Rio de Janeiro: Fiscais fecham festa com mais de duas mil pessoas na Zona Oeste

Fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública fecharam uma rave em Vargem Grande, na Zona Oeste da cidade do Rio, na noite de domingo (28). O evento contava com cerca de 2 mil pessoas e acontecia em uma pousada.

No início da manhã desta segunda-feira (29), imagens do Globocop mostraram cenas de aglomeração no fim de uma festa no Parque União, no Complexo da Maré.

Muitas pessoas ocupavam mesas no meio de uma das ruas da comunidade, praticamente todas elas sem máscara de proteção facial.

As imagens ainda mostraram um homem armado com fuzil circulando entre as pessoas.

Apesar da ampliação das medidas de restrição, o fim de semana foi marcado por festas e algumas pessoas insistiram em ficar nas praias.

No bairro de Colégio, na Zona Norte, um outro evento foi fechado com 150 pessoas. A Vigilância Sanitária multou o responsável pela festa.

Na Taquara, Na Zona Oeste, os fiscais estiveram em um sítio e fecharam uma festa na piscina com 300 pessoas. Os organizadores terão que pagar uma multa.

Fonte: g1,globo.com

São Gonçalo: Prefeitura interrompe evento com quase mil pessoas

Após receber denúncias de aglomeração e realização de evento irregular, a prefeitura de São Gonçalo interrompeu um evento em um bar na Avenida Doutor Eugênio Borges, no bairro Engenho do Roçado. A ação foi realizada de forma conjunta entre Secretaria de Ordem Pública e Vigilância Sanitária, com apoio da Guarda Municipal e Polícia Militar, na madrugada de sexta-feira para sábado (27). O estabelecimento foi interditado.

As equipes da prefeitura flagraram cerca de mil pessoas no local. Houve princípio de tumulto e correria de participantes do evento, que estavam aglomerados e sem máscara, descumprindo as medidas restritivas previstas no decreto municipal 108/2021, com normas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. O espaço onde acontecia o evento chegou a ser demarcado com cercas, além de utilizar tendas, mesas e cadeiras na frente do estabelecimento.

“Vivemos um momento em que precisamos preservar vidas. Por determinação do prefeito Capitão Nelson, seguiremos com as ações de fiscalização para combater aglomerações e eventos irregulares durante a vigência do decreto”, disse o secretário de Ordem Pública, Major David Ricardo.

Além do descumprimento das medidas sanitárias, o estabelecimento funcionava em horário proibido pelo mesmo decreto, que prevê funcionamento de bares com atendimento presencial no horário de 11h às 21h e também proíbe  a realização de eventos que envolvam aglomeração de pessoas. O estabelecimento foi interditado e o responsável pelo bar foi notificado pela Vigilância Sanitária, pelo descumprimento do decreto. A subsecretaria de Fiscalização de Posturas apreendeu bancos, mesas e cadeiras que estavam de forma irregular em via pública.

A Prefeitura dará continuidade às ações de fiscalização e conscientização para garantir o cumprimento do decreto, em operações integradas entre agentes das secretarias de Saúde e Defesa Civil, Ordem Pública, Transportes e Meio Ambiente.

 

 

 

Fonte: osaogoncalo

 

Cabo Frio: Donos de bares e restaurantes fazem protesto contra redução do horário de funcionamento do setor

Donos e funcionários de bares e restaurantes de Cabo Frio, fizeram um protesto contra uma regra do novo decreto em frente a sede da Prefeitura nesta quinta-feira (18). Publicado na última segunda-feira (15), o documento estabelece, entre outras medidas, que bares, restaurantes, lanchonetes e similares encerrem as atividades até as 22h.

O protesto começou por volta das 16h e contou com a presença de cerca de 250 pessoas.

De acordo com os manifestantes, a redução do horário de funcionamento representa uma queda de 30% no faturamento.

A categoria alega que toda vez que alguma restrição é estabelecida o setor deles, que já vem de um ano de muita dificuldade, é o primeiro a ser prejudicado. O grupo pede para que o município reveja a medida, permitindo que o setor possa trabalhar de domingo a quinta-feira até as 23h e de sexta-feira a sábado até as 0h. Além de se comprometer a seguir as regras de distanciamento social.

O grupo também pede para que o município inclua um representante do setor no Comitê Executivo de combate ao coronavírus.

As mudanças de horário propostas pelo setor, no entanto, vão contra outra medida estabelecida em decreto: a que proíbe a permanência de pessoas nas vias, áreas e praças públicas do município no horário das 23h às 5h.

Um representante dos manifestantes foi recebido na Prefeitura.

Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio informou que o decreto foi elaborado com base no quadro epidemiológico atual do município, que tem registrado aumento de casos positivos da Covid-19, aumento da taxa de ocupação de leitos hospitalares e aumento no número de mortes causadas pelo coronavírus.

“A implementação de regras mais rígidas se justifica pelo fato de que, do dia 9 de março até esta quinta-feira (18), a taxa de ocupação de leitos de UTI no município saltou de 55% para 86%, ou seja, um crescimento de 37% em pouco mais de uma semana”, alertou a Prefeitura.

O município ainda ressaltou a importância do cumprimento de protocolos sanitários para que o cenário epidemiológico possa mudar.

“Mesmo compreendendo os impactos econômicos, o Comitê Executivo de combate ao coronavírus destaca que o número de mortes só irá diminuir com o cumprimento das medidas de proteção, principalmente o isolamento social, a proibição de aglomerações, o uso de máscaras de proteção facial e a higienização das mãos com álcool em gel”.

A Prefeitura de Cabo Frio ainda alertou, em nota, que as medidas podem ficar ainda mais rígidas caso os índices da Covid-19 na cidade não diminuam.

“a continuação dos índices alarmantes de ocupação de leitos poderá acarretar em medidas ainda mais duras de saúde pública, com o objetivo de preservar a vida dos moradores e evitar um colapso no sistema municipal de Saúde”, finalizou.

Fonte: g1.globo.com

Fiscalização em Rio das Ostras encerra eventos e fecha estabelecimentos com aglomerações

A Prefeitura de Rio das Ostras está trabalhando incansavelmente, todos os dias, para garantir o cumprimento do novo decreto municipal e assim diminuir a propagação do corona vírus. No último fim de semana, as operações realizadas pela Coordenadoria Geral de Fiscalização e Postura (Comfis), com apoio do Grupamento de Operações Especiais (GOE) da Secretaria de Segurança Pública e da Polícia Militar, terminaram com festas abertas ao público, que estão proibidas, e dispersou aglomerações de pessoas em bares e restaurantes.

Segundo o novo decreto, restaurantes, bares e similares devem manter o distanciamento e seguir as demais normas sanitárias, não sendo permitidas aglomerações no interior e nas calçadas dos estabelecimentos. O funcionamento deve ser até 23 horas. Para o comércio em geral, o horário de atendimento é das 10h às 19h. O decreto também estabeleceu a proibição de circulação de pessoas e veículos entre meia-noite e 6h, salvo em razão de trabalho e atividades essenciais.

Foram fechados estabelecimentos que não seguiram as normas do decreto e esses terão suas atividades suspensas por 30 dias. Se descumprirem a ordem e reabrirem antes do prazo, os proprietários serão conduzidos à delegacia e autuados. A fiscalização é realizada pela Comfis, órgão ligado à Secretaria de Fazenda de Rio das Ostras.

Os fiscais foram informados sobre alguns desses eventos e aglomerações por meio de denúncias. Quem quiser colaborar com o cumprimento do decreto para conter a propagação da Covid-19 no Município, pode denunciar irregularidades observadas pelos telefones da Comfis – (22) 2760-6891 (das 9h às 17h) – e da Guarda Civil Municipal – (22) 2760-6236 ou 0800 022 6301 (24h).

Cabo Frio: Oito estabelecimentos são fechados por descumprir decreto

Oito estabelecimentos foram fechados na noite deste sábado 13 de Março, por descumprir decreto com medidas de restrições, em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio.

Quatro estabelecimentos foram multados e interditados, sendo três no Boulevard Canal e um na Avenida Nilo Peçanha. Os agentes flagraram aglomeração e descumprimento quanto ao uso de máscaras de proteção, dois locais também não apresentaram licença sanitária.

Quatro quiosques na Praça de São Cristóvão, foram fechados, eles estavam abertos além do horário permitido.

A ação foi realizada pelas Secretarias de Saúde e Meio Ambiente, equipes da Ronda Ostensiva Municipal da Guarda Civil e com apoio da polícia militar.

Fonte: g1.globo.com