Justiça aceita pedido de defesa e ex-presidente Lula está autorizado a deixar prisão

O juiz da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, Danilo Pereira Júnior, aceitou hoje (8) o pedido da defesa do ex-presidente Lula e determinou a soltura do petista, após 1 ano e sete meses de prisão na sede da Polícia Federal em Curitiba, Paraná. A decisão foi tomada após a determinação do Supremo Tribunal Federal de vetar prisões após condenação em segunda instância.

O ex-presidente foi condenado em duas instâncias no caso do triplex e, agora, vai poder recorrer da pena em liberdade. Ele só vai cumprir o restante da pena, de 8 anos, dez meses e 20 dias, após o trânsito em julgado. “A decisão da Suprema Corte confirma aquilo que nós sempre dissemos, que não havia a possibilidade de execução antecipada da pena”, afirma o advogado de Lula, Cristiano Zanin.

A defesa do ex-presidente também disse esperar a “nulidade de todo o processo, com o reconhecimento da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro”. Lula estava preso em uma sala especial na sede da PF em Curitiba, como é garantido pela lei, e possuía os requisitos necessários para aderir ao regime semiaberto, cumprindo 1/6 da pena, porém, a progressão ainda não havia sido analisada.