Mulher é morta pelo companheiro no Dia dos Namorados

Lais Batista dos Santos, de 28 anos, foi assassinada pelo próprio companheiro no Dia dos Namorados. O crime aconteceu Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Após o homicídio, a mãe do suspeito o entregou à Polícia.

Segundo informações, o relacionamento era recente. Na noite de sábado (11), o casal foi a um bar e, na volta do encontro, eles foram para casa da mãe dele em Santa Cruz.

Durante a madrugada, a mãe dele ouviu um disparo vindo do quarto. Logo em seguida, ela trancou o imóvel. A polícia e o Samu foram acionados, mas Lais já foi encontrada sem vida.

Laís deixa dois filhos: uma menina de 8 anos e um menino de 5.

A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) instaurou um inquérito para apurar a morte de Laís. O crime teria sido cometido por ciúmes. O suspeito permanece preso à disposição da justiça.

‘Torcia para que fosse mentira’, diz pai de menina de 11 anos morta a socos e chutes em SC

O pai de Luna Nathielli Bonett Gonçalves, menina de 11 anos que foi morta em Timbó, no Vale do Itajaí, na quinta-feira (14), viu a filha pela última vez em 2 de março de 2021. Sidival Gonçalves havia feito uma festa de aniversário para ele na ocasião. A data, segundo o homem de 62 anos, é a última lembrança que ele tem da filha viva.

“Eu torcia para que fosse mentira o que estava acontecendo, mas infelizmente, quando eu vi, era pura verdade”, disse.

Segundo a Polícia Civil, a mãe da criança confessou que matou a filha com socos e chutes como forma de represália, já que não aceitava que a filha havia se tornado “sexualmente ativa”. Segundo o atestado de óbito, a criança sofreu politraumatismo.

Gonçalves conta que ficou sabendo da morte da filha na quinta-feira pela manhã, após a notícia se espalhar em Timbó. Logo depois, ele começou a organizar trâmites para o sepultamento da filha, que foi enterrada na manhã desta sexta-feira (15), no Cemitério Municipal Jardim da Paz. O velório ocorreu na Igreja Evangélica Assembleia de Deus.

No sábado (16), a mãe da menina foi presa preventivamente. Além dela, o padrasto da criança também foi detido. A Polícia Civil investiga agora se a menina foi vítima de crime contra a dignidade sexual e qual foi a participação do homem no crime. O homem ficou em silêncio durante o depoimento.

Laudos periciais

De acordo com a laudos médicos e técnicos repassados à Polícia Civil, a menina apresentava diversas lesões pelo corpo, que eram incompatíveis com uma queda de escada. Ela tinha lesões internas no crânio, baço, pulmão, intestino e uma laceração na vagina. O rosto da menina também estava machucado.

A perícia feita na casa onde o crime ocorreu também encontrou marcas de sangue nas proximidades do quarto da criança, sofá, em uma toalha, fronha e em uma calça masculina.

Depoimentos

Inicialmente, logo após a criança morrer na madrugada de quinta, o casal apresentou a versão de que Luna havia caído de uma escada após tentar resgatar um gato. De acordo com os suspeitos, ela estava consciente após a queda e seguiu realizando as atividades normalmente, até a hora de dormir. Mais tarde, a criança começou a passar mal os bombeiros foram chamados.

O padrasto e a mãe foram intimados a depor novamente, dessa vez acompanhados de advogado. Os dois foram informados sobre os laudos e o padrasto ficou em silêncio. No entanto, a mãe da vítima confessou ter matado sua própria filha.

“Alegou que o motivo seria que a menina tinha um relacionamento afetivo, em que ela teria se tornado sexualmente ativa, o que a mãe não aceitou e por isso agrediu a menina como forma de represália”, informou a Polícia Civil.

O nome do casal e a idade deles não foi divulgado pela Polícia Civil. No relatório do dia do crime, a Polícia Militar informou que o padrasto tem 41 anos e possui passagens policiais por violência doméstica, dano, lesão corporal, estelionato e posse de drogas.

 

Crédito: G1

Modelo que chamou Putin de “psicopata” é encontrada morta em mala

A modelo russa Gretta Vedler, de 23 anos, foi vítima de assassinato cometido pelo próprio namorado, Dmitry Korovin, 23. De acordo com o jornal britânico The Mirror, o episódio ocorreu há 1 ano, mas o rapaz confessou o crime nesta semana, quando o corpo foi encontrado.

Conforme investigação, a modelo foi colocada dentro de uma mala após Dmitry dormir com o cadáver dela por três noites em um hotel. O casal teria brigado em Moscou por causa de dinheiro, o que motivou o rapaz a estrangulá-la.

Dmitry dirigiu até a região de Lipetsk e deixou o corpo dentro da mala, no porta malas do carro, por um ano. Nas redes sociais, o sujeito seguia compartilhando fotos da modelo, fazendo os amigos dela acreditarem que Gretta ainda estava viva.

Porém, um amigo da russa suspeitou das aparições na internet e comunicou a polícia sobre um possível desaparecimento. Foi aí que as buscas se deram.

Antes de morrer, Gretta protestava contra o regime de Vladimir Putin na Rússia. Ela usava as redes para fazer críticas ao presidente, e chegou a chamá-lo de “psicopata” em algumas ocasiões.

 

Crédito: Metrópoles

Mulher é achada morta dentro de carro tombado, ao lado de casa, em Vargem Grande, Rio

Policiais da Delegacia de Homicídios (DH) investigam a morte de uma mulher encontrada dentro de um carro tombado, na manhã deste domingo (13), em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio.

Informados que a vítima morava praticamente ao lado do acidente, policiais do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) foram até o local e encontraram a casa da vítima toda revirada e com marcas de sangue.

Os policiais também verificaram que havia marcas de sangue do lado de fora do carro, no capô e na lateral dianteira esquerda.

O corpo da mulher, que não teve a identidade revelada, foi encaminhado para o IML. Exames vão determinar qual a causa da morte da vítima.

A polícia investiga se a mulher foi vítima de um assalto ou outro tipo de crime.

 

Crédito: G1

Médica é encontrada morta dentro de banheiro de pronto-socorro em SP

Uma médica de 30 anos foi encontrada morta dentro de um banheiro do Pronto Socorro de Cubatão (SP), na madrugada desta segunda-feira (24). O caso é apurado pela Polícia Civil e será acompanhado pelo 3º DP da cidade.

O corpo de Ana Carolina Borges Gorga foi encontrado durante o plantão da profissional no Pronto Socorro Central de Cubatão. Equipes da Polícia Civil foram acionadas para atender o caso, que foi registrado como morte suspeita devido à falta de informações sobre o que pode ter levado a profissional a perder a vida.

Após a perícia, o caso foi registrado na Delegacia Sede de Cubatão, e depois encaminhado ao 3º DP, onde será investigado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), outros detalhes serão preservados para garantir autonomia ao trabalho policial.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Cubatão afirma que lamenta profundamente a morte da médica, e que, em respeito à família, não serão divulgadas informações pessoais ligadas ao caso.

A Secretaria de Saúde e a administração do PSC colaboram com a Polícia Civil para a investigação da causa da morte.

 

Crédito: G1