Modelo é assediada por hóspede de hotel no interior de SP; veja o vídeo

A modelo Samen dos Santos foi vítima de assédio sexual em um hotel de Araçatuba (SP). Ela gravou um vídeo no qual é possível escutar um homem dizendo: “estou louco para fazer amor com você” (veja acima).

A gravação foi feita na última quarta-feira (13), após o hóspede que aparece nas imagens enviar funcionários do hotel para conversar com a profissional.

Samen mora no Rio de Janeiro, mas viajou a Araçatuba para participar da campanha de uma marca. Ela conta que começou a ser incomodada pelo homem depois de voltar de uma corrida.

“O senhor falou bem alto para todo mundo escutar ‘nossa, como você é linda’. Falei ‘obrigada’ e desejei boa tarde para todos”, disse.

Logo depois, um funcionário abordou a modelo e disse que o hóspede estava interessado nela, e que pagaria tudo que ela quisesse. Mesmo depois de recusar todas as ofertas, o funcionário voltou a incomodar Samen.

“Ele veio e disse ‘moça, você não quer nada? O senhor ali falou que está muito interessado em você, que é dono de fazendas da região, que é muito rico e perguntou qual era seu preço’. Ele perguntou exatamente com essas palavras ‘quanto você quer?'”

A modelo ficou indignada com as perguntas feitas pelo funcionário e deixou claro que estava incomodada com a situação.

“Falei que estavam me deixando desconfortável. Ele me respondeu ‘não posso não vir falar contigo, porque o hóspede é uma pessoa importante, é um hóspede importante aqui na cidade. Ele está na suíte principal aqui do hotel. Se eu não fizer o que ele pedir, ele vai ficar bravo'”, conta a modelo.

Logo após a conversa, Samen foi abordada pelo homem na área da piscina e decidiu gravar o vídeo. Ela contou o que tinha acontecido para os contratantes e mudou de hotel.

Em nota, o Mariá Plaza Hotel disse que repudia todo e qualquer ato de assédio.

 

Crédito: g1

Covid-19: Rio já vive explosão de casos no interior do estado

Depois de se alastrar rapidamente pela capital, a variante Ômicron agora assusta as cidades do interior fluminense. O contágio avassalador já impacta a rede de saúde em regiões que historicamente têm baixa oferta de vagas para internação. Sete municípios estavam anteontem com todos os leitos em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) ocupados. O cenário deve piorar nos próximos dias, segundo o secretário estadual de Saúde: Alexandre Chieppe prevê a “interiorização” da onda provocada pela nova cepa.

— Está começando a diminuir a demanda gradativamente por testes na Região Metropolitana. Acreditamos que haverá uma interiorização. Agora é acompanhar. Essa curva da Região Metropolitana está caindo, mas está havendo um aumento em outras cidades — destacou o secretário.

Dados compilados pelo GLOBO disponíveis no painel Covid-19 do governo estadual mostram que 44 das 92 cidades fluminenses registraram um aumento de pelo menos 1.000% nos casos confirmados da doença nas primeiras semanas do ano, em comparação a dezembro de 2021. Desses municípios, três não tinham infectados pelo coronavírus no fim de 2021. A situação mudou radicalmente após a virada do ano e o avanço da Ômicron em Silva Jardim, Santa Maria Madalena e São Fidélis. Em Teresópolis, a prefeitura percebeu expressivo aumento de casos há dez dias, assim como em Cardoso Moreira, cidade a 230 km da capital.

Essas informações se referem ao total de pacientes com a doença, que relataram ter começado a sentir os sintomas da infecção nos primeiros 26 dias de janeiro. Os números ainda devem subir, já que outros casos podem ser inseridos no sistema. Ao longo da pandemia, as cidades do interior tiveram dificuldades logísticas para atualizar informações nos sistemas de notificação.

Atualmente, há 2.800 leitos na rede pública para pacientes com Covid-19, de acordo com a Secretaria de Saúde. O estado por ora descarta implementar novas restrições sanitárias, mas planeja financiar, junto ao Ministério da Saúde, a reabertura de leitos.

Com a disseminação desenfreada da doença, Barra do Piraí, Rio Bonito, Teresópolis, Maricá, Saquarema, Bom Jardim e Miracema estavam anteontem com todos os leitos de UTI para Covid-19 ocupados. Outras duas cidades aproximavam-se da capacidade máxima: Itaboraí (95%) e Bom Jesus de Itabapoana (92%).

Já as vagas em enfermarias estavam com lotação esgotada em Rio Bonito, Valença, Cachoeiras de Macacu, Teresópolis, Nova Friburgo, Três Rios, Nova Iguaçu, Rio das Ostras e Cardoso Moreira. Em Volta Redonda, a taxa de ocupação bateu 98%. Esses números de pacientes são enviados pelas prefeituras diariamente ao governo estadual.

Historicamente, municípios pequenos dependem da rede pública de outras cidades para ter serviços médicos de média e alta complexidades, como uma UTI. Por causa disso, o Estado do Rio é dividido em oito regiões de saúde, que trocam pacientes entre si, quando necessário. Apesar da situação crítica em algumas cidades, em todo o estado a taxa de ocupação de leitos de tratamento intensivo anteontem estava em 62%.

Com a maior rede pública, a capital tinha ontem 745 pacientes infectados pelo coronavírus internados. Apesar de ter 29 pessoas na fila de espera, a taxa de ocupação total era de 64%. A prefeitura abriu leitos para enfrentar a explosão de casos de Ômicron: só ontem foram 21.103 novos diagnósticos confirmados. No estado, esse número chegou a 34.764.

A região com maior taxa de ocupação de leitos é a Noroeste, que anteontem tinha 89% das suas vagas para terapia intensiva ocupados. Dos 14 municípios que compõem a região, na divisa com Minas Gerais, apenas três têm leitos de UTI para atendimento de pacientes com Covid: Itaperuna (três vagas disponíveis), Bom Jesus de Itabapoana (cinco disponíveis) e Miracema (sem vagas).

Na Região Serrana, pelo menos duas cidades enfrentam problemas para atender quem chega aos hospitais. Sem mais vagas, Teresópolis precisou enviar dez pacientes graves para outros municípios nos últimos dez dias. Com apenas dois leitos de UTI para tratar pacientes com Covid-19, Bom Jardim transferiu quatro pessoas para cidades vizinhas. A situação se repete na cidade de Rio Bonito, que faz parte da Região Metropolitana II. Segundo a prefeitura, dois pacientes tiveram que ser levados para Maricá e Itaboraí. Segundo o município, a espera na fila por leito varia de quatro a dez dias dentro sistema de regulação estadual.

Com a chegada de mais pacientes, Quissamã anunciou que irá contratar na rede privada novas vagas de UTI e enfermaria.

A sanitarista Ligia Bahia, da UFRJ, diz que o avanço da variante Ômicron para o interior do estado é preocupante. A especialista em saúde pública lamenta a falta de um “legado” de leitos das outras ondas de Covid-19:

— Vemos essa situação novamente, e temos uma transmissão rápida. Sabíamos que haveria uma pressão nos sistemas de saúde, ainda que em menores proporções. Não estamos deixando como legado da pandemia um sistema de saúde com uma oferta mais adequada à nossa necessidade.

 

Crédito: Extra

Estado do Rio pode viver aumento de casos de Ômicron em municípios do interior

O Estado do Rio pode viver em breve o avanço da variante Ômicron para os municípios do interior. A avaliação é da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Em toda a rede, a taxa de ocupação de leitos tem variado entre 70% e 80% – são 2.800 leitos no total. Na capital fluminense, as secretarias de Saúde já observam o começo de uma possível estabilização do número de casos e internados, e a rede estadual vira as atenções, nesse momento, para a entrega de testes nos outros municípios.

“O estado do Rio se comporta um pouco diferente em relação aos dados da Região Metropolitana. Há uma tendência de estabilidade que precisamos observar melhor, mas certamente haverá a interiorização da transmissão. Esses municípios podem ter aumento de casos”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, que esteve na manhã desta quinta-feira (27) na inauguração do megacentro de testagem para covid no Portão 9 do Maracanã.

E é a testagem a prioridade da rede estadual neste momento. O Ministério da Saúde respondeu na quarta um ofício da secretaria estadual e garantiu a entrega de 900 mil novos testes na próxima semana. Chieppe avalia que o Rio não corre riscos de falta de testes, e diz que todos os municípios receberão estoques.

“Não há falta de testes. O estado está abastecido. Há uma demanda maior por parte dos municípios do interior, a ida dessa onda para o interior. O Ministério respondeu ontem nosso ofício e vai mandar 900 mil na semana que vem. Não teremos falta. O interior vem recebendo testes também. Entregamos para todos os 92 municípios”, garantiu o secretário.

Estado inaugura megacentro de testagem no Maracanã

A Secretaria Estadual de Saúde inaugurou nesta quinta-feira (27) um megacentro de testagem para a covid-19 no Portão 9 do Maracanã, o 13° da rede estadual – há outros sete da Prefeitura do Rio. Diferentemente dos outros locais do estado, o centro do Maracanã não precisará de agendamento. O posto, que conta com 250 funcionários espalhados por 50 mesas, fará 5 mil testes por dia, concentrando quase metade da capacidade total da rede, de 10.200. Até quarta, a capacidade do estado era de 6 mil testes por dia. Poucos antes das 8h, horário de abertura, já havia grande fila no posto.

“Aqui temos uma capacidade de 5 mil testes por dia. Aqui ninguém vai se aglomerar. É por isso que nas outras unidades, como UPAs, fazemos agendamento, para evitar mistura de casos e suspeitos”, afirmou Chieppe.

 

Crédito: O Dia

Detran.RJ leva perícia médica itinerante a cidades do interior

Em outubro, o Detran.RJ vai oferecer as perícias itinerantes nos municípios de Macaé e Bom Jardim. O serviço nas cidades do interior facilita muito a vida do cidadão fluminense, evitando que as pessoas com deficiência física e candidatos reprovados nos exames de aptidão física e mental tenham de se deslocar a outros municípios para fazer a perícia – este é um exame necessário para a obtenção da carteira de habilitação.

No dia 19 de outubro, o atendimento será em Macaé, e no dia 26 de outubro, em Bom Jardim. Para realizar o atendimento, será necessário agendamento prévio nas unidades de habilitação de cada município. Em breve, novos locais serão divulgados.

“Além de reforçar nosso serviço na capital, estamos aumentando nossos atendimentos no interior. Esta é mais uma praticidade para que o cidadão evite se deslocar aos municípios vizinhos e tenha um atendimento de qualidade na sua região”, explica o presidente do Detran.RJ, Adolfo Konder.

Confira o calendário:
19/10 – Macaé;
26/10 – Bom Jardim.

 

Cederj oferece vagas de graduação para moradores do interior

O Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cederj) tem expandido a sua rede de ensino pelo território fluminense, e neste primeiro semestre de 2021 está planejada a abertura de um novo polo do Programa, em Teresópolis. O Cederj vem oferecendo oportunidades de graduação para pessoas que moram longe de universidades ou que não têm horário compatível com a grade curricular.

Já existem 34 polos espalhados pelo Estado, sendo 12 na Região Metropolitana e 22 no interior fluminense (1 na Costa Verde, 5 no Médio Paraíba, 2 no Centro-Sul Fluminense, 4 na Região Serrana, 2 na Baixada Litorânea, 5 na Região Noroeste e 3 na Região Norte).

O avanço da tecnologia nas áreas de comunicação e informação garante novas possibilidades para o ensino a distância. Isso permitiu que, em 2009, Flávia Monteiro se graduasse em Pedagogia na primeira turma do polo Cederj de Natividade, no Noroeste Fluminense.

– Essa expansão dos polos do Cederj para o interior é muito importante, pois muitos não têm condições de frequentar uma universidade presencial, seja por questões de tempo ou deslocamento. Com o ensino a distância não existe fronteira geográfica para o aluno estudar – afirmou a pedagoga.

O Cederj é um consórcio formado pela Uerj, Uenf, UFF, UFRJ, UFRRJ, Unirio e Cefet/RJ. As universidades são as responsáveis por toda a formação acadêmica do estudante, desde a sua entrada até a diplomação, cabendo à Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Cecierj), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, a gestão do consórcio.

Os cursos de graduação do Cederj permitem que o aluno estude no local e horário de sua preferência, seguindo um cronograma. Para isso, conta com material didático especialmente elaborado, além do apoio de mediadores presenciais nos polos espalhados pelo Estado e a distância (por telefone ou internet). Aulas práticas de laboratório, estágios curriculares obrigatórios e trabalhos, normalmente, são presenciais.

– A relação entre alunos, mediadores e funcionários do polo é de comprometimento e seriedade de todas as partes. Por ser aluna com visão subnormal, eu precisava de provas ampliadas e sempre tive esse suporte. O Cederj mudou a minha vida, estudei aqui e me tornei pedagoga. Atualmente sou funcionária do polo e posso ajudar os novos alunos, como me ajudaram quando estive aqui – contou Flávia Monteiro.

A interiorização do Cederj vem rendendo frutos. Ex-aluna de Ciências Biológicas do polo Cederj de Paracambi, Catherine de Almeida ganhou o prêmio Capes/Natura Campus de Excelência em Pesquisa 2020 por sua pesquisa, a qual provou que os períodos de chuva e seca realmente estão mudando com o aquecimento global.

– A graduação no Cederj foi muito boa, não há diferença na qualidade de ensino nas modalidades a distância e presencial. É uma ótima opção para quem não pode comparecer presencialmente em período integral – comentou a bióloga.

O ensino a distância permitiu que Catherine conciliasse a graduação de Engenharia Florestal na UFRRJ com as aulas de Ciências Biológicas da Uerj oferecidas pelo Cederj. A modalidade representa um desafio de adaptação para os alunos, tanto para acompanharem as aulas, quanto para dedicarem-se às atividades práticas.

O Consórcio Cederj vem promovendo a universalização do ensino superior. São mais de vinte anos de um trabalho cuja missão é promover a interiorização do ensino superior a distância. Inclusive, o ensino a distância cumpre um papel de relevância social. A Fundação Cecierj e o Consórcio Cederj se consolidam como referência no Brasil – destacou Jorge Roberto Pereira, presidente da Fundação Cecierj.

Vestibular

O ingresso aos cursos de graduação a distância oferecidos pelas instituições de ensino superior que integram o Consórcio é realizado por meio do Vestibular Cederj ou usando a nota obtida no mais recente Enem realizado.

São oferecidos cursos a distância de Administração; Administração Pública; Biblioteconomia; Ciências Contábeis; Engenharia de Produção; Engenharia Meteorológica; Licenciatura em Ciência Biológicas; Física; Geografia; História; Letras; Matemática; Pedagogia; Química; Turismo; Tecnologia em Segurança Pública; Sistemas de Computação; e Gestão de Turismo.

 

 

Fonte: rj.gov.br