Ex-presidente Michel Temer é preso

Foi preso há pouco ex-presidente Michel Temer, em sua casa, em São Paulo, pela Operação Lava Jato. Além dele, o ex-ministro de Minas e Energia Moreira Franco também é procurado pela polícia. Os dois são alvos da Lava Jato do Rio de Janeiro. Os mandados de prisão foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Temer vai realizar exame de corpo de delito no IML e será levado ao Aeroporto de Congonhas, onde vai embarcar em um avião da Polícia Federal (PF) para o Rio.

Carro deixa a residência do ex-presidente em São Paulo (Foto: Gessyca Rocha/G1)

A Polícia Federal tentava localizar o ex-presidente desde ontem (20), mas sem sucesso, o que atrasou a ação em algumas horas.  Temer e Franco são alvos de investigação após a delação de José Antunes Sobrinho, dono da Engevix que afirma ter pago R$ 1 milhão em propina a pedido do coronel João Baptista Lima Filho, amigo de Temer, e de Moreira Franco. O ex-presidente saberia do esquema. A empresa envolvida no caso havia fechado contrato para o projeto da usina nuclear de Angra 3, no Rio.

Temer responde a dez inquéritos, dos quais cinco tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF) por terem sido abertos quando ele ainda era presidente da República e foram encaminhados para a primeira instância após o fim do mandato. Outros cinco foram autorizados pelo ministro Luís Roberto Barroso neste ano, em 2019, quando Temer já não tinha mais foro privilegiado. Porém, não se sabe ainda a quais processos se referem os mandados de prisão.

Temer foi o 37º presidente da República, assumindo o cargo em 31 de agosto de 2016, após o impeachment sofrido pela ex-presidente Dilma Rousself. Foi ex-presidente do PMDB, partido pelo qual foi eleito duas vezes como vice-presidente na chapa de Dilma, candidata do PT, em 2010 e em 2014, e encerrou seu mandato em 31 de dezembro de 2018, após as eleições de Jair Bolsonaro.

* Em apuração

Estácio promove vestibular para servidores municipais neste sábado

A Universidade Estácio de Sá realiza neste sábado (23) um vestibular destinado aos servidores municipais de Rio Bonito. A inscrição é gratuita e deve ser feita no local da prova, realizada no Edifício Henry Ford, localizado na Avenida Sete de Maio, 50, no Centro da cidade, das 9 às 12 horas. O convênio estabelece descontos de 70% (setenta por cento) em todos os cursos presenciais de graduação e pós-graduação (MBA) e 50% (cinqüenta por cento) para os cursos à distância, destinados aos servidores, efetivos ou comissionados, inclusive os dependentes diretos (cônjuge, companheiro, filhos e enteados) que fizerem o vestibular neste fim de semana.

O vestibular é fruto de um convênio entre a prefeitura de Rio Bonito e a Estácio de Sá, que possibilita que os funcionários públicos da rede municipal e seus dependentes possam estudar na instituição de ensino superior com desconto na mensalidade.  Esses descontos só não valem para os cursos de medicina, medicina veterinária, odontologia e gastronomia.

Quem tiver alguma dúvida, pode entrar em contato com Wallace Delgado, pelo telefone (21) 97545-0975, funcionário da Universidade designado para atender os servidores.

Divulgada a lista inicial de aptos ao passaporte universitário

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Educação, divulgou nesta semana a primeira listagem com o nome dos candidatos, em ordem alfabética, aptos e não aptos a participarem do Programa Passaporte Universitário (veja aqui).

Segundo a listagem, dos 1772 inscritos no programa, 1045 candidatos atendem a todas as exigências presentes no edital. De acordo com a pasta esse número pode aumentar, pois até esta quinta-feira (21) é possível que os candidatos não aptos entrem com recurso no prédio do SIM (Sistemas Integrados Municipal), no Centro.

“Essa é a listagem inicial, pois a listagem final somente após a analise dos recursos”, destacou a secretária de Educação Adriana Costa.

A listagem final de candidatos aptos e não aptos será divulgada no site do Programa Passaporte Universitário (passaporteuniversitario.marica.rj.gov.br) e no site da Prefeitura (www.marica.rj.gov.br) na terça-feira (26).

 

Foto: Maricá Info

Maricá registra queda nos índices de criminalidade

O Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro divulgou dados dos indicadores de violência na cidade de Maricá, referentes ao mês de fevereiro. Crimes como homicídios, roubo a transeuntes, roubos a veículos e roubo a residência apresentaram queda. O único indicador que apresentou alta significativa foi estelionato.

Segundo o instituto, foram cinco casos de homicídios registrados no mês de fevereiro deste ano, contra oito no mesmo período de 2018. Nos dois primeiros meses de 2019 foram 13 casos contra 14 do ano passado, uma redução de 7,14%.

Os registros referentes aos roubos a transeuntes apresentaram 44 registros contra 55 do mesmo período de 2018. No primeiro bimestre do ano passado foram 130 casos contra 74 em 2019, o que mostra uma redução de 43,07%.

No caso de roubos a residência o número de registro em fevereiro deste ano e do ano passado foi o mesmo, quatro. No bimestre foram 13 registros em 2018 e apenas cinco no mesmo período deste ano, uma redução de 61,5%.

Os roubos de veículos, indicador apontado pelas forças de segurança como um dos mais preocupantes, também apresentou queda. Em fevereiro de 2018 foram registrados 31 casos e no mesmo período deste ano apenas 13. O comparativo realizado no primeiro bimestre de 2018 e 2019 mostrou redução de 58%, foram 50 casos no ano passado contra 31 deste ano.

Já o indicador que apresentou alta foi o estelionato. No mês de fevereiro de 2018 foram registrados 12 casos e neste ano, no mesmo período, foram 33. No bimestre foram 27 registros em 2018 e 64 no mesmo período deste ano, uma alta de 137%.

Sobre os casos de estelionato, a Dra. Carla Tavares, delegada titular da 82ªDP (Maricá) informou que a alta está relacionada com o reconhecimento de criminosos, o que levou vítimas a delegacia para confeccionar novos registros.

Fonte: Portal Errejota Notícias

CPI da Energia Elétrica é instalada na Alerj para investigar Enel e Light

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) instalou, nesta quarta-feira (20), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a investigar irregularidades na prestação de serviço das concessionárias de energia elétrica Enel e Light. O grupo será presidido pela deputada Zeidan Lula (PT), e terá na vice-presidência e relatoria os deputados Jair Bittencourt (PP) e Max Lemos (MDB), respectivamente.

“A população tem inúmeras reclamações em relação a essas empresas, seja em relação ao próprio fornecimento da energia, à prestação de serviços técnicos ou até mesmo à cobrança feita por elas. Por exemplo, mesmo com a Lei estadual 8.234/18, ainda é feita a cobrança por estimativa, o que é proibido”, destacou a deputada Zeidan.

A empresa Enel atua em 66 municípios fluminenses, enquanto a Light, em 31. Ambas figuram abaixo das 20 primeiras posições no ranking nacional de Desempenho de Continuidade feito pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2017. Durante o trabalho da comissão, serão ouvidos os representantes das empresas e seus trabalhadores e da população atendida.

Ainda compõem a comissão os deputados Bruno Dauaire (PRP), Fábio Silva (DEM), Jorge Felippe Neto (PSD) e Mônica Francisco (PSol), como membros efetivos; e Dionísio Lins (PP) e Gustavo Schmidt (PSL), como suplentes.