Prefeitura de Rio Bonito divulga nota sobre ‘revacinação’ e fala sobre responsabilização

A Prefeitura de Rio Bonito divulgou uma nota, nesta sexta-feira (30), em que alerta para a prática da “revacinação”, e suas responsabilizações legais. Segundo a publicação, a Secretaria Municipal de Saúde de Rio Bonito, através do Programa de imunização, alerta sobre o crime de revacinação. Pessoas procuram Unidades de Saúde para se imunizar com diferentes tipos de vacina contra a Covid-19, uma conduta que pode gerar responsabilidade cível e criminal por parte do “revacinado”, configurando fraude e dano moral coletivo, além de possíveis problemas de saúde. De acordo com a nota, está sendo feito um levantamento dos casos de “revacinação”, que serão encaminhados aos setores responsáveis.

“A ação segue a Recomendação Administrativa Nº 16/2021 do Ministério Público (MP) do estado do Rio de Janeiro. Segundo a equipe Sanitária, tal ato pode prejudicar a saúde e que não se sabe dos efeitos colaterais do ‘cruzamento ou sobreposição’ de doses de vacinas diferentes, além de comprometer o Plano Municipal de Vacinação com indivíduos já vacinados desviando doses que deveriam ser direcionadas ao restante da população ainda não agraciada pelo imunobiológico.

Informamos ainda que um levantamento dos casos de revacinação está sendo realizado através dos dados constantes dos sistemas informatizados e serão encaminhados ao setor responsável para acompanhamento de tais casos, bem como notificação ao Ministério da Saúde e Ministério Público para as devidas providências”.

 

 

Fonte: Secretaria de Comunicação Social

Projeto Lona na Lua distribui cestas básicas para mais de 1800 famílias de Rio Bonito

Uma ação social promovida pela parceria entre o projeto Lona na Lua e a organização movimento União Rio, tem feito diferença na vida de 1827 famílias de Rio Bonito desde maio deste ano. Cerca de 200 cestas são entregues toda segunda-feira na sede do projeto, no Centro de Rio Bonito. São quase 3 mil cestas já distribuídas até agora. Para mostrar essa ação, a Live da Folha dessa semana aconteceu diretamente da lona do projeto, onde o fundador e diretor do Lona, Zeca Novais, concedeu uma entrevista e explicou como funciona a iniciativa.

Por conta do bom trabalho prestado pelo projeto e respeito adquirido ao longo dos mais de 10 anos de Lona, o movimento União Rio escolheu a instituição de Rio Bonito para ser o veículo dessa ação que beneficia os riobonitenses. Para Zeca, contribuir também dessa forma com a população da cidade, é uma alegria imensa. “O Lona na Lua é conhecido por ser um espaço de arte e de educação, mas também um espaço de cidadania. Mas nesse momento tão difícil, que todo mundo está passando, a gente vê a necessidade de contribuirmos de alguma forma”.

O diretor explicou que as 1827 famílias passaram por um cadastro prévio para se torarem aptas a receberem as cestas. E toda semana, recebem um comunicado indicando a data que terão que comparecer na sede do Lona na Lua para buscarem a doação. Durante a live, foi mostrado como funciona o esquema de distribuição. As pessoas entram uma a uma apenas quando são liberadas na portaria após receberem uma senha. Na sequência, se acomodam nas cadeiras que ficam posicionadas com distanciamento até que seu número seja chamado. Tudo é documentado com fotos e as pessoas assinam o recebimento para uma prestação de contas à União Rio, que por sua vez também presta contas aos doadores.

Uma das beneficiadas é a moradora do Parque das Acácias, Terezinha Conceição. “Tenho três filhos e no momento não estou podendo trabalhar por causa do meu joelho, então essas cestas ajudam muito porque a situação está muito difícil, só com o Bolsa família não está dando. Isso aqui faz a diferença”, disse a dona de casa.

 

Quer doar? Saiba como

Durante a live, Zeca Novais explicou, que quem quiser doar cestas básicas para que o Lona na Lua distribua para as famílias, pode doar para o movimento União Rio – as informações para doação estão contidas no site movimentouniaorio.org – ou podem apenas entregar as cestas na sede do Lona na Lua (terreno do antigo DNR). Como as atividades presenciais estão suspensas no projeto por conta da pandemia, os interessados podem encontrar as portas fechadas, por isso, ele pede para que entrem em contato previamente à doação através do site lonanalua.org.br ou através das redes sociais. A cada R$ 67,00 doado para o movimento União Rio, uma cesta é entregue.

Movimento União Rio

O Movimento União Rio é um movimento voluntário da sociedade civil do Rio de Janeiro que reúne pessoas, empresas e organizações não governamentais com objetivo de preservar vidas. Atuando em duas frentes, levantando as principais demandas na área de saúde e na área de apoio às comunidades vulneráveis para reduzir os impactos da pandemia da Covid-19.

 

 

Lívia Louzada

Prefeito de Rio Bonito Leandro Peixe autoriza pagamento de 50% do 13º dos servidores

Na última segunda-feira (26), a Prefeitura de Rio Bonito anunciou que o prefeito Leandro Peixe autorizou a antecipação de 50% do pagamento do 13º salário dos funcionários da Prefeitura. A iniciativa, segundo o próprio Executivo, injeta aproximadamente R$ 4 milhões na economia do município. Ainda de acordo com a Prefeitura, o dinheiro está sendo disponibilizado primeiro para os funcionários da Secretaria de Educação e depois para as outras pastas.

A intenção, segundo o comunicado da Prefeitura, é amenizar o impacto causado pela pandemia na economia do município. “O compromisso da nossa gestão é com o povo e com os servidores que merecem sempre todo nosso respeito”, afirmou o prefeito Leandro Peixe.

 

Impacto no comércio

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Rio Bonito, André Goettert, vê a iniciativa da Prefeitura com bons olhos. “Sempre quando entra um dinheiro extra, isso acaba dando um resultado positivo no comércio, alavanca as vendas, bem como alguns usam para pagar dívidas, limpando seu nome no SPC. É muito positivo a iniciativa da Prefeitura antecipar o décimo terceiro salário, tenho certeza que os lojistas locais estão agradecendo muito ao prefeito Peixe”, avaliou.

Para o comerciante Cláudio Oliveira, empresário do ramo da construção civil, “qualquer dinheiro que for injetado, vai impulsionar a economia. Dinheiro que entra, proveniente de qualquer fonte, circula na farmácia, no comércio de vestuário, na construção”. Ele lembrou ainda que apesar de muitas pessoas terem ficado desempregadas nessa pandemia, o servidor público não foi atingido financeiramente, e em algumas famílias, essas pessoas são a única fonte de renda, por isso, podem usar o 13º salário também para pagar dívidas de familiares.

 

 

 

Lívia Louzada

Acidente na BR-101, em Rio Bonito, mata funcionário da Prefeitura de Itaboraí

Um acidente próximo ao Km 271, sentido Espírito Santo da BR-101, em Basílio, Rio Bonito, na tarde da última quarta-feira (28), fez uma vítima fatal. No carro, estavam Thiago Matos, de 34 anos, que morreu, e mais duas pessoas da mesma família – Não há informações sobre o estado de saúde dessas pessoas. Ele era funcionário da Secretaria de Desenvolvimento Social de Itaboraí e assessor do ex-vereador Marcos Araújo.

Segundo informações, o carro teria derrapado na curva acentuada que existe no local, após o assessor perder o controle do veículo, o que fez com que ele colidisse com um poste, que fica às margens da BR. No momento chovia bastante e a pista estava escorregadia, de acordo com pessoas que chegaram ao local logo depois do ocorrido.

Em nota publicada no perfil do Instagram, a Prefeitura de Itaboraí confirmou a morte do funcionário e lamentou sua partida. Em respeito a perda, a entrega da revitalização da Fonte dos Bambus, que seria realizada na última quinta-feira (29), foi adiada.  A nova data ainda não foi informada.

Rio Bonito deve vacinar pessoas de até 18 anos contra Covid-19 em agosto

A expectativa do município de vacinar até o final de agosto toda população a partir dos 18 anos, segue o Programa Nacional Operacional e o Calendário Único do Estado do Rio, mas depende que as doses sejam entregues como previsto, informa a coordenadora de imunização de Rio Bonito, Jane Lima. Ela conta que assim como no resto do Brasil, Rio Bonito tem enfrentado o problema de parte da população não estar voltando para tomar a segunda dose. Rio Bonito já vacinou aproximadamente 24.300 pessoas. Desse total, apenas cerca de 8.500 tomaram a 2ª dose. Esse número reflete dois casos, os que já poderiam ter tomado, mas não retornaram, e os que ainda não podem tomar por conta do prazo de espera. Esse número de imunizados representa quase 50% da população que está apta a se vacinar.

A coordenadora analisa que podem haver dois motivos para o baixo número de imunizados com a 2ª dose, o esquecimento e a reação à vacina. “Muitos esquecem. Por exemplo, a AstraZeneca e a Pfizer, tem o tempo de retorno de 12 semanas. Então é um tempo longo, por isso muitas pessoas esquecem, principalmente aqueles com mais idade. Alguns por apresentarem algum evento adverso na aplicação da 1ª dose, não querem fazer a 2ª dose, então a gente fica naquela fase do convencimento de atender aquele paciente. Por mais que a gente oriente na hora da aplicação que pode ter alguma reação, o paciente as vezes na hora de tomar a vacina não presta muita atenção no que a gente fala. Aí vai para casa, apresenta a reação, e depois não quer fazer a segunda dose”, avalia Jane.

Segundo ela, a Prefeitura faz o acompanhamento de quem ainda não tomou a 2ª dose através dos profissionais dos postos de saúde dos bairros. Ela explica que essas pessoas são cadastradas e os agentes de saúde fazem visitas para saber o motivo de não retornarem. A coordenadora informa ainda que quem tem um parente com problemas de mobilidade ou está acamado, pode se dirigir ao posto de saúde do seu bairro e comunicar para que uma equipe vá até a casa da pessoa e o imunize. Quem mora no Centro, na Região da Rua Pedro Colares, e no bairro Caixa D’Água, pode procurar o Centro Pediátrico Municipal Dr. Almir Branco, localizado no Centro da cidade.

 

Vacinação para quem não mora na cidade

A vacinação fora do município em que a pessoa mora é uma discussão em todo o Brasil. De acordo com Jane Lima, Rio Bonito está vacinando também pessoas que trabalham na cidade, mas para isso, é necessário levar um comprovante. “No início da campanha de vacinação, foi dado muita ênfase para que fossem vacinados os que trabalham conosco, embora morem em outro lugar, e os nossos moradores, por causa das doses recebidas. Agora, como já está todo mundo (os municípios) mais ou menos na mesma idade, no mesmo grupo, no momento da aplicação, a gente está pedindo comprovante de residência ou para levar comprovante do vínculo empregatício daqui”, orienta a profissional.

 

Calendário de vacina de Rio Bonito

Nas redes sociais, as pessoas têm se queixado sobre a divulgação “em cima da hora” do calendário de vacinação da semana. Sobre esse assunto, Jane explica que tudo tem a ver com a chegada das doses no município. “A gente pensa que colocar um calendário muito pra frente sem ter o número de doses já no município, seria muito complicado. A gente costuma fazer o calendário de acordo com o que a gente já tem. Recebemos vacina uma vez por semana, as vezes duas. Temos recebido semanalmente, mas em quantidade de doses pequenas, em alguns momentos recebemos mais. Já teve momento que recebemos 2 mil doses, mas as vezes recebemos pouco mais de 200”, explica ela.

 

Vacina da gripe

Em meio a campanha de vacinação contra Covid-19, outra vacina, popularmente conhecida como vacina da gripe, acabou caindo no esquecimento. Todos os anos, no primeiro semestre, principalmente idosos são o público-alvo da campanha. Mas este ano, o Ministério da Saúde determinou que pessoas a partir dos 6 meses de vida podem se imunizar contra a influenza.

Jane lembra que no ano passado a campanha superou as expectativas em Rio Bonito, e rapidamente o público alvo foi atingido. Mas neste ano, o cenário está diferente. “Ano passado foi muito bom porque rapidamente a gente conseguiu vacinar a população. Muitos acreditavam que a vacina da influenza teria alguma relação com a da covid, mas nesse ano nós tivemos dificuldade porque chegou em um momento em que os pacientes tinham que fazer a segunda dose da covid, e estavam iniciando a vacina contra influenza. Como a vacina da covid está com um intervalo mínimo de 14 dias para (se vacinar com) qualquer vacina do calendário básico, deu uma complicada para a gente atingir esse público da influenza”.

A vacina da gripe, assim como todas as vacinas do calendário base para crianças, adolescentes e adultos, estão disponíveis no Centro Pediátrico Municipal Dr. Almir Branco, no Centro da cidade.

 

 

Lívia Louzada