Homem ameaça matar a própria esposa e é preso em Silva Jardim

Um homem de 32 anos foi preso nessa quarta-feira (17), suspeito de ter ameaçado matar a própria esposa com golpes de faca e enxada, no bairro Cidade Nova, em Silva Jardim,  interior do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Civil, na delegacia, o homem confessou o crime.

De acordo com a Polícia Civil, os agentes localizaram o homem, em casa, depois que sua esposa foi até a 120º Delegacia Policial denunciar o caso. Em depoimento, a mulher afirmou que sofreu ameaças de morte, foi colocada para fora de casa com suas duas filhas pequenas, na frente de testemunhas.

As investigações revelaram ainda que o suspeito possui uma ficha criminal extensa, incluindo passagens por porte ilegal de armas, roubos, furtos, e ameaças. A reportagem não conseguiu contato com a defesa do preso.

 

Fonte: informerj

Operação contra o narcomilícia em São Gonçalo deixa 1 morto e mais de 15 pessoas presas

SÃO GONÇALO – Uma operação da Polícia Civil contra a narcomilícia, que acontece na nesta sexta-feira em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, deixou uma pessoa morta e outras 15 presas. A ação é no Complexo do Boaçu. De acordo com as investigações, a quadrilha atua no tráfico de drogas e em outras modalidades criminosas, como extorsões contra grandes fábricas, empresas e comércios da região e roubos de carga.

Outros crimes também identificados pela polícia são a exploração de transporte ilegal de passageiros e de sinal de TV e internet, comércio ilegal de gás e água e parcelamento do solo urbano. A Polícia Civil informou que identificou o chefe da quadrilha e também as principais frentes criminosas atuantes em diversas áreas do município.

Participam da operação agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), com o apoio de unidades do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

 

Fonte: rlagos.com

Belo é preso após ter feito show em escola no Complexo da Maré

cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, foi preso nesta quarta-feira (17) pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

artista é investigado pela realização de um show no sábado (13), no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, apesar das proibições devido à pandemia.

Como o evento foi em uma escola estadual do Parque União e não teve autorização das autoridades de Saúde, a polícia também investiga a invasão ao colégio. Segundo investigadores, as salas de aula do Ciep 326 – Professor César Pernetta foram utilizadas como camarotes.

‘É o que eu mereço’

A operação se chama “É o que eu mereço”, em referência a uma das músicas do cantor, que chegou à DCOD por volta das 15h30 desta quarta.

Na chegada, ele afirmou que precisa “saber o que está acontecendo enquanto achar que cantar e fazer musica é crime”. A reportagem procurou a assessoria de Belo, mas não havia obtido retorno até a última atualização desta reportagem.

Mulher de Belo, a modelo Gracyanne Barbosa postou um texto no Instagram. Ela argumentou que Belo “chega pela porta de trás nos locais de shows, vai direto ao camarim e entra no palco. Só em cima dele tem o contato e a noção do público”.

Gracyanne também afirmou que o cantor cumpre normas e testa a equipe contra a Covid-19. “Ele se preocupa com aglomerações e sempre reivindica quando se burla alguma regra deixando ele ou seus fãs em risco”, escreveu.

Após ter aberto inquérito para apurar as circunstâncias do show de Belo na Maré, a DCOD cumpriu nesta quatro mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão.

mandados de prisão

Uma das buscas foi na sede da produtora Série Gold, organizadora do evento, onde foram apreendidos equipamentos, a aparelhagem de som, documentos e veículos.

Os quatro mandados de prisão preventiva foram contra:

  • Marcelo Pires Vieira, o Belo, cantor – preso em Angra dos Reis, na Costa Verde;
  • Célio Caetano, sócio da produtora – preso em Macaé;
  • Henriques Marques, o Rick, também sócio da produtora – preso no Rio;
  • e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União – não havia sido detido até a última atualização desta reportagem.

Fonte: G1.globo.com

Região dos Lagos registram aglomerações em festas clandestinas

O fim de semana foi de muito trabalho para os agentes de fiscalização de algumas cidades da Região dos Lagos. Devido à pandemia da Covid-19, o carnaval deste ano foi cancelado, no entanto, mesmo com as determinações, festas com aglomerações foram registradas em, pelo menos, quatro cidades da região: São Pedro da Aldeia, Cabo Frio, Araruama e Búzios. Além de Maricá, onde também houve registros.

Em São Pedro da Aldeia, agentes encerraram uma festa clandestina de música eletrônica na manhã do domingo (14). De acordo a fiscalização, evento tinha aproximadamente 200 pessoas. As equipes chegaram ao local após denúncia de som alto durante a madrugada.

Os organizadores da festa, o proprietário do sítio e os responsáveis pelo equipamento de som foram conduzidos para a Delegacia Policial para aplicação das medidas cabíveis e multas pertinentes, segundo o município.

Evento clandestino em São Pedro da Aldeia, RJ, contava com estrutura de som  — Foto: Divulgação/Prefeitura de São Pedro da Aldeia

Na cidade, até o dia 22 de fevereiro, estão proibidos por decreto eventos com som que possam causar aglomerações de pessoas, além de concentrações e desfiles de agremiações, blocos carnavalescos ou atividades recreativas. As restrições também são válidas para as praias e áreas de uso comum em espaços públicos ou particulares.

Em Araruama, sete bares e casas noturnas foram notificadas sexta, sábado e domingo porque excederam os 50% de público ou porque passaram do horário de fechamento, às 23h.

Em Cabo Frio, a fiscalização encerrou festas e dispersou aglomerações neste fim de semana, segundo o município. Um dos eventos clandestinos aconteceu em uma casa no bairro Gamboa. No bairro da Passagem, bares foram fechados por extrapolarem o horário de funcionamento e provocarem aglomerações.

A Prefeitura de Cabo Frio disponibilizou os telefones da Guarda Municipal (22) 99722-8126 para irregularidades no trânsito, Turismo (22) 98181-2868 para festas e eventos clandestinos e Meio Ambiente (22) 99810-0396 para denúncia de poluição sonora.

Em Búzios, 11 festas foram paralisadas, sendo seis clandestinas e quatro em casas noturnas. Além disso, dez estabelecimentos foram notificados e três autos de infração emitidos. As comemorações nas casas noturnas estavam sendo realizadas com som alo, com pessoas sem máscaras e grande aglomeração, segundo a prefeitura. Os estabelecimentos foram fechados e multados com infração grave. Denúncias sobre aglomerações podem ser feitas por mensagem por aplicativo pelo número (21) 99671-6900.

Já em Maricá, a Operação Carnaval 2021 realizada pela secretaria de Ordem Pública e Gestão de Gabinete Institucional da cidade realizou, em três dias, 181 notificações de trânsito, sete veículos apreendidos, três conduções de pessoas a delegacia, além de 753 pessoas orientadas quanto as medidas de prevenção a Covid-19 e 55 atendimentos a Disk Secretaria de Ordem Pública (Seop).

Homens são presos ao tentar furtar agência bancária do BB em Silva Jardim

Dois homens de 28 e 38 anos foram presos na tarde da última segunda-feira (15), após tentar furtar uma agência bancária, em Silva Jardim, no interior do Rio. Segundo a Polícia Militar, com eles foi apreendido um dispositivo conhecido como “travinha”, utilizado para cometer os furtos aos caixas eletrônicos. Os presos e o equipamento apreendido foram levados para a 120ª Delegacia Policial, onde o caso foi registrado.

Segundo a PM, os agentes foram acionados por volta das 13h55 para a agência bancária, após uma denúncia de que suspeitos estariam no local tentando furtar os caixas eletrônicos. Ainda conforme a PM, com a chegada dos policiais, os criminosos ainda tentaram fugir, mas acabaram capturados. A PM informou que os bandidos relataram que são de São Paulo e fazem parte de uma quadrilha especializada neste tipo de crime.

A PM fez buscas na região para tentar encontrar um Toyota Corolla de cor preta, apontado pelos criminosos, e que estaria dando cobertura a eles, no momento da ação, mas o veículo não foi localizado. A polícia afirmou que os bandidos foram autuados por tentativa de furto e permaneceram presos. A reportagem tenta contato com a assessoria do Banco do Brasil, para obter mais informações sobre o caso.

 

Fonte: informerj