Nota técnica avalia expansão da Covid-19

Pesquisadores de universidades brasileiras emitiram uma nota técnica nesta quarta-feira (25) fazendo uma avaliação do avanço do novo coronavírus no país. Os sete especialistas afirmam que há uma “crise sem precedentes na saúde pública mundial”.

Os cientistas reforçam a necessidade das medidas restritivas para o enfrentamento da Covid-19. No texto, eles fazem um apelo para que a população fique em casa e respeite as indicações que foram baseadas em estudos científicos.

“Acreditem na ciência! Ela pode nos ajudar a reduzir o sofrimento e salvar vidas. Permaneçam em casa”, diz o texto.

O pedido dos pesquisadores contraria o discurso do presidente da República, Jair Bolsonaro, emitido em rede nacional na terça-feira (24).

O ofício técnico é assinado pelos especialistas: Afrânio Kritski, Guilherme Werneck, Rafael Galliez, Roberto Medronho (todos da UFRJ), Mauro Sanchez, Ivan Zimmermann (ambos da UnB) e Domingos Alves (USP).

A nota afirma ainda que Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo atuam como “eixo de disseminação da infecção” para outras partes do país. A partir dos estudos realizados, os cientistas afirmam que “a situação atual sugere que estamos à frente de um cenário com gravidade sem precedentes”.

O artigo aponta também que análises preliminares de pesquisadores da UFRJ e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/BA) estimam que a velocidade de transmissão do vírus no estado do Rio pode ser bem maior do que em outros países.

“Já deveríamos ter implantado a estratégia de contenção e supressão em vários municípios, medidas tomadas pelos países acometidos pela COVID-19, pois, conforme as experiências relatadas em regiões da China e Itália, a efetividade dessas medidas é maior quando iniciadas precocemente, quando o número de casos suspeitos e confirmados está baixo”.