Polícia Militar intensifica uso de drones em operações

O uso de drones foi intensificado em operações da Secretaria de Polícia Militar nos últimos meses. As aeronaves são pilotadas de forma remota e transmitem imagens em tempo real, reforçando ações de inteligência, planejamento e coordenação de tropas.

Por ser menos visível que um helicóptero, o equipamento torna possível o levantamento de informações sem que possíveis o localizem com facilidade.

“O drone é usado na identificação de pontos sensíveis, barreiras, bloqueios, locais de encontro de criminosos, entre outros levantamentos. É uma ferramenta muito importante, e seu uso tem sido reforçado”, destaca o comandante do Grupamento Aeromóvel, coronel Rogério Cosendey Perlingeiro.

Atualmente, a PM possui dois equipamentos, ambos adquiridos no período de ação do Gabinete de Intervenção Federal (GIF) no estado. A meta da corporação é equipar as Unidades de Operações Especiais e as convencionais da Polícia Militar com drones.

Em 2017, a PM criou o Núcleo de Aeronaves Remotamente Pilotadas (NuARP). Subordinado ao Grupamento Aeromóvel (GAM), o núcleo priorizou pesquisas para adquirir equipamentos de alta qualidade. Em 2018, a partir das especificações dadas, o núcleo recebeu do GIF dois sistemas remotamente pilotados.

A Polícia Militar do Rio de Janeiro realiza um treinamento de cinco semanas para habilitar policiais a pilotarem essas aeronaves.

Mais de 600 vagas de emprego no estado do Rio

A Secretaria de Estado de Trabalho e Renda do Estado do Rio divulga 665 oportunidades de trabalho nas regiões Metropolitana, Centro-Sul Fluminense, Médio Paraíba e Serrana do Rio de Janeiro.

Na Região Metropolitana, estão sendo oferecidas 422 vagas. Entre elas, 60 para repositor de mercadorias, 20 para supervisor de vendas, cinco para nutricionista, 61 para pessoas com deficiência, entre outras.

No Centro-Sul Fluminense, há 100 vagas para garçom e auxiliar de cozinha.

Na Região Serrana existem 82 vagas. Entre as opções, 15 para vendedor, dez para empregado doméstico e 11 para técnico de suporte de TI.

Também são oferecidas 61 vagas – sendo 30 para pessoas com deficiência – na região do Médio Paraíba, entre elas para pedreiro, pizzaiolo e consultor de vendas.

As vagas são oferecidas na rede Sine-RJ e oferecidas aos candidatos de acordo com o perfil profissional cadastrado no programa.

A remuneração e as exigências para cada função são variáveis e devem ser consultadas no programa Sine. Para verificar as oportunidades, é necessário realizar o cadastro e acessar o programa pelos canais digitais empregabrasil.mte.gov.br ou aplicativo Sine Fácil.

Para esclarecimentos de dúvidas, os candidatos podem entrar em contato com a Central de Captação da Secretaria de Trabalho e Renda pelos e-mails: cecap@trabalho.rj.gov.br ou nead@trabalho.rj.gov.br.

Governo do Rio discute parceria com municípios para ampliar leitos de UTI destinados a covid

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) iniciou a discussão de um acordo com as prefeituras de cinco municípios – Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Itaboraí, Nova Friburgo e Cordeiro – com o objetivo de ampliar a oferta de leitos de UTI para atender pacientes com Covid-19. A proposta é que o Governo do Estado financie a abertura de mais 140 leitos de Covid nessas cinco cidades, para fazer frente ao crescimento do número de internações pela doença verificado nas últimas semanas.

O secretário de Estado de Saúde, Alex Bousquet, explicou que as novas vagas previstas no plano serão gerenciadas pelo Sistema Estadual de Regulação (SER) e poderão ser usadas para atender os pacientes de cidades vizinhas, caso seja necessário.

“O cofinanciamento de leitos de UTI nos municípios servirá para que, ao invés de investir em hospitais de campanha, que são unidades cujo projeto tem início, meio e fim, possamos investir nos municípios, para que eles possam enfrentar melhor a pandemia e até atender às suas regiões. Foi a primeira discussão, mas muito em breve será fechado o texto da resolução e começará o repasse para enfrentamento à pandemia”, afirmou o secretário.

Participaram da reunião os secretários municipais de Saúde Ana Beatriz Busch Araújo (Rio de Janeiro), Vânia Lúcia Vieira Huguenin (Cordeiro); José Carlos de Oliveira (Duque de Caxias), Júlio César de Oliveira Ambrósio (Itaboraí) e Marcelo Braune (Nova Friburgo); além de Valdilea Veloso, representando o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, da Fiocruz.

O chefe de gabinete da Subsecretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Danilo Klein, ressaltou a importância de ampliar o número de leitos neste momento.

“Há o mesmo movimento epidemiológico do começo da pandemia, com aumento de internações na capital, e há tendência de que o fenômeno se repita no interior do estado. É preciso reduzir os números de novos casos e internações, mas também investir em leitos de UTI para evitar a mudança da bandeira amarela, de baixo risco, para a laranja, de risco moderado”, afirmou.

Vânia Lúcia Vieira Huguenin, secretária de Saúde de Cordeiro, explicou a relevância do repasse para o município de Cordeiro e sua região.

“Esses recursos darão mais segurança para os pacientes e para o processo de flexibilização do isolamento social. Há uma dificuldade muito grande, por conta da extensão territorial, de fazer a transferência de pacientes graves. Então, esses leitos são essenciais para salvarmos vidas”, disse.

Recursos repassados pelo estado permitiram, há dois meses, a criação de dez leitos de UTI no Hospital Municipal Antonio Castro, em Cordeiro, o que atendeu também os moradores de Bom Jardim, Duas Barras, Sumidouro, Carmo, Trajano de Moraes, Santa Maria Madalena, São Sebastião do Alto e Cantagalo.

Caixa paga nesta sexta auxílio emergencial para nascidos em setembro

A Caixa alcança nesta sexta-feira (25) a marca de 304,5 milhões de pagamentos do auxílio emergencial, atendendo 67,2 milhões de pessoas. Os pagamentos somam um montante de R$ 207,9 bilhões disponibilizados pelo Governo Federal, com o objetivo de amenizar os impactos da pandemia da covid-19 na renda da população brasileira.

Nesta sexta será pago R$ 1,6 bilhão do auxílio para 4 milhões de beneficiários nascidos em setembro, conforme o calendário do Ciclo 2, e a disponibilização de R$ 428,2 milhões referentes à primeira parcela do auxílio emergencial residual para 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com final de NIS número 7.

Os ciclos de crédito em conta seguem até dezembro para o pagamento das parcelas definidas pelo Governo Federal para o público do CadÚnico e para quem se cadastrou pelo App Caixa | Auxílio Emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Atendimento

A Caixa processou 109,1 milhões de cadastros para o auxílio emergencial. Foram 1,73 bilhão de visitas ao site criado para o programa; mais de 120 milhões de downloads do App Auxílio Emergencial; mais de 522 milhões de ligações para central telefônica 111 e mais de 240 milhões de downloads do aplicativo Caixa Tem.

Governo destina R$ 10 bilhões para pequenos empresários

O governo federal liberou R$ 10 bilhões para a concessão de empréstimos para microempreendedores individuais (MEIs) e empresas de pequeno porte por meio do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac-Maquininhas). A medida provisória (MP) que autoriza a abertura do crédito extraordinário foi publicada hoje (24) no Diário Oficial da União. .

O programa foi aprovado em julho no Congresso e sancionado mês passado pelo presidente Jair Bolsonaro e tem o objetivo de diminuir os efeitos econômicos negativos causados pela pandemia de covid-19.

O Peac-Maquinhas usará como garantia os valores a receber de vendas feitas por meios das máquinas de cartões. A instituição financeira vai considerar o valor de vendas que passou pela maquininha um ano antes do período da pandemia, calcular o valor médio e fixar um valor de empréstimo para essa empresa, limitado ao teto de R$ 50 mil. Os juros são de até 6% ao ano.

De acordo com o texto da MP, os recursos serão liberados a partir da contratação de operação de crédito interna (contratos ou emissão de títulos da dívida pública) e repassados ao Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), instituição responsável por coordenar o programa.