Prefeitura de Rio Bonito lança campanha para manter a “Cidade Limpa”; confira os dias de coleta de lixo no seu bairro

A secretaria de Obras e Serviços Públicos iniciou nesta semana a campanha “Cidade Limpa” com o objetivo de conscientizar a população sobre o momento ideal de descartar o lixo, evitando acúmulos desnecessários na hora que são deixados nas calçadas, à espera dos caminhões de coleta. Agora, todos os moradores podem consultar no site oficial (www.riobonito.rj.gov.br) e nas redes sociais da prefeitura de Rio Bonito o dia e turnos que a coleta de lixo acontece em cada bairro. Assim, todos poderão contribuir com a limpeza da cidade fazendo o descarte correto do resíduo. Esse trabalho é feito de segunda a sábado, com turno de trabalho no horário da manhã e à tarde, em todos os distritos.

O importante é que os moradores se organizem e coloquem o lixo para descarte no dia e turnos marcados. Pedimos que não descarte o lixo ou entulho em vias públicas, terrenos baldios e bueiros. Colocar o lixo em sacolas bem fechadas e do tamanho adequado, para evitar que o material se espalhe pelas vias públicas e atraia animais. Se o lixo for colocado depois do turno marcado para a coleta, o caminhão só irá recolher dois ou três dias depois, dependendo do calendário. Até lá, há o risco desse lixo se espalhar se não estiver numa lixeira e, com isso, atrair insetos e animais que transmitem doenças, sem falar no mau cheiro e na sujeira.

Outra dica importante é em relação a segurança dos coletores que recolhem esse lixo. Para evitar acidentes, os moradores devem envolver em vasilhas plásticas todos os materiais cortantes, como o vidro, lâmpadas, evitando que os coletores possam se ferir.

Lixo fora de hora na rua – Um sério problema na cidade é a colocação de lixo fora de hora. E isso vale para qualquer dia, mas tem importância reforçada em dias de chuva. Ao colocar o saco de lixo nas ruas fora da data e turnos previstos, o morador prejudica a cidade porque aquele material ficará na rua por muito tempo e pode ser carregado pela enxurrada. Mesmo em dias sem chuva, pode ser alvo de animais ou catadores independentes que reviram o material.

O cidadão que joga qualquer tipo de sujeira pelas ruas prejudica a fluidez da água das chuvas nas galerias subterrâneas. Em vias de grande circulação, a Prefeitura garante varrição diária. Ainda assim, é comum ver bitucas de cigarro, papeis de bala, embalagens de comida, copos descartáveis e todo tipo de resíduos largados pelas calçadas.

Esse material é levado pela enxurrada para entradas de bueiros e muitas vezes entope as grelhas que protegem essas passagens, prejudicando a fluidez da água. Vale lembrar que as grelhas são fundamentais para evitar que essa sujeira toda entupa as galerias subterrâneas e também que todo esse material seja levado para os rios, gerando poluição. O mesmo vale para grandes resíduos como: sacos inteiros jogados em córregos, descarte ilegal de entulho (sobras de material de construção) colchões, sofás, móveis, eletrodomésticos, entre outros.

Texto: Denílson Santos – Secom Rio Bonito

 

Durante greve de garis, grupo espalha lixo em ruas; vários pontos do Rio estão com acúmulo de detritos

Um grupo de baderneiros mascarados espalhou lixo nas ruas de Copacabana, Zona Sul do Rio, na noite desta terça-feira (30). Imagens de câmeras de segurança mostram a ação dos bandidos.

O caso aconteceu um dia depois do início da greve dos funcionários da Comlurb. Uma audiência de conciliação entre a Comlurb e o Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município, que deveria ser realizada na próxima quinta-feira (1º), foi antecipada para as 15h desta quarta (30).

“Não querem deixar recolher o lixo. Deixaram o lixo para trás. O lixo ficou, jogaram no meio da rua. Ele estão espalhando lixo no meio da rua”, disse um morador de Copacabana, referindo-se aos homens flagrados espalhando o lixo nas ruas.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, divulgou imagens da ação dos vândalos em suas redes sociais — ele afirmou que há pessoas infiltradas na categoria com o intuito de tumultuar e que irá encaminhar o material à polícia.

No fim da manhã, a Comlurb informou que a Justiça do Trabalho determinou o pagamento de R$ 400 mil ao sindicato “referente a dois dias de multa por deflagrar uma greve ilegal dos garis”.

“O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) considerou gravíssimo o descumprimento da determinação de manter 100% do contingente da categoria trabalhando por tempo indeterminado, e deu prazo de 48 horas para o pagamento da multa sob pena de execução.”

“A Comlurb está com um plano de contingência em andamento para evitar prejuízos à população”, emendou.

A Companhia, porém, pede a colaboração da população neste período para manter a cidade limpa, respeitando dia e horário da coleta e descartando corretamente o lixo.

 

Crédito: G1

Governo assina acordos que podem fechar lixões e despoluir rios

A despoluição de rios, a logística reversa de resíduos e a transformação de lixo em energia são os objetivos de três acordos de cooperação assinados nesta segunda-feira (14) entre associações setoriais e o Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Um deles, sobre o monitoramento da qualidade da água, foi assinado com a Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre). O acordo prevê a criação de uma plataforma digital para aprimorar a gestão da qualidade da água em todo o Brasil.

“A plataforma oferecerá informações consolidadas sobre a qualidade dos efluentes tratados, mais transparência aos usuários e incentivo a melhorias operacionais, além de melhor orientação de ações de fiscalização pelos órgãos ambientais e agências reguladoras, com instrumentos para verificação das metas de desempenho dos serviços de tratamento de efluentes”, detalhou a pasta em nota.

Outro acordo assinado trata da logística reversa de óleo lubrificante. Por meio dele, a expectativa é de que sejam integradas informações setoriais sobre essa logística no Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos e, com isso, seja desenvolvido um aplicativo online, para permitir a integração com os demais sistemas de logística reversa existentes no país, como eletroeletrônicos, embalagens e medicamentos. Nesse caso, além do MMA e da Abetre, outra parceira será a Associação Ambiental para Coleta, Gestão e Rerrefino do Oluc – óleo lubrificante usado ou contaminado.

Há ainda a parceria para elaboração do Atlas de Recuperação Energética de Resíduos Sólidos. “Esta ferramenta digital indicará as regiões com maior potencial para investimentos no aproveitamento do lixo como fonte de energia”, explicou o ministério.

Além disso, está prevista a integração de informações setoriais e de infraestrutura sobre recuperação energética, a modernização normativa e o desenvolvimento de conteúdos para a qualificação de órgãos ambientais e consórcios públicos.

Voluntários fazem limpeza de praias na Região dos Lagos

Entre este sábado (24) e o dia 2 de maio, voluntários vão se unir para limpar diversas praias da Região dos Lagos do Rio. Ação celebra a Semana Nacional de Limpeza dos Mares, que foi iniciada em março em diversas cidades do Brasil, mas precisou ser interrompida devido ao agravamento da pandemia.

Na Região dos Lagos, a ação será coordenada pela ONG cabo-friense Mar Sem Lixo, em parceria com as ONGs Sea Shepherd e Ecosurf. Para evitar aglomerações, poucos voluntários devem participar da ação.

“Já fizemos limpeza em mais de dez praias de cidades do estado do Rio (Itaguaí, São Pedro, Búzios, Cabo Frio e Paraty), além dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O calendário de limpeza inclui ainda as cidades de Rio das Ostras, Saquarema e Iguaba. Nas três cidades, as datas ainda serão definidas, uma vez que decretos locais proíbem o acesso às praias”, afirma a ambientalista e coordenadora da ONG Mar Sem Lixo, Gisele Letieri.

Nos próximos dois fins de semana a limpeza vai acontecer em praias de Arraial do Cabo, Araruama, Búzios, São Pedro da Aldeia e Cabo Frio, sempre às 9h.

Fonte: g1.globo.com

Silva Jardim: Material hospitalar é descartado de forma irregular

Grande quantidade de material hospitalar foi descartada de forma irregular  e encontrada segunda-feira 15/02, no bairro Santo Expedito, em Silva Jardim, no interior do Rio. Ao todo, cerca de 30 caixas de produtos para hemodiálise foram encontrados próximo ao local onde funciona a Secretaria Municipal de Obras.

Agentes da Polícia Militar estiveram no local. O homem responsável pelo descarte foi identificado e conduzido para prestar depoimento na 120ª Delegacia Policial. Quando questionado por moradores sobre o material descartado de maneira irregular, o homem, que não teve o nome divulgado, disse que o material estava em sua casa e que teria sido orientado em uma unidade de saúde para fazer o descarte dessa forma.

De acordo com testemunhas, os produtos estavam dentro do prazo de validade. A reportagem tentou contato com a 120ª Delegacia Policial, para obter mais informações sobre o caso. A Prefeitura de Silva Jardim ainda não havia se posicionado sobre o assunto, até a última atualização desta reportagem.

 

 

 

Fonte: informerj.com.br