Carnaval: Liesa decide realizar desfiles entre 8 e 11 de julho em 2021

A Liesa convocou uma plenária no início da noite desta segunda-feira e finalmente marcou uma data para os desfiles acontecerem no próximo ano. A entidade, junto com as 12 escolas do Grupo Especial, decidiram que entre 8 e 11 de julho, no caso de haver uma vacina, vai haver desfiles no Sambódromo. Também foi decidido que caso haja o desfile ele vai acontecer nos moldes tradicionais.

Um dos maiores entusiastas da ideia, o dirigente da Beija-Flor, Gabriel David, que havia se frustrado na última plenária, desta vez comemorou o resultado da plenária que marcou a data para os desfiles de 2021.

“Ao que tudo indica as escolas optaram por fazer o carnaval no início de julho do ano que vem. Formato original. Não se faz carnaval do dia para a noite. Precisamos de tempo para trabalhar e preparar tudo. Agora teremos esse tempo. Se não tiver vacina até lá, óbvio que não vai ter nada. Mas isso é muito improvável. Queria agradecer a todos os presidentes por acreditarem nessa possibilidade e por valorizarem suas comunidades e seus trabalhadores”, comemorou.

O presidente da Liesa confirmou a intenção de realização dos desfiles em julho e explicou que um projeto de lei federal pode determinar a data para que todo o Brasil realize o carnaval. Castanheira entretanto deixou muito claro que para que haja condições de realização é preciso haver a vacina.

“Estamos trabalhando para ver as condições básicas para realizarmos o evento em julho. As escolas decidiram por isso dependendo das condições sanitárias. A premissa básica é a existência de vacina. Há a possibilidade de um feriado, através de uma lei federal. Estamos definindo outros passos, ouvindo a prefeitura, o governo do estado, a TV Globo. A possibilidade maior é entre os dias 08 e 11 de julho. Com imunização garantida o evento acontece. O carnaval não fica pronto de uma hora para outra. Estamos realizando o planejamento com bastante antecedência e as escolas estão de acordo. O regulamento não deve sofrer nenhuma mudança e o formato será tradicional”.

Fonte: Jornal Meia Hora