Homem morre em deslizamento no Centro de Rio Bonito

Um homem identificado como Carlos Jorge de Aguiar, de 40 anos, morreu depois de ser soterrado em um deslizamento que aconteceu no Centro de Rio Bonito, no início da noite desta terça-feira (11).

O acidente aconteceu  em uma loja localizada na Praça Astério Alves de Mendonça quando uma obra de contenção era feita em um muro que foi danificado devido as fortes chuvas que atingiram o município de Rio Bonito há alguns meses.

No local funcionava uma papelaria que foi desmontada para que a obra desse muro pudesse ser realizada. No momento em que o trabalho era feito, o barro deslizou atingindo o pedreiro.

Agentes do Corpo de Bombeiro, Samu, Defesa Civil e a Polícia Militar foram chamados para o resgate, mas já encontraram o homem sem vida. Informações sobre o alvará da obra ainda estão sendo apurados e serão divulgados o mais breve possível dando transparência ao caso.

EM APURAÇÃO…

UFRJ Macaé lança programa de teleatendimento para o enfrentamento da Covid-19

A UFRJ Macaé lançou o projeto “O uso do teleatendimento pela população para o enfrentamento da Covid-19”. Estudantes dos cursos de medicina e enfermagem, prestam serviço à população por meio de uma central telefônica. Sob a supervisão de professores, eles esclarecem dúvidas sobre a organização da rede de saúde para o enfrentamento da COVID-19; modos de evitar a transmissão da doença; cuidados pessoais; etiqueta respiratória; como lidar com pessoas suspeitas de contaminação, em isolamento doméstico, entre outras.

As ligações podem ser pagas ou gratuitas (chamadas a cobrar). Apesar da ação acontecer em Macaé, moradores de todas as localidades podem ligar. O programa tem o objetivo de auxiliar a população no combate do novo coronavírus e criar oportunidades para os estudantes terem atividades em casa.

“Estamos tentando levar a informação à população de modo o mais amplo possível. Entendemos que, neste momento, esse é um fator muito importante e até determinante para os rumos da pandemia. É tendo informações claras que a população pode se proteger, evitar pegar a doença e ajudar nos tratamentos” – fala a professora Alessandra de Figueirêdo.

Para os moradores de Macaé, caso haja a necessidade de encaminhamento para uma unidade hospitalar, os estudantes podem direcionar o solicitante para a unidade mais próxima.

SERVIÇO:

O teleatendimento é realizado pelo telefone (22) 2141-4048.

MPF denuncia turismo clandestino em Arraial do Cabo

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou Michel Marques Gomes pelo crime de turismo clandestino em unidade de conservação em Arraial do Cabo (RJ). Em 16 de janeiro de 2019, agentes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) constataram que o acusado estava praticando exploração comercial de turismo náutico nos limites da Reserva Extrativista Marinha (Resex-Mar) de Arraial, com a embarcação Pontal Tur, sem a devida autorização do órgão gestor da Unidade de Conservação.

Na ocasião, foi lavrado o auto de infração nº 033805 B e fixada multa simples no valor de R$ 3 mil. Devidamente intimado e reiterada a intimação, o denunciado não compareceu em sede policial para prestar declarações. Diante disso, o MPF busca a punição de Michel pelo crime previsto no artigo 60 da Lei 9.605/98: “Art. 60 – Construir, reformar, ampliar, instalar ou fazer funcionar, em qualquer parte do território nacional, estabelecimentos, obras ou serviços potencialmente poluidores, sem licença ou autorização dos órgãos ambientais competentes, ou contrariando as normas legais e regularmente pertinentes: Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.”

O exercício de turismo náutico no interior da Resex-Mar de Arraial do Cabo/RJ é regulamentado pela portaria 05/2017, criada com o objetivo de evitar impactos ambientais e sociais e ordenar a atividade. “O turismo clandestino consiste em atividade potencialmente poluidora, sendo incontestavelmente a maior causa de danos à unidade de conservação federal”, destacou o procurador da República Leandro Mitidieri.

Coronavírus suspende temporariamente concurso para Guarda Municipal de São Gonçalo

O Concurso Público para a Guarda Municipal de São Gonçalo que teria a prova realizada no próximo domingo (16), está suspenso por tempo indeterminado. De acordo com a secretária de Administração da cidade, Anna Luiza Perni, a suspensão é apenas por medida de segurança em relação ao corona vírus. A medida já foi publicada no Diário Oficial do município.

“Há uma carência real de servidores e vamos contratar via concurso. Por isso, não há motivo para preocupação. Apenas suspendemos temporariamente as próximas etapas, vamos definir um novo calendário e divulgar assim que for possível”, explicou a secretária.

São 160 vagas previstas no concurso, sendo 40 para contratação imediata e 120 para formação de cadastro de reserva. Além da prova objetiva, o concurso prevê, ainda, Exame de Aptidão Física, Avaliação Psicológica, Exame Médico, Odontológico, e Toxicológico e Investigação Social.

Mais tempo de preparação – Com a suspensão do certame, essa é a oportunidade para que os candidatos reforcem os estudos. “Os candidatos devem aproveitar esse tempo extra para se preparar melhor, tanto para as provas objetivas quanto para as demais etapas”, sugeriu Ana Luiza.

Diretor de Concursos e Processos Seletivos do Instituto Selecon, Marcus São Thiago, confirma a afirmação da secretária. “Estamos aguardando a liberação das autoridades de saúde para que possamos dar prosseguimento ao concurso garantindo toda segurança aqueles que tiveram a inscrição efetivada. Os inscritos devem ver a suspensão como um período a mais para se preparar”, concluiu.

Anvisa quer reforçar medidas contra covid-19 em aeroportos e aeronaves

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai abrir uma consulta pública sobre o reforço nas estratégias de combate à covid-19 em aeroportos e aeronaves. O texto com a proposta de resolução será publicado em breve no Diário Oficial da União, estabelecendo prazo de 15 dias para o envio de contribuições.

“A medida visa dar plenas condições aos fiscais da vigilância sanitária de cumprirem a Portaria Interministerial 1/2020, que prevê a restrição excepcional e temporária da entrada e saída de estrangeiros no país, conforme recomendação técnica da Anvisa”, informou o órgão, por meio de nota.

De acordo com a agência, o objetivo é dar suporte regulatório aos fiscais que atuam em aeroportos para que possam determinar e exigir certas condutas de passageiros, instalações comerciais e responsáveis pelos meios de transporte, de forma a controlar a disseminação do novo coronavírus.

A proposta de regulamentação, segundo o comunicado, também busca reforçar medidas de combate à pandemia, incluindo o uso de máscaras, a adoção de distanciamento social e a higienização das mãos.