Belo é solto após prisão por aglomeração em show no Rio

O cantor Belo deixou a Polinter às 11h20 desta quinta-feira (18) e não falou com a imprensa, apósser preso por aglomeração durante o show que aconteceu no último sábado (13) no Complexo da Maré, na zona norte do Rio.

O desembargador Milton Fernandes de Souza, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), aceitou o pedido de liberdade apresentado pela defesa do cantor.

“Os elementos trazidos aos autos indicam, conforme parecer do Ministério Público de 1º Grau, que não havia a urgência qualificada necessária para a decretação de prisão preventiva em sede de plantão judiciário. De qualquer forma, o juízo natural irá apreciar a questão com maiores elementos de convicção. Por tais fundamentos, defiro a liminar. Expeça-se alvará de soltura, se por outro motivo não estiver preso”, determinou Fernandes.

A polícia ainda apura a invasão ao colégio público onde foi realizada a apresentação, sem a autorização da Secretaria estadual de Educação. Nas imagens, as salas de aulas foram utilizadas como camarotes no evento.

Na operação, chamada de “É o que eu mereço”, foram cumpridos três mandados de prisão preventiva e cinco de busca em apreensão. Além do cantor, dois sócios da produtora responsável pelo evento também foram detidos.

 

 

Fonte: noticias.r7.com

 

 

 

 

Belo é preso após ter feito show em escola no Complexo da Maré

cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, foi preso nesta quarta-feira (17) pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

artista é investigado pela realização de um show no sábado (13), no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, apesar das proibições devido à pandemia.

Como o evento foi em uma escola estadual do Parque União e não teve autorização das autoridades de Saúde, a polícia também investiga a invasão ao colégio. Segundo investigadores, as salas de aula do Ciep 326 – Professor César Pernetta foram utilizadas como camarotes.

‘É o que eu mereço’

A operação se chama “É o que eu mereço”, em referência a uma das músicas do cantor, que chegou à DCOD por volta das 15h30 desta quarta.

Na chegada, ele afirmou que precisa “saber o que está acontecendo enquanto achar que cantar e fazer musica é crime”. A reportagem procurou a assessoria de Belo, mas não havia obtido retorno até a última atualização desta reportagem.

Mulher de Belo, a modelo Gracyanne Barbosa postou um texto no Instagram. Ela argumentou que Belo “chega pela porta de trás nos locais de shows, vai direto ao camarim e entra no palco. Só em cima dele tem o contato e a noção do público”.

Gracyanne também afirmou que o cantor cumpre normas e testa a equipe contra a Covid-19. “Ele se preocupa com aglomerações e sempre reivindica quando se burla alguma regra deixando ele ou seus fãs em risco”, escreveu.

Após ter aberto inquérito para apurar as circunstâncias do show de Belo na Maré, a DCOD cumpriu nesta quatro mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão.

mandados de prisão

Uma das buscas foi na sede da produtora Série Gold, organizadora do evento, onde foram apreendidos equipamentos, a aparelhagem de som, documentos e veículos.

Os quatro mandados de prisão preventiva foram contra:

  • Marcelo Pires Vieira, o Belo, cantor – preso em Angra dos Reis, na Costa Verde;
  • Célio Caetano, sócio da produtora – preso em Macaé;
  • Henriques Marques, o Rick, também sócio da produtora – preso no Rio;
  • e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União – não havia sido detido até a última atualização desta reportagem.

Fonte: G1.globo.com

Filha do cantor Belo é presa sob a acusação de integrar uma quadrilha especializada em golpes por meio eletrônico

A prisão da filha do cantor Belo, Isadora Alkimin Vieira, de 21 anos, na quarta-feira, sob a acusação de integrar uma quadrilha especializada em golpes por meio eletrônico, relembra um passado que o cantor gostaria de esquecer. O músico que se disse “arrasado” pelo que ocorreu, foi condenado há 18 anos, sob a acusação de associação com tráfico de drogas. Belo recebeu perdão judicial em 2010.

Belo, que tem outros três filhos, se disse “muito surpreso e arrasado” com a prisão da caçula, que é estudante de Odontologia.

—Eu não sabia de absolutamente nada, falei com ela semana passada por telefone e ainda perguntei de tudo, da faculdade e tal. Dei sempre todo suporte como pai, pensão, faculdade, educação e amor. Me sinto muito triste e quero ser respeitado nesse momento — disse o cantor.

O músico foi condenado no dia 30 de dezembro de 2002 a seis anos de prisão, com direito de aguardar o julgamento do recurso em liberdade. O Ministério Público, então, apresentou recurso e os desembargadores da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio aumentaram a pena do cantor para oito anos e expediram novo mandado de prisão, em dezembro de 2003. Belo foi preso em novembro de 2004. Ele estava escondido dentro de casa, na Zona Oeste do Rio, num quarto com paredes falsas. O cantor passou três anos e oito meses na cadeia.

‘Sou e sempre fui inocente’: Belo abre o jogo e fala pela primeira vez sobre a prisão

As suspeitas envolvendo Belo com traficantes surgiram a partir de grampos telefônicos, que revelaram conversas entre ele e Waldir Ferreira, o Vado, apontado como gerente do tráfico na favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio.

Na conversa, o homem pede a Belo R$ 10 mil para comprar o que chamava de “tecido fino”, que seria, segundo a polícia, uma gíria para cocaína. Belo pedia em troca um “tênis AR”, que seria, ainda de acordo com a polícia, um fuzil AR-15. A passagem pela cadeia foi marcada por contantes pedidos de liberdade condicional revogados e novamente concedidos pela Justiça.

Belo evita falar sobre o período preso, mas durante entrevista ao programa “Conversa com Bial”, em 2019, afirmou que era inocente e que não acreditava que seria preso. O cantor contou que, enquanto preso, apenas lia e cantava, e muitas vezes julgou que “a vida e carreira tinham acabado ali”.

“Eu não acreditei realmente que eu seria preso, até porque a prova material era muito pequena e até por causa de outras coisas da época também. Eu não acreditava! Eu não cometi crime nenhum. Falei com um cara!(…) Cumpri o que foi determinado. Saí de cabeça erguida, dei a volta por cima por causa dos meus fãs”, ressaltou.

O período detido também foi uma reviravolta na vida pessoal do cantor, que se separou de Viviane Araújo e engatou um relacionamento com Gracyanne Barbosa, com quem é casado até hoje.

 

Fonte: extra.globo.com