhou como feirante, vendeu terços na internet e deu aulas de reforço;
  • 2020: Deixou de ser feirante, passou um mês em Belém (PA) em busca de emprego e voltou para Goiás. Trabalhou como “faz-tudo” em um restaurante e dirigia como motorista de aplicativo. Ainda em 2020, foi professora em uma escola, mas após ser demitida ficou desempregada e foi aprovada em um concurso público em Anápolis;
  • 2021: Foi contratada como professora, promovida para coordenadora em uma escola em Goianira e se casou com Rodrigo.

 

 

Crédito: g1.globo.com

Em trabalho de parto, parlamentar da Nova Zelândia pedala até hospital para dar à luz

A membro do Parlamento da Nova Zelândia, Julie Anne Genter, pedalou até o hospital em trabalho de parto, no último domingo (28), e deu à luz uma hora depois.

“Boas notícias!” a política postou em sua página do Facebook algumas horas depois. “Às 3h04 desta manhã demos as boas-vindas ao mais novo membro de nossa família. Eu realmente não planejava pedalar em trabalho de parto, mas acabou acontecendo.”

A nação de 5 milhões de habitantes já tem uma reputação de políticos “pé-no-chão”. A famosa primeira-ministra Jacinda Ardern tirou licença maternidade enquanto estava no cargo e levou seu filho de três meses a uma reunião das Nações Unidas, pois ela ainda estava amamentando.

“Minhas contrações estavam indo bem quando saímos às 2 da manhã para ir ao hospital – embora elas estivessem entre 2-3 minutos e aumentando de intensidade quando chegamos, 10 minutos depois “, escreveu Genter.

“Surpreendentemente, agora temos uma criança saudável e feliz dormindo, assim como o pai dela”, disse Genter, cidadã neozelandesa-americana, que nasceu no estado norte-americano de Minnesota e se mudou para o Pacífico em 2006.

Genter – que é a porta-voz de seu partido para questões de transporte – também foi de bicicleta ao hospital em 2018 para dar à luz seu primeiro filho, disse a mídia local.

 

Crédito: www.cnnbrasil.com.br

26 anos depois, colombiano encontra assassino da filha em BH; homem está solto

Em janeiro de 2020, o colombiano Jaime Henrique Saade Cormane foi preso em Belo Horizonte, 24 anos depois de ter sido condenado em seu país natal por ter estuprado e matado a namorada de 18 anos, Nancy Mariana.

Porém, ele ficou na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana da cidade, por apenas nove meses, pelo crime cometido no país natal.

Ele foi libertado depois de receber alvará de soltura com revogação da prisão preventiva, expedido pela Justiça Federal. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp).

O paradeiro de Jaime Saade, que fugiu depois de ser condenado a 27 anos de prisão, foi encontrado pelo pai de Nancy, Martín Mestre. Ele chegou a fazer cursos de investigação e pesquisar intensamente as redes sociais. Jaime havia mudado o nome para Henrique dos Santos Abdalla e era procurado pela Interpol. A partir das pistas recolhidas por Mestre, a polícia conseguiu prendê-lo.

O caso ganhou repercussão após reportagem publicada pelo El País.

Segundo o processo, Nancy foi baleada, após ter sido violentada. Ela chegou a ser socorrida, mas morreu dias depois. O crime aconteceu em 1994, mas o julgamento só foi realizado dois anos depois. A defesa de Jaime chegou a dizer que Nancy se suicidou. Porém, a perícia descartou a alegação.

Extradição negada

Um pedido de extradição de Jaime para a Colômbia foi impetrado no Supremo Tribunal Federal. Ele foi negado em agosto de 2020. Em outubro deste ano, o caso transitou em julgado, ou seja, já não há possibilidade de recurso. Isso porque, segundo a legislação brasileira, o crime prescreveu.

Jaime ainda responde na Justiça Federal por falsidade ideológica e falsidade de documento público, já que usava nome falso. O g1 procurou o advogado do colombiano, mas, até a conclusão desta reportagem, não houve resposta.

Em carta aberta escrita ao STF, em março deste ano, Martín Mestre pedia que os juízes reconsiderassem sua decisão de negar a extradição de Jaime.

“No território brasileiro, capturou-se um assassino há um ano e pela decisão do Supremo do Brasil, Jaime Henrique Saade Cormane foi libertado. Peço ao máximo que estude a possibilidade de reconsiderar a decisão tomada e ordenar a captura de Saade Cormane para fins de extradição para a Colômbia, país onde cometeu o crime da minha filha Nancy Mariana Mestre Vargas”, disse Martín.

O g1 tentou entrar em contato com Martín Mestre e Jaime Saade, mas ainda não houve retorno.

Crédito: g1.globo.com