Maricá imuniza mais de 19 mil animais contra a raiva

A Prefeitura de Maricá registrou a marca de mais de 19 mil (precisamente 19.476) cães e gatos imunizados contra raiva, ao encerrar no sábado (22/01) a Campanha de Vacinação Antirrábica Animal de 2022, que ocorreu em dois dias — 15 e 22 de janeiro. 

A ação terminou em Inoã e Itaipuaçu (3º e 4º distritos), onde 17 polos estiveram em funcionamento no sábado e 7.527 animais receberam o imunizante aplicado pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde.  

Vacinação é essencial no combate à raiva 

A raiva é uma doença gravíssima que apresenta quase 100% de letalidade e pode ser transmitida no meio urbano por cães e gatos contaminados pela saliva ou mordida. Em Maricá, há décadas não há registro de casos da doença em animais ou humanos, graças à adesão anual da vacinação. 

A imunização é direcionada para caninos e felinos (entre machos e fêmeas), saudáveis e fora do estado gestacional, que tenham três meses de idade ou mais. 

Campanha no Centro e Ponta Negra 

A campanha teve grande adesão da população já no primeiro dia. Em 15/01, 33 postos de vacinação estiveram em funcionamento no Centro e em Ponta Negra (1º e 2º distritos de Maricá), vacinando 11.949 animais contra a raiva. 

Eduardo Paes prefeito eleito do Rio diz que espera começar com a imunização em janeiro de 2021

O prefeito eleito do Rio, Eduardo Paes, disse, durante live nesta quinta-feira, que espera começar a imunização no município em janeiro do ano que vem. Sem dar detalhes sobre qual seria a vacina, ele afirmou que provavelmente na próxima semana dará mais detalhes do plano que tem para combater a pandemia no Rio.

“Se Deus quiser, em janeiro, a gente começa a vacinar. Vamos priorizar pessoal da Saúde, priorizar servidor da Educação para que a gente possa voltar a ter aula para as nossas crianças. Quer dizer, tem um conjunto de desafios importantes, mas que eu tenho a certeza que, sem a parceria da população, é impossível”, comentou Paes.

Sobre um possível lockdown, Eduardo manteve o discurso de que não acredita na medida e que a saída é gerar consciência na população. “Acho que não tem mais espaço para isso (lockdown), mas as pessoas têm que ter compreensão. Pessoas mais velhas têm que fazer seu ‘autolockdown’, ficar em casa. Não dá para ficar sassaricando por aí”, finalizou.

Casos em alta no Rio

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro informou que registrou, até esta quarta-feira (16), 395.386 casos confirmados e 24.109 óbitos por coronavírus no estado. Nas últimas 24h, 222 novas mortes foram contabilizadas, além de 4.036 infecções pela doença. Há ainda 303 óbitos em investigação e 2.444 foram descartados. Entre os casos confirmados, 364.580 pacientes se recuperaram do coronavírus.

 

Fonte: odia.ig.com.br