Secretaria de Agricultura oferece crédito a produtores de uva

Comum na mesa dos brasileiros, especialmente nas festas de fim de ano, a uva recebe tratamento especial da Secretaria de Estado de Agricultura. Para incentivar a produção da fruta, a secretaria oferece aos produtores o programa Frutificar, um dos segmentos do Agrofundo, que disponibiliza linha de crédito com juros baixos. Anualmente, a fruta vem apresentando aumento da produção e, em 2020, foram cultivadas mais de 90 toneladas de uva.

– A cultura de uvas no nosso estado vem ganhando cada vez mais espaço na zona rural, e a Secretaria vem trabalhando para buscar novas alternativas para aumentar a rentabilidade dos produtores, por meio da disponibilização de linhas de crédito via Agrofundo, além de dar apoio técnico para garantir a excelência na qualidade do produto – ressaltou o secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz.

Para Denilson Caetano, técnico responsável do programa Frutificar, as expectativas de aumento de venda nesta época do ano são altas.

– Passamos por um período delicado com a pandemia. Agora, por ser um momento festivo, há uma grande procura pelo produto com preços melhores. Vale ressaltar que, com os recursos do programa, os produtores tiveram a complementação da renda, pagaram dívidas, e alguns ampliaram e investiram em suas lavouras – afirmou.

O aumento da produção da uva e a rentabilidade que a fruta traz são comemorados por produtores. É o caso do produtor Leandro Souza Crespo, de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Ele entrou no programa Frutificar no ano passado e hoje cuida de 200 pés de uva.

– O investimento do Frutificar ajudou bastante na minha produção. Estamos na primeira colheita e com a ajuda do programa consegui obter bons retornos. Também tivemos o total apoio dos técnicos responsáveis. É muito gratificante ter esse retorno – disse.

Benefícios da uva

A uva é fonte de vitaminas A, C e K. A fruta apresenta teores significativos de fibra alimentar, que auxiliam na promoção da saciedade e no bom funcionamento do trânsito intestinal.

– Podemos destacar diversas propriedades como a capacidade antioxidante e os efeitos cardioprotetor e anti-inflamatório, presentes principalmente na casca. Além de ser rica em ácido elágico, a fruta tem um composto que é relacionado com a redução do risco de câncer no intestino e no esôfago. Também reduz o estresse oxidativo e previne doenças cardiovasculares, além de outras doenças crônicas – explicou Tatiana Novo, nutricionista da Secretaria de Agricultura.

 

Fonte: rj.gov.br

Metrô do Rio começa aceitar pagamento com cartão de crédito

As pessoas que pegam metrô na cidade do Rio de Janeiro já podem contar com ajuda da tecnologia para evitar filas. A concessionária MetrôRio, que transporta 900 mil passageiros por dia, passa a aceitar pagamento por aproximação, nas catracas, feito por cartão de crédito, aparelho de celular, pulseira ou relógio com a tecnologia NFC (Near Field Communication).

A ideia é que o passageiro não precise comprar ou recarregar bilhete do metrô, um sufoco para turistas, por exemplo. Basta, agora, aproximar o dispositivo com a tecnologia NFC direto em uma das catracas adaptadas em qualquer das 41 estações do metrô. Com isso, a cobrança das passagens é feita direto no cartão para ser paga junto com a fatura.

A novidade, por enquanto, só funciona para quem tem cartão de crédito da bandeira Visa, emitido pelos bancos Banco do Brasil ou Bradesco, ou celular, com tecnologia NFC – há uma série de aplicativos online que habilitam esta função. Quem não tem o cartão, precisa entrar em contato com a agência e pedir um novo. No Banco do Brasil, 200 mil clientes já estão aptos a usar a nova tecnologia que virá, automaticamente, nos novos cartões.

No caso dos celulares, o app de pagamento funciona como uma carteira digital, que guarda dados do usuário e pode ser instalado em celulares de todos os sistemas operacionais. O aparelho pode estar off line, mas é preciso que tenha o mínimo de bateria para funcionar.

De acordo com o presidente da MetrôRio, a novidade permite que o cliente ganhe tempo e que a concessionária economize com o custo operacional, tornando-a “mais digital possível”. “Queremos oferecer conveniência e praticidade”, ressaltou Guilherme Ramalho. “A mobilidade urbana deve ser cada vez mais integrada e fácil”, disse o executivo.

O metrô do Rio Janeiro é o primeiro do mundo a usar esse tipo de tecnologia, desenvolvida pela bandeira Visa, para pagar por NFC sem que seja necessário trocar todas as catracas.

A estimativa dos bancos é que cada vez mais pessoas substituam dinheiro por cartões e carteiras digitais. A tecnologia NFC já é aceita em 3 milhões de estabelecimentos no país, mas para quem preferir o antigo sistema, o metrô continua a aceitar pagamentos no guichê e em máquinas, nas estações, para quem quer pagar com dinheiro ou cartão. A nova modalidade é apenas mais uma opção.