Família de adolescente morto em São Gonçalo mostra marcas de bala na casa; veja vídeo

A família de João Pedro de Matos Pinto, morto na noite desta segunda-feira (18) em uma operação policial em São Gonçalo, divulgou um vídeo que mostra as marcas da violência na casa onde o adolescente foi baleado, no bairro Itaoca. O caso aconteceu durante uma ação do Comando de Operações Táticas (COT), da Polícia Civil e da Polícia Federal em busca do traficante Faustão, codinome de Ricardo Severo, apontado como chefe do Comando Vermelho na localidade.

João estava dentro da casa do avô na Rua Expedicionário Geraldo Rosa, no Complexo do Salgueiro, brincando no celular com os primos, quando a casa teria sido invadida por policiais, segundo relatos da família. Os agentes teriam alegado que viram traficantes na residência, mas João Pedro foi atingido pelos disparos. Ele teria sido levado de helicóptero até um hospital no bairro Lagoa, na Zona Sul do Rio de Janeiro, sem que sua família soubesse da localização. A operação contou com três helicópteros, quatro veículos blindados, lanchas e 50 homens.

“A polícia chegou lá de uma maneira cruel, atirando, jogando granada, sem perguntar quem era. Se eles conhecessem a índole do meu filho, quem era meu filho, não faziam isso. Meu filho é um estudante, um servo de Deus. A vida dele era casa, igreja, escola e jogo no celular”, lamentou o pai da vítima, Neilton Pinto.

De acordo com um familiar que não quis se identificar, a casa da família de João seria constantemente visada durante as operações pela infraestrutura que chama a atenção. “É uma casa bonita com piscina, e os policiais acreditam se tratar de um esconderijo de traficantes, mas não é. Quer dizer que o pobre não pode trabalhar e conquistar uma casa boa?”, denunciou a tia do jovem, que não se identificou.

Sem saber para onde o menino havia sido levado, a família começou a procurar por ele, enquanto o assunto tomava conta das redes sociais ao longo da noite e da madrugada com a tag #procurasejoaopedro. Familiares de João foram a hospitais e delegacias de São Gonçalo, Niterói e do Rio, até serem informados, na manhã desta terça-feira (19), que o corpo do adolescente estava no Instituto Médico Legal (IML) de São Gonçalo, em Tribobó.

“Meu filho não tinha envolvimento com nada, era uma pessoa muito querida por todos. Pegaram o meu filho, colocaram no avião e não deixaram ninguém ir com eles. Ficamos horas sem notícias do meu pequeno, por quê? Por que fizeram isso com o João Pedro? O que será da minha vida sem meu filho?”, desabafou a mãe de João, Rafaela Coutinho.

Em resposta, a polícia afirmou que a operação foi realizada com objetivo de cumprir dois mandados de busca e apreensão por tráfico de drogas e que os agentes, que perseguiram criminosos que teriam pulado o muro da residência, foram atacados por criminosos com tiros e granadas, que teriam sido apreendidas na ação. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. Duas testemunhas e os agentes envolvidos na ação foram ouvidos.

No vídeo divulgado pela família da criança, é possível ver inúmeras marcas de tiro dentro da residência, e até mesmo uma poça de sangue no chão. Confira abaixo:

 

Fiscalização de Arraial do cabo e Polícia Militar acabam com festa em casa usada para eventos

A Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Militar interromperam uma festa na noite de sábado (9) na Praia Grande, em Arraial do Cabo, Região dos Lagos do Rio. A intervenção foi feita após denúncias e aproximadamente 30 pessoas foram orientadas a voltar para casa.

Nenhum responsável por promover a aglomeração, que está proibida por decreto municipal durante o período de pandemia, foi localizado. A maior parte do público era de jovens. Eles não resistiram a ordem dos agentes e encerraram a festa na Rua Pastor Paulo Manhard.

Segundo o secretário de Segurança Pública municipal, Bruno Monteiro, tapumes chegaram a ser colocados para impedir a visão pelo lado de fora das pessoas dentro da casa e para abafar o som. Diversos vizinhos acionaram a fiscalização, que chegou ao local por volta das 23h.

“A informação que recebemos é de que outros eventos já tinham sido realizados ali no período de orientação para o isolamento social. É uma casa comum com piscina que foi transformada em espaço para festas”, disse Bruno Monteiro, que acredita que mais pessoas ainda deveriam chegar no local, caso a intervenção não tivesse ocorrido.

De acordo com o secretário, neste domingo (10) o fiscal de plantão tenta entregar a notificação ao responsável pelo evento, mas a pessoa ainda não foi encontrada e o imóvel está fechado.

Jovem de 17 anos morre e criança é baleada por atirador em Saquarema

Um adolescente de 17 anos e uma criança foram vítimas de disparos em Saquarema na última quarta-feira, dia 6, no bairro Alvorada. De acordo com a Polícia Militar, os tiros foram efetuados por um indivíduo dentro de um carro. O jovem acabou morrendo.

Ainda segundo os militares, o rapaz era o único alvo dos atiradores, que acabaram ferindo também a criança que brincava no quintal de casa. Os suspeitos fugiram do local.

A criança, que sobreviveu, passou por uma cirurgia no Hospital Roberto Chabo, em Araruama.

Família de Flávio Migliaccio vai processar o Estado por foto vazada

A família do ator Flávio Migliaccio, encontrado morto nessa segunda-feira (4), em seu sítio, em Rio Bonito, afirmou que vai processar o Estado, depois que policiais militares supostamente vazaram uma foto do corpo do artista. De acordo com o site Notícias da TV, Marcelo Migliaccio, filho único do ator, acionou o advogado Sylvio Guerra para cuidar da causa.

Em seu perfil no Instagram, o advogado comentou o caso. “Foi uma violência, um desrespeito! Estarei tomando todas às medidas judiciais cabíveis em face de dois agentes do Estado, dois Policiais Militares, que divulgaram foto de meu cliente em condições que se encontrava dentro de seu quarto após suicidar-se. Esses policiais carregam a bandeira do Estado em suas fardas”, afirmou Sylvio Guerra.

Ainda conforme o advogado, além de vilipêndio de cadáver, previsto no código penal, a defesa também vai requerer do Estado danos morais. “Ressaltamos que a fotografia foi feita dentro da propriedade privada, sem autorização da família e divulgada em redes sociais. O filho de Flávio, Marcelo Migliaccio, já se manifestou no sentido de doar a indenização, caso seja reconhecida pela Justiça”, concluiu Guerra.

Fonte: Informe Notícias

PM liberta reféns em área de mata, em Saquarema

A Polícia Militar libertou duas pessoas na tarde deste sábado (07) numa área de mata do bairro Alto do Retiro, em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio.

Segundo a PM, policiais do 25º batalhão (Cabo Frio) encontraram as vítimas após checarem uma denúncia de parentes de uma delas.

De acordo com a ocorrência, quatro pessoas ligadas ao tráfico de drogas teriam levado as vítimas para uma área de mata para uma suposta execução. Após cercarem a área, os agentes trocaram tiros com os suspeitos, que tentaram fugir do local.

Após buscas na mata, as duas vítimas foram encontradas amordaçadas e imobilizadas. Três suspeitos foram capturados.

As vítimas foram socorridas e levadas para um hospital, onde foram atendidas, e, posteriormente, foram encaminhadas à delegacia para prestar depoimento.

Na delegacia, após a apreciação dos fatos, os detidos foram enquadrados nos crimes de ameaça e lesão corporal. Após ouvidos, os suspeitos foram liberados, ainda segundo a Polícia Militar.

Fonte: G1/Região dos Lagos