Rio Bonito promove Semana da Inclusão nas escolas

A Secretaria de Educação realiza no próximo dia 24 de setembro o Seminário de Educação Inclusiva, no prédio anexo da Primeira Igreja Batista de Rio Bonito, a partir das 8 horas. Com o tema “Incluir para Transformar, Transformar para Incluir”, o seminário será a culminância da Semana de Inclusão, que termina na sexta-feira (20), com várias atividades que vem acontecendo desde o dia 16/9 em todas as escolas do município. O evento, coordenador pelo Departamento de Educação Inclusiva, foi proposto para aperfeiçoar as formas de integração dos profissionais das escolas com os alunos que precisam de atendimento especializado, trazendo maior embasamento aos profissionais da educação e garantindo que os alunos com deficiência tenham um melhor acesso ao ensino, colaborando assim com o seu desenvolvimento sócio-emocional e psicológico.

As escolas municipais aproveitaram a Semana de Inclusão para realizar vários projetos pedagógicos ligados a arte, cultura e a música, entre outros, envolvendo professores, alunos e familiares. Na Escola Municipal Kingston Mota, por exemplo, os alunos que participaram do projeto “Conhecendo as diversidades e respeitando as diferenças”, montou um circuito na escola para mostrar as dificuldades e desafios enfrentados pelas pessoas com deficiência no dia a dia, além de escrever e fazer pintura usando os pés e a boca.

“Além de estar prevista em lei, a inclusão escolar é uma importante ferramenta de modificação do próprio ambiente estudantil, uma vez que, ao transformar a escola em um espaço inclusivo, faz com que as demais crianças cresçam respeitando as diferenças e contribuindo para uma sociedade menos excludente”,  afirma a secretária de Educação, Wanderlúbia Antunes.

No Colégio Municipal Astério Alves também aconteceu a culminância dos trabalhos elaborados nesse trimestre e apresentados pelos alunos, como o projeto “Brincando com a arte Debret”, “As Sete Maravilhas do Mundo Moderno” e o coral com alunos do 3° ao 5° anos, que interpretaram em linguagem de sinais a música “É preciso saber viver”, dos Titãs, entre outros.

“Debret fez parte da missão artística francesa no início do século 19, vindo ao Brasil com a missão de retratar a vegetação, a fauna, a flora e os hábitos das famílias, numa época em que ainda não existia a fotografia. Ele retratou tudo através das suas pinturas e hoje as pinturas foram retratadas pelos alunos”, explicou a professora de artes, Cintia Campos.

As escolas da rede municipal mantém durante todo o ano letivo um trabalho de inclusão de alunos deficientes. No Colégio Municipal, por exemplo, cerca de 20 crianças já participam das atividades convencionais com as outras crianças.

“Mobilizamos toda a escola que participou das atividades na Semana de Inclusão. Mas vale ressaltar que essas atividades inclusivas acontecem o ano todo na escola”, esclarece a professora de Sala de Leitura, Keila Carvalho da Fonseca Quintanilha.