Segundo Polícia Civil, tiro que matou menina Ágatha foi disparado por cabo da PM

O tiro que atingiu e matou a menina Ágatha Félix partiu da arma de um cabo da Polícia Militar, segundo a conclusão do inquérito feito pela Delegacia de Homicídios da Capital. Segundo o documento, houve “erro de execução” por parte do agente – ele fez um disparo de advertência contra dois motoqueiros que furaram uma blitz. O policial foi indiciado pro homicídio doloso. O relatório da investigação já foi encaminhado ao Ministério Público.

O inquérito tomou como base depoimentos de testemunhas, de policiais militares em serviço na Unidade de Polícia Pacificadora da região, que estavam no local do crime, diversas perícias e o laudo da reprodução simulada, realizada em 1 de outubro.

O resultado dessa perícia aponta o erro de execução por parte do PM. Segundo as investigações, o policial tentara atingir dois traficantes que passavam em uma moto, mas o projétil ricocheteou e atingiu Ágatha no interior do veículo. O inquérito também aponta que o cabo pode ter confundido com uma arma uma esquadria de alumínio carregada pelo homem que estava na garupa.

A informação foi publicada pelo jornal O Globo. No mês passado, o G1 já havia antecipado que essa era a principal hipótese para o crime.

A menina Ágatha Vitória Sales Félix morreu no dia 20 de agosto após ser baleada na comunidade da Fazendinha, no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio de Janeiro. Ela ainda foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento do Alemão e transferida para Hospital Getúlio Vargas, mas não resistiu aos ferimentos.

Por meio de nota, a Polícia Militar se posicionou sobre o caso:

“A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar lamenta o triste episódio da pequena Ágatha e reforça solidariedade à família. Sobre a investigação, a corporação esclarece que está dando o apoio necessário à Delegacia de Homicídios da Polícia Civil e em paralelo segue a apuração interna através do Inquérito Policial Militar (IPM). O policial, apontado pela Polícia Civil como autor do disparo, está afastado de suas atividades nas ruas”.

Fonte: G1

Suspeitos de matar empresário na RJ-104 em São Gonçalo são baleados

Dois homens, acusados de serem os responsáveis pela morte do empresário Jorge Luiz Antunes, de 61 anos, foram baleados, na manhã desta segunda-feira (18), durante ação do 7º BPM (São Gonçalo) na comunidade da Caroba, no bairro Santa Luzia, em São Gonçalo.

De acordo com a PM, os agentes foram até a localidade para prender os responsáveis pela tentativa de assalto que terminou com a morte de um empresário, na noite deste domingo (17), na RJ-104, na altura do bairro Santa Luzia, em São Gonçalo. Durante a ação, houve intensa troca de tiros e os dois acusados de serem os ocupantes da motocicleta que abordou a vítima foram baleados, sendo socorridos e levados para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. Não há informações sobre o estado de saúde dos feridos.

Com os suspeitos, foi apreendida uma pistola calibre 9mm, um rádio transmissor e grande quantidade de drogas. O caso foi registrado na 74ªDP (Alcântara).

O caso – Um homem, identificado como Jorge Luiz dos Santos, de 61 anos, morreu, na noite deste domingo (17), após ser atingido com um tiro na cabeça durante uma tentativa de assalto na RJ-104, na altura de Santa Luzia, em São Gonçalo. Ele deixa dois filhos e três netos.

Jorge era morador do bairro Engenho do Roçado, em São Gonçalo, e tinha uma empresa que prestava serviços para a Águas de Niterói.

Fonte: O Sâo Gonçalo 

Homem é preso com sete mil maços de cigarros contrabandeados em Itaboraí

Um homem foi preso na noite do último domingo (17) em Itaboraí com sete mil maços de cigarros contrabandeados. O suspeito foi detido na BR-101, no bairro Gebara, quando agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizavam patrulhamento de rotina no local.

O veículo onde estava o condutor, de 37 anos, foi abordado na altura do Km 300. Dentro do carro, os policiais localizaram várias caixas de papelão, onde foram encontrados os maços de cigarro.

O homem foi encaminhado junto com o material para a Delegacia da Polícia Federal na Praça Mauá, Zona Portuária do Rio de janeiro.

Empresário é morto com tiro na cabeça durante tentativa de assalto na RJ-104 em São Gonçalo

Um homem, identificado como Jorge Luiz dos Santos, de 61 anos, morreu, na noite deste domingo (17), após ser atingido com um tiro na cabeça durante uma tentativa de assalto na RJ-104, na altura de Santa Luzia, em São Gonçalo. Ele deixa dois filhos e três netos.

Segundo a PM, dois homens, a bordo de uma motocicleta, pararam ao lado do veículo, modelo Frontier, e anunciaram o assalto, por volta das 22h. Segundo testemunhas, a vítima não ouviu voz dos assaltantes e os criminosos realizaram diversos disparos, atingido a cabeça da vítima, que morreu na hora.

Após ser atingido, a vítima perdeu o controle do veículo e despencou com o carro de cima do viaduto de Santa Luzia, próximo a Unidade de Pronto Atendimento do bairro. Com a colisão, uma mulher, de 59 anos, sofreu ferimentos no joelho e foi levada para a unidade de saúde.

Jorge era morador do bairro Engenho do Roçado, em São Gonçalo, e tinha uma empresa que prestava serviços para a Águas de Niterói.

Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) foram até o local, realizaram perícia e investigam o caso.

Fonte: O São Gonçalo

Médico é ameaçado com espingarda por paciente na UPA de Silva Jardim

Um homem armado com uma espingarda de chumbinho foi detido por suspeita de ameaçar de morte um médico plantonista na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Silva Jardim, no interior do Rio. De acordo com a Polícia Civil, a confusão foi nessa terça-feira (12) e começou depois que o médico prescreveu para o paciente um medicamento diferente do que ele queria.

Testemunhas contaram que, insatisfeito com o diagnóstico, o paciente, que tem 40 anos, foi até o carro, pegou a arma e, pela janela do consultório, iniciou as ameaças contra o médico. O suspeito fugiu do local após cometer o crime, mas foi localizado minutos depois pela Polícia Militar.

O homem foi conduzido para a 120ª Delegacia Policial, onde prestou depoimento, foi indiciado por ameaça de morte e liberado para responder ao crime em liberdade. O delegado responsável pelo caso, Alexandre Gusman, informou que a arma usada para o crime foi apreendida e encaminhada para perícia.

Em julho deste ano, um paciente revoltado com a demora pelo atendimento teve um ataque de fúria e promoveu um quebra-quebra na recepção da UPA de Silva Jardim. Na ocasião, o homem de 46 anos foi levado para a delegacia, indiciado por dano ao patrimônio público e liberado após prestar depoimento.

Fonte: Informe Freelance