TRE-RJ faz auditoria em urnas eletrônicas em cidades que elegem novos prefeitos neste domingo, como Silva Jardim

O Tribunal Regional Eleitora do Rio de Janeiro (TRE-RJ) realizou, neste domingo (12), auditoria nas urnas eletrônicas das eleições suplementares nas cidades de Silva Jardim e Santa Maria Madalena, no Rio de Janeiro. Os municípios escolhem novos prefeitos neste domingo.

“O sistema é absoluto seguro”, disse o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso. “Os presidentes que se elegeram até aqui foram indiscutivelmente aqueles que mereceram a maior quantidade de votos (…) Portanto, o sistema sempre espelhou a vontade popular. Nós temos confiança nisso.”

Segundo Barroso, o teste deste domingo foi bem-sucedido.

Segundo o TSE, os testes de integridade são parte do processo de auditagem das urnas eletrônicas e acontecem em todas as eleições para garantir a legitimidade e a segurança do processo eletrônico de votação.

A auditoria foi transmitida no canal oficial do TRE-RJ no YouTube e conta com a participação de representantes da Justiça Eleitoral , do Ministério Público Eleitoral e da Ordem dos Advogados do Brasil.

As regras sanitárias contra a Covid-19 na eleição suplementar serão as mesmas adotadas na eleição do ano passado: não haverá identificação biométrica do eleitor e o uso de máscara é obrigatório.

Santa Maria Madalena, na Região Serrana, vai ter novas eleições porque a Justiça Eleitoral condenou o candidato eleito por improbidade administrativa. Na eleição do ano passado, o então candidato Clementino da Conceição foi o que recebeu mais votos, mas o pleito estava sub judice e ele não assumiu o cargo.

Em Silva Jardim, houve irregularidades em documentos do partido do candidato mais votado nas últimas eleições. Na eleição de 2020, o então candidato Jaime Figueiredo foi o que recebeu mais votos, mas o pleito estava sub judice e ele não assumiu o cargo.

Crédito: g1.globo.com

Mulher é detida após tirar foto da urna na eleição de Silva Jardim, que acontece neste domingo (12)

Uma mulher foi detida na manhã deste domingo (12) após ser flagrada tirando foto da urna de votação durante a eleição suplementar de Silva Jardim, no interior do Rio. O fato foi constatado por volta das 10h no Colégio Estadual Sérvulo Mello, localizado no centro da cidade.

Segundo a Polícia Civil, um fiscal de um partido político percebeu que a mulher tinha entrado com o aparelho celular na cabine e avisou aos fiscais do Tribunal Regional Eleitora do Rio de Janeiro (TRE-RJ). O ato é considerado crime eleitoral por violar o sigilo do voto. A eleitora foi levada para 120ª DP, teve o celular devolvido e foi liberada.

Os eleitores de Silva Jardim estão indo às urnas neste domingo (12) para escolher o novo prefeito e vice-prefeito que vão assumir o governo municipal até o dia 31 de dezembro de 2024.

Crédito: g1.globo.com

Homem é assassinado e tem corpo queimado em casa, em Silva Jardim. Este é o quinto assassinato em 25 dias

Poucas horas depois de um homem ser baleado e morto no bairro Varginha, em Silva Jardim, no interior do Rio, uma outra pessoa também foi assassinada no mesmo bairro, já na madrugada desta quinta-feira (9). Segundo a Polícia Militar, Aguinaldo Santana da Silva, de 52 anos, teve o corpo queimado pelos criminosos depois de ser morto a tiros dentro de casa.

O crime aconteceu na Rua 19, por volta das 4h, quando moradores relataram à polícia terem ouvido barulho de tiros e sentido cheiro de fumaça vindo da casa. Agentes da Polícia Militar foram ao local e quando chegaram à residência encontraram a vítima já sem vida. O assassino fugiu e ainda não foi encontrado. Agentes da perícia técnica também estiveram no local e fizeram um laudo preliminar. O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Cabo Frio, na Região dos Lagos.

Vizinhos relataram ao Informe que Aguinaldo trabalhava como pedreiro, havia se separado da esposa, e estava morando sozinho no imóvel. Ele deixa uma filha pequena. A polícia informou que a vítima não possuía nenhum antecedente criminal e que ainda não há informações sobre o que teria motivado o homicídio.

A delegada titular da 120ª Delegacia Policial, Janaina Peregrino, responsável pelas investigações, afirmou que os agentes estão em diligências nas ruas, em busca de informações para conseguir identificar e prender o assassino. A Polícia Civil também confirmou a suspeita de que pode haver uma relação entre os homicídios registrados na cidade nos últimos dias, principalmente pela dinâmica em que eles aconteceram.

“Sim, é isso mesmo! Equipe na rua. Desculpa, para o bem das investigações não posso falar mais nada. Estamos nos empenhando bastante! Nossos recursos são escassos, mas vamos conseguir!”, disse a delegada ao Informe, nesta quinta-feira.

COLABORE COM A POLÍCIA

A Polícia Civil pede a colaboração dos moradores da cidade com qualquer informação que possa ajudar nas investigações. As denúncias podem ser feitas por telefone, de forma anônima, para o Disque Denúncia, através do telefone: (21) 2253-1177, ou para a 120ª Delegacia Policial, em Silva Jardim, por meio do telefone: (22) 2668-1894.

UM HOMICÍDIO A CADA CINCO DIAS

Este é o quinto homicídio registrado em Silva Jardim, em apenas três semanas. A média é de uma morte violenta na cidade, a cada cinco dias. No último dia 15 de agosto, dois jovens de 25 e 26 anos foram assassinados a tiros na mesma noite: um no bairro Lucilândia, e outro no bairro Varginha. No dia 19 do mesmo mês, um terceiro jovem também foi morto a tiros no bairro Campo do Rial. Já na noite dessa quarta-feira (8), a vítima foi um motorista por aplicativo, executado dentro do próprio carro. Todos os casos estão sendo investigados pela 120ª Delegacia Policial. Até o momento, ninguém foi preso.

 

QUEM SÃO AS VÍTIMAS

  • Aguinaldo Santana da Silva – 52 anos: assassinado no dia 9 de setembro, dentro de casa, no bairro Varginha;
  • Elenildo de Souza Silva – 41 anos: assassinado no dia 8 de setembro, no bairro Varginha;
  • Luiz Gabriel Conceição Galdino – 21 anos: assassinado no dia 19 de agosto, no bairro Campo do Rial;
  • Alex Júnior Frazão de Oliveira – 25 anos: assassinado no dia 15 de agosto, em um bar, no bairro Lucilândia;
  • Douglas Duarte de Oliveira – 26 anos: assassinado no dia 15 de agosto, dentro de casa, no bairro Varginha.

 

 

 

Crédito: informerj.com.br

Homem é morto a tiros dentro do carro no bairro Varginha, em Silva Jardim

Um homem foi baleado dentro do próprio carro, na noite dessa quarta-feira (8), no bairro Varginha, em Silva Jardim, no interior do Rio. Segundo a Polícia Militar, mesmo ferido, Elenildo de Souza Silva, conhecido como Cachincha, de 41 anos, conseguiu sair do veículo pela porta do carona, mas acabou não resistindo e morreu a poucos metros do carro, próximo a uma padaria.

O crime aconteceu por volta das 20h, na Avenida Genesiano Luz, uma das principais do bairro. Ainda não há informações sobre o que teria motivado o ataque. O atirador fugiu do local após o crime e ainda não foi localizado. Agentes da Polícia Militar foram acionados e, até às 23h ainda permaneciam no local, aguardando a remoção do corpo para o Instituto Médico Legal (IML) de Cabo Frio, na Região dos Lagos.

Peritos da Polícia Civil também estiveram no local e realizaram um laudo preliminar. Cápsulas de uma pistola ponto 40, arma que teria sido utilizada para cometer o crime, foram recolhidas pela perícia. Câmeras de segurança da região podem ajudar a polícia a identificar o assassino.

Elenildo faria aniversário no próximo dia 23 de setembro. De acordo com moradores, ele trabalhava como motorista por aplicativo.

QUARTO HOMICÍDIO EM TRÊS SEMANAS

Este é o quarto homicídio registrado na cidade, em apenas três semanas. No último dia 15 de agosto, dois jovens de 25 e 26 anos foram assassinados a tiros na mesma noite: um no bairro Lucilândia, e outro no bairro Varginha. No dia 19 do mesmo mês, um terceiro jovem também foi morto a tiros no bairro Campo do Rial. Todos os casos estão sendo investigados pela 120ª Delegacia Policial. Até o momento, ninguém foi preso.

QUEM SÃO AS VÍTIMAS

  • Elenildo de Souza Silva – 41 anos: assassinado no dia 8 de setembro, no bairro Varginha;
  • Luiz Gabriel Conceição Galdino – 21 anos: assassinado no dia 19 de agosto, no bairro Campo do Rial;
  • Alex Júnior Frazão de Oliveira – 25 anos: assassinado no dia 15 de agosto, em um bar, no bairro Lucilândia;
  • Douglas Duarte de Oliveira – 26 anos: assassinado no dia 15 de agosto, dentro de casa, no bairro Varginha.

 

 

Crédito: informerj.com.br

Candidata a prefeita de Silva Jardim, Maira de Jaime (PROS), tem candidatura deferida pelo TRE

A candidata a prefeita de Silva Jardim, no interior do Rio, Maira de Jaime (PROS), voltou ao páreo. Por sete votos a zero, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) deferiu nesta quinta-feira (2), sua candidatura. Ela havia sido impedida de fazer parte das eleições há cerca de 10 dias, quando a Justiça Eleitoral da cidade entendeu que haviam impedimentos no partido de Maira, o PROS, após as eleições de novembro de 2020, quando seu marido, Jaime Figueiredo, então candidato a prefeito da cidade, teve maioria de votos, mas não pode assumir por problemas com o CNPJ do partido.

A conclusão do imbróglio foi o cancelamento do pleito da época, e a marcação de uma nova eleição, que acontecerá no próximo dia 12 de setembro, quando ela poderá disputar normalmente a eleição suplementar. A sessão plenária virtual que julgou o processo foi transmitida ao vivo pela internet, a partir das 15h, e durou pouco mais de uma hora.

 

Entenda o caso

A cadeira do Executivo esteve bem movimentada nos últimos tempos, quando o município teve quatro prefeitos em aproximadamente quatro anos, depois de serem afastados dos cargos acusados de irregularidades. Se tudo der certo, esse será o quinto comando na Prefeitura. Com a decisão de ontem, quinta-feira (2), a disputa volt a ter três candidatos, Maira de Jaime (PROS), Fabrício de Napinho (PSD) e Juninho Peruca (Podemos).

O atual prefeito da cidade, que está no cargo interinamente, Fabrício de Napinho, que é um dos candidatos desse pleito, foi eleito como vereador nas eleições do ano passado, e ocuparia a vaga de presidente da Câmara, mas foi alçado ao cargo de prefeito pela Justiça. Isso aconteceu depois que o candidato Jaime Figueiredo foi eleito por maioria de votos, mas a chapa foi indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral por estar com o CNPJ inválido.

 

Lívia Louzada