Mulheres vítimas de violência doméstica podem se inscrever para receber auxílio social em Niterói

A cidade de Niterói, na Região Metropolitana, abre inscrições para auxílio social destinado a mulheres vítimas de violência doméstica. O benefício é concedido no valor de R$ 1 mil por mês, durante seis meses, podendo ser prorrogado.

O auxílio, válido para mulheres que residem no município, busca ajudar as vítimas que romperem o vínculo com o agressor. Podem participar as mulheres que tinham renda familiar per capita de até R$700,00.

Só podem participar do programa as mulheres que realizaram Boletim de Ocorrência. Informações sobre inscrição e detalhes sobre o auxílio social estão disponíveis pelo telefone (21) 98204-4306.

 

Crédito: Band News

Polícia Militar do Rio faz operação nas comunidades do Juramento, Juramentinho e Serrinha contra guerra de facções

A Polícia Militar (PM) do RJ iniciou nesta quinta-feira (7) uma operação em comunidades da Zona Norte do Rio. A corporação mobilizou 300 homens.

Às 6h10, equipes estavam nos acessos aos morros do Juramento e do Juramentinho, em Vicente de Carvalho e em Tomás Coelho; e na Serrinha, em Vaz Lobo.

De acordo com o porta-voz da PM, tenente-coronel Ivan Blaz, o objetivo é estabilizar a região devido a uma guerra entre facções criminosas de traficantes.

O Globocop flagrou às 6h45 barricadas de fogo e de vergalhões na Serrinha. Perto dali, um grupo de policiais descia uma rua, em varredura.

Às 7h15, policiais vasculhavam uma área de mata na parte mais alta da Serrinha.

Levantamento aponta cidades do Leste Metropolitano como as mais violentas de todo o Grande Rio

São Gonçalo, Niterói e as demais cidades que fazem parte do Leste Metropolitano são apontadas como as mais violentas de todo o Grande Rio no mês de setembro, segundo levantamento da plataforma Fogo Cruzado.

Apesar de ter ficado atrás da Zona Norte do Rio e empatar com a Baixada Fluminense em número de tiroteios, a área concentrou no mês passado quase a metade do número de baleados na Região Metropolitana. Quarenta e oito por cento de vítimas de confrontos estão na área que compreende as cidades de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito, Cachoeiras de Macacu e Tanguá.

Sozinho, São Gonçalo foi o município mais violento. Embora tenha ficado atrás da cidade do Rio em número de tiroteios a região teve 51 baleados no mês. Do total, 21 morreram. O que equivale a 81 por cento do total de atingidos por disparo de arma de fogo em todo o Leste Metropolitano.

Segundo a diretora-executiva da plataforma Fogo Cruzado, Cecília Oliveira, os números da violência na região refletem a desigualdade social da maioria das cidades da região.

Do total de 286 tiroteios no Grande Rio, 78 foram na Zona Norte da capital, 68 na Baixada Fluminense, e mais 68 no Leste Metropolitano. A área teve as duas chacinas registradas pela plataforma Fogo Cruzado na Região Metropolitana.

Sete, das cinco vítimas de bala perdida; três, dos seis adolescentes atingidos e o único idoso baleado em todo o Grande Rio são do Leste Metropolitano.

 

Crédito: bandnewsfmrio.com.br

Morador de Thomaz Coelho morre em confronto entre policiais militares e criminosos na Zona Norte do Rio de Janeiro

Uma pessoa morreu vítima de bala perdida na Zona Norte do Rio, durante um confronto entre policiais militares e criminosos. De acordo com a corporação, PMs que estavam fazendo uma operação no Morro do Urubu foram atacados a tiros por bandidos em fuga da favela. No confronto, um morador de Thomaz Coelho que passava no local foi atingido, e não resistiu aos ferimentos. Um policial foi ferido no pé e um suspeito também foi baleado. Os dois foram socorridos para o hospital.

A PM afirma que os criminosos tentaram fugir por dentro de um condomínio. Uma pistola foi apreendida com o suspeito atingido.

A operação da Polícia Militar tem como objetivo ocupar a comunidade até segunda-feira (4) para impedir que criminosos roubem veículos nos bairros vizinhos. O índice desse tipo de crime vem subindo na região, de acordo com a corporação.

 

Crédito: bandnewsfmrio.com.br

Rio registra queda de 7% nos homicídios dolosos até agosto deste ano

O estado do Rio de Janeiro registrou 2.240 mortes entre janeiro e agosto deste ano. Se comparado ao mesmo período de 2020, representa uma queda de 7% nos homicídios dolosos. O número é também o menor para os meses desde 1991, quando começou a série histórica do Instituto de Segurança Pública (ISP). 

Em agosto, foram anotados 258 homicídios, um recuo de 1% em relação a agosto do ano passado e o menor registro para o mês desde 1991. Os dados foram divulgados hoje (24) pelo ISP.

Já os crimes violentos letais intencionais, que incluem homicídios dolosos, lesão corporal seguida de morte e latrocínio, apresentaram redução de 6% entre janeiro e agosto e de 1% em agosto deste ano na comparação com 2020. Foram 2.338 vítimas nos oito primeiros meses de 2021 e 271 em agosto. De acordo com o ISP, os números são os mais baixos para o indicador desde 1999, tanto para o acumulado, quanto para o mês.

Apreensões e prisões

Em agosto foram apreendidas 562 armas de fogo em todo o estado, sendo 20 fuzis. O total é 8% maior que o registrado no mesmo mês de 2020. No acumulado do ano, as apreensões somaram 4.810. Entre as armas que foram retiradas de circulação, 260 eram fuzis.

“Isso significa que, em média, mais de um fuzil foi apreendido por dia em 2021 no estado”, observou o ISP.

Também entre janeiro e agosto, 22.797 pessoas foram presas em flagrante pelas polícias Civil e Militar. O resultado mostra que cerca de 94 pessoas foram presas por dia no estado. Ainda no período, foram realizadas 14.539 apreensões de drogas em todo o estado.

Crimes contra o patrimônio

Os percentuais de queda dos roubos de carga foram altos tanto nos oito meses de 2021 quanto no mês passado. Em relação a agosto do ano passado, os 318 casos representaram redução de 23%. No acumulado, chegaram a 2.961 casos de janeiro a agosto, um recuo de 16%. De acordo com o ISP, os resultados são os menores valores para o mês e para o acumulado do ano desde 2013.

Já os roubos de rua caíram 6% se comparado ao acumulado do ano passado e de 10% contra agosto de 2020. Eles somaram 46.169 casos nos oito primeiros meses de 2021 e 4.876 em agosto .

Os roubos de veículo atingiram 17.109 casos entre janeiro e agosto deste ano e 2.110 em agosto. Na comparação com 2020, o indicador registrou diminuição de 2% no acumulado do ano e alta de 18% em relação a agosto de 2020.

As prisões em flagrante efetuadas nos oito primeiros meses de 2021 alcançaram 22.797 e 2.879, em agosto. Segundo o ISP, em relação a 2020, o indicador subiu 11% no acumulado do ano e queda de 1% em relação a agosto de 2020.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro no mês de agosto.