Mãe do cantor gospel Delino Marçal é morta após agressão na porta de igreja em Goiânia

A mãe do cantor gospel Delino Marçal foi morta após ser agredida na porta da igreja Assembleia de Deus, nesta sexta-feira (14), em Goiânia. A Polícia Civil apurou que o suspeito, de 22 anos, invadiu o templo e começou uma briga com um homem. Depois, ele agrediu a idosa com um objeto de metal. Ele foi preso em flagrante.

O nome do suspeito não foi divulgado pela polícia. Por isso, o g1 não localizou a defesa para se manifestar sobre o caso até a última atualização desta reportagem.

De acordo com a Polícia Civil, a idosa foi identificada como Odete Rosalina Machado da Costa, de 79 anos. Ela era pastora na igreja onde foi morta.

O boletim de ocorrência narra que a idosa foi encontrada na calçada.

“O autor teria se envolvido em uma briga com parentes e logo após saiu para rua. Ele entrou na igreja e iniciou uma briga com um homem. Logo em seguida, teria acertado a vítima com vários golpes usando um objeto de metal”, diz trecho do boletim de ocorrência.

O Corpo de Bombeiros compareceu ao local, porém a vítima não resistiu a agressão.

Segundo a polícia, o homem fugiu do local após agredir a idosa e começou a jogar pedras em ônibus do transporte coletivo.

 

Quem é Delino Marçal

Delino Marçal é cantor e compositor conhecido nacionalmente. Entre suas canções que fizeram muito sucesso estão “Deus é Deus”, “Sonho Grande” e “Que amor é esse”. O artista, antes de seguir carreira solo, fez músicas para cantores renomados como Henrique César, Elias Souza, dentre outros.

Em 2019, Delino Marçal venceu o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa.

 

Crédito: g1

Morta a marretadas pelo ex-marido estava separada há quatro meses e sofria ameaças, afirmam familiares

Mesmo separada há quatro meses, a orientadora de trânsito Bruna Araújo de Souza, de 31 anos, temia pela sua vida e de sua filha mais velha, de 17 anos. O motivo, segundo familiares, eram as constantes ameaças que sofria do ex-marido, Haroldo da Silva Amorim, de 41 anos. Nesta quinta-feira, seu maior medo se concretizou. Ela foi morta a tiros e golpes de marreta pelo ex-marido, na residência onde viveu com ele, no bairro Rio do Ouro, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Em seguida, Haroldo furtou um carro, fugiu e se jogou da Ponte Rio-Niterói. Ele também não resistiu. Segundo a polícia, ele teria cometido o crime por não aceitar o fim da relação

— Ele ameaçava ela e a filha, de 17 anos. Nunca prestou. Xingava ela de tudo quanto era nome, na frente de todo mundo, só tratava ela mal. Ele já estava atrás dela com armas dizendo que, se ela não ficasse com ele, iria matá-la. Essas ameaças eram frequentes. Vivia perseguindo ela — contou uma prima que preferiu não se identificar.

O casal ficou junto por 14 anos e teve uma filha, hoje com 12. A familiar contou que Bruna não tinha rede social por imposição do ex-marido. Após separar-se de Haroldo, Bruna foi morar com familiares em Inoã, em Maricá. Há seis meses, trabalhava como orientadora de trânsito na Secretaria de Trânsito de Maricá (Sectran). Mesmo distante, vivia com medo.

— Era linda, só viva sorrindo. Por quatro meses, viveu os dias mais felizes da vida dela. Hoje (nesta quinta-feira), ele mandou uma mensagem para ela ir na casa deles pegar as coisas dela. Disse que iria trabalhar e não estaria em casa. Quando ela chegou lá, foi uma armadilha. Ele estava com duas arma que ele vendeu o carro para comprar e matá-la. Fez tudo pensado — revelou a familiar.

De acordo com policiais militares do 7ºBPM (São Gonçalo), uma equipe foi acionada por populares e isolou a área. Bombeiros de Itaipu também foram ao local, por volta de 10h15, mas Bruna já estava morta. A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí investiga o caso.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Haroldo se jogou do chamado Vão Central da Ponte Rio-Niterói. Ele chegou a ser levado em estado grave para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, mas não resistiu.

 

Crédito: Jornal Extra

Homem é preso acusado de matar ex-companheira na noite de Natal

Policiais civis da 105ª DP (Petrópolis) capturaram, neste sábado (25/12), um homem acusado de crime de feminicídio. Ele foi detido na localidade de Moinho Preto, naquela cidade, menos de 24 horas após matar a ex-companheira durante a noite de Natal.

De acordo com com os agentes, na noite de sábado (24/12), o acusado foi à residência de Fernanda Maria Leal Damas, 34 anos, no bairro da Mosela, na tentativa de se reconciliar com a ex-companheira. Com a recusa, o autor invadiu o imóvel e agrediu a vítima com socos, pontapés e golpes letais em várias partes do seu corpo. Ele usou, ainda, um objeto pontiagudo.

Após diligências ao longo da madrugada, os policiais coletaram provas, identificaram testemunhas do crime, imagens de monitoramento, bem como outras evidências da autoria.

A autoridade policial representou pela prisão do criminoso junto ao plantão judiciário. No início da tarde desta sábado, os agentes da 105ª DP, em conjunto com policiais militares do 26º BPM, localizaram o homem. Ele também foi autuado em flagrante por tráfico de drogas, uma vez que estava com quantidade significativa de material entorpecente.

Crédito: www.osaogoncalo.com.br

Estudante de 23 anos foi torturada e mantida em cárcere privado durante três dias na Baixada Fluminense

“Foram três dias e três noites de tortura.” O relato é da estudante X., de 23 anos, que foi mantida em cárcere privado em uma casa em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, pelo homem com quem se relacionava há 2 meses. Acusado do crime, Ueligton Silva do Nascimento, de 40 anos, foi preso na última segunda-feira (6), por policiais da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Duque de Caxias.

Antes de se relacionar com o agressor, a vítima foi casada por cinco anos com um homem com quem teve dois filhos, hoje com 4 e 2 anos. Na época, Ueligton era vizinho do casal. Ela acabou seduzida por ele e decidiu largar o marido para iniciar um novo romance.

— Meu relacionamento estava desgastado, não tinha mais vida. Foi quando ele apareceu e eu acabei me encantando — afirma a jovem.

Com o tempo, no entanto, ela passou a se incomodar com os hábitos do homem, que segundo ela é usuário de drogas e consome bebida alcóolica em exagero. Arrependida do que fez, a estudante enviou uma mensagem de áudio a uma amiga dizendo que queria reconstruir sua família.

— Eu disse a ela que estava sentindo falta da família,porque como eu tinha tranquilidade em casa, uma paz — conta.

Ueligton ouviu a mensagem e ficou furioso. No último dia 29, por volta das 17h, segundo a vítima, ele deu início às agressões. Também trancou a porta e colocou lençóis nas janelas para que os vizinhos não vissem o que estava ocorrendo no interior da casa.

— Ele me deu socos, pontapés, usou uma faca para me furar. Também jogou meu filho contra a parede. Ele está traumatizado — diz a vítima.

Por causa dos hematomas, ela não consegue abrir o olho esquerdo e teme perder a visão. A estudante só conseguiu sair da casa na quarta-feira, quando uma prima do agressor foi até a casa e percebeu o que estava acontecendo.

De acordo com a delegada Fernanda Fernandes, titular da Deam de Duque de Caxias, a jovem procurou a unidade especializada na noite de quinta-feira para denunciar o caso.

— No dia seguinte, após diligências, foi representada pela prisão temporária e, desde esta data, o autor já foragido, vinha sendo procurado pela Polícia, sendo preso na data de hoje (ontem, segunda-feira), após trabalho de inteligência da Equipe da Deam Caxias — afirma a delegada.

O acusado vai responder pelos crimes de tortura e cárcere privado, e pode pegar até 13 anos de cadeia.

 

Crédito: extra.globo.com

 

Suspeito de tentativa de feminicídio em São Gonçalo entra para lista de procurados do Disque Denúncia

O Portal dos Procurados lança um cartaz para ajudar na localização do comerciante suspeito de uma tentativa de feminicídio contra uma funcionária. O episódio aconteceu no dia 11 de setembro em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

Alexsandro da Silva Menezes é considerado foragido. De acordo com as investigações, a estudante Nathalia Assis, de 19 anos, foi baleada na barriga já que não quis manter um relacionamento com ele.

A jovem chegou a ficar três dias internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Estadual Alberto Torres.

 

Crédito: bandnewsfmrio.com.br