Dupla é presa em Rio Bonito após PM encontrar armas e drogas em carro

Dois homens foram presos em flagrante, na noite de ontem (1), após a Polícia Militar de Rio Bonito encontrar mais de 300 trouxinhas de maconha e 141 capsulas de cocaína, além de dois revólveres dentro do carro que os suspeitos estavam. Além da dupla, um menor foi apreendido durante a ação.

O trio seguia para a localidade de Parque Andreia, no 2º distrito de Rio Bonito, a bordo de um carro de aplicativo quando foram abordados pelos policiais. De acordo com a PM, eles estariam indo abastecer o tráfico daquela localidade. Um dos presos acumulava três anotações criminais.

Dois rádios transmissores, munições calibre 38 e 32, quatro frascos de lança perfume, um aparelho celular e um relógio também foram apreendidos durante a operação.

PRF apreende mais de R$ 150 mil em entorpecentes em Rio Bonito

Um carregamento com mais de R$ 150 mil em drogas foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Milhares de pinos de cocaína e centenas de trouxinhas de maconha foram encontradas em um fundo falso de um carro. O flagrante aconteceu na BR-101, em Rio Bonito, na tarde desta segunda-feira (22).

Por volta das 16h20, policiais rodoviários federais da 2ª Delegacia (Niterói) faziam patrulhamento, quando desconfiaram de um motorista que calibrava os pneus do carro num posto de combustíveis, na altura do quilômetro 270.

Ao ser abordado, o suspeito não apresentou a carteira de habilitação. O licenciamento do veículo ainda estava atrasado. O indivíduo estava bastante nervoso, o que aumentou a desconfiança dos policiais. Então, a equipe resolveu levar o automóvel até a Unidade Operacional da PRF, para uma revista mais detalhada.

Em um compartimento escondido, os policiais encontraram 9.675 pinos de cocaína e 2.180 trouxinhas de maconha. Os entorpecentes já estavam embalados separadamente, com preços entre R$ 5 e R$ 50. No total, a carga apreendida, que seria vendida no varejo, estava avaliada em cerca de R$ 152 mil.

O motorista, de 23 anos, disse que pegou a carga de drogas em Irajá, na Zona Norte do Rio. Ele contou ainda que levaria para Casimiro de Abreu, onde seria revendida. O homem foi indiciado por tráfico de entorpecentes. A pena prevista para o crime varia de cinco a 15 anos de reclusão.

A ocorrência foi encaminhada para a 119ª DP (Rio Bonito).

Fonte: O São Gonçalo

Suspeito de estuprar crianças é preso pela Polícia Civil de Arraial do Cabo

Policiais civis da 132ª DP de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, prenderam, na tarde desta quinta-feira (28), um homem suspeito de estuprar menores de idade. Os investigadores chegaram até o homem, que tem 55 anos, após denúncia do pai de um menino de 11 anos, que foi abusado sexualmente. O homem foi capturado em um bar.

Ele é parente distante da vítima e frequentava a casa da família. De acordo com a polícia, as investigações revelaram que o criminoso vinha abusando da criança há quase um ano.

Ainda segundo a polícia civil, para se aproximar do menino e atrai-lo até sua casa, o suspeito oferecia a ele pequenas quantias de dinheiro. O pai do menor suspeitou dos abusos ao verificar o aparelho celular do filho e encontrar mensagens e áudios enviados pelo criminoso. Segundo a polícia, o menino acabou contando o que vinha acontecendo ao ser questionado pelo pai, que procurou imediatamente a delegacia.

Em depoimento, testemunhas relataram que o homem tinha o hábito de dar dinheiro a várias crianças da vizinhança.

“Assim que os pais nos procuraram, nós aceleramos as investigações, diante da urgência que um caso como esse necessita. Também tínhamos recebido a informação de que o criminoso estava se movimentando para fugir definitivamente da cidade. Contamos com o engajamento e a celeridade do Ministério Público e da Justiça para conseguir um mandado de prisão temporária contra o suspeito”, disse a delegada responsável pelo caso, Patrícia de Paiva Aguiar.

Justiça também expediu mandado de busca e apreensão para os aparelhos do criminoso, como computador e celular.

A delegacia investiga agora outro caso de estupro que também teria sido praticado pelo suspeito, desta vez, contra uma menina, também menor de idade .

“Aproveitamos para alertar aos pais sobre a necessidade de ficarem sempre vigilantes em relação aos filhos, principalmente, porque, em grande parte das vezes, os molestadores e estupradores são pessoas próximas à família da vítima. Foi graças à postura do pai dessa criança que pudemos chegar ao criminoso”, completou a delegada.

Denúncias e informações sobre crimes podem ser enviadas, anonimamente, para o Whatsapp da delegacia, no telefone (22) 98113-6585.
Fonte: G1/Região dos Lagos

Família de adolescente morto em São Gonçalo mostra marcas de bala na casa; veja vídeo

A família de João Pedro de Matos Pinto, morto na noite desta segunda-feira (18) em uma operação policial em São Gonçalo, divulgou um vídeo que mostra as marcas da violência na casa onde o adolescente foi baleado, no bairro Itaoca. O caso aconteceu durante uma ação do Comando de Operações Táticas (COT), da Polícia Civil e da Polícia Federal em busca do traficante Faustão, codinome de Ricardo Severo, apontado como chefe do Comando Vermelho na localidade.

João estava dentro da casa do avô na Rua Expedicionário Geraldo Rosa, no Complexo do Salgueiro, brincando no celular com os primos, quando a casa teria sido invadida por policiais, segundo relatos da família. Os agentes teriam alegado que viram traficantes na residência, mas João Pedro foi atingido pelos disparos. Ele teria sido levado de helicóptero até um hospital no bairro Lagoa, na Zona Sul do Rio de Janeiro, sem que sua família soubesse da localização. A operação contou com três helicópteros, quatro veículos blindados, lanchas e 50 homens.

“A polícia chegou lá de uma maneira cruel, atirando, jogando granada, sem perguntar quem era. Se eles conhecessem a índole do meu filho, quem era meu filho, não faziam isso. Meu filho é um estudante, um servo de Deus. A vida dele era casa, igreja, escola e jogo no celular”, lamentou o pai da vítima, Neilton Pinto.

De acordo com um familiar que não quis se identificar, a casa da família de João seria constantemente visada durante as operações pela infraestrutura que chama a atenção. “É uma casa bonita com piscina, e os policiais acreditam se tratar de um esconderijo de traficantes, mas não é. Quer dizer que o pobre não pode trabalhar e conquistar uma casa boa?”, denunciou a tia do jovem, que não se identificou.

Sem saber para onde o menino havia sido levado, a família começou a procurar por ele, enquanto o assunto tomava conta das redes sociais ao longo da noite e da madrugada com a tag #procurasejoaopedro. Familiares de João foram a hospitais e delegacias de São Gonçalo, Niterói e do Rio, até serem informados, na manhã desta terça-feira (19), que o corpo do adolescente estava no Instituto Médico Legal (IML) de São Gonçalo, em Tribobó.

“Meu filho não tinha envolvimento com nada, era uma pessoa muito querida por todos. Pegaram o meu filho, colocaram no avião e não deixaram ninguém ir com eles. Ficamos horas sem notícias do meu pequeno, por quê? Por que fizeram isso com o João Pedro? O que será da minha vida sem meu filho?”, desabafou a mãe de João, Rafaela Coutinho.

Em resposta, a polícia afirmou que a operação foi realizada com objetivo de cumprir dois mandados de busca e apreensão por tráfico de drogas e que os agentes, que perseguiram criminosos que teriam pulado o muro da residência, foram atacados por criminosos com tiros e granadas, que teriam sido apreendidas na ação. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. Duas testemunhas e os agentes envolvidos na ação foram ouvidos.

No vídeo divulgado pela família da criança, é possível ver inúmeras marcas de tiro dentro da residência, e até mesmo uma poça de sangue no chão. Confira abaixo:

 

Fiscalização de Arraial do cabo e Polícia Militar acabam com festa em casa usada para eventos

A Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Militar interromperam uma festa na noite de sábado (9) na Praia Grande, em Arraial do Cabo, Região dos Lagos do Rio. A intervenção foi feita após denúncias e aproximadamente 30 pessoas foram orientadas a voltar para casa.

Nenhum responsável por promover a aglomeração, que está proibida por decreto municipal durante o período de pandemia, foi localizado. A maior parte do público era de jovens. Eles não resistiram a ordem dos agentes e encerraram a festa na Rua Pastor Paulo Manhard.

Segundo o secretário de Segurança Pública municipal, Bruno Monteiro, tapumes chegaram a ser colocados para impedir a visão pelo lado de fora das pessoas dentro da casa e para abafar o som. Diversos vizinhos acionaram a fiscalização, que chegou ao local por volta das 23h.

“A informação que recebemos é de que outros eventos já tinham sido realizados ali no período de orientação para o isolamento social. É uma casa comum com piscina que foi transformada em espaço para festas”, disse Bruno Monteiro, que acredita que mais pessoas ainda deveriam chegar no local, caso a intervenção não tivesse ocorrido.

De acordo com o secretário, neste domingo (10) o fiscal de plantão tenta entregar a notificação ao responsável pelo evento, mas a pessoa ainda não foi encontrada e o imóvel está fechado.