Suspeitos de planejar invadir Maracanã na semifinal da Libertadores são presos no Rio; um homem morreu

A Polícia Civil do RJ prendeu, na manhã desta terça-feira (22), 16 suspeitos que planejavam invadir o Estádio do Maracanã, na noite de quarta-feira (23), para o jogo Flamengo x Grêmio, válido pela partida de volta da semifinal da Libertadores. Até as 9h, um homem tinha morrido em Manguinhos, e outros dois foram baleados no Jacarezinho – um deles dentro de um ônibus.

Segundo as investigações, o grupo estava disposto a enfrentar a polícia, apesar do policiamento reforçado, e também assaltaria outros torcedores no caminho para o estádio. A ação visa a cumprir 27 mandados de prisão e 89 intimações do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos para que suspeitos não se aproximem do Maracanã nesta quarta.

Vigilância pela internet

A investigação monitorou redes sociais e detectou a movimentação de grupos que afirmavam ter falsificado ingressos e se preparavam para roubar torcedores e invadir o estádio. Há áudios dos suspeitos desafiando as forças de segurança e conversas em que planejam ataques. Num dos grupos de troca de mensagens, havia pelo menos 150 pessoas marcando local de encontro para cometer os crimes.

De acordo com informações da polícia, todos os procurados são investigados por formação de quadrilha. Mais de 100 equipes da polícia dão apoio à ação. Os agentes cumprem mandados judiciais na capital, Baixada Fluminense, Região dos Lagos, Região Serrana e Grande Rio. O Batalhão Especial de Policiamento de Estádio (Bepe) vai reforçar o planejamento de segurança e terá efetivo de 800 policiais. O perímetro de segurança também foi estendido no entorno do estádio.

Duas pessoas baleadas no Jacarezinho

Um dos locais onde os agentes cumprem mandados é na Favela do Jacarezinho, na Zona Norte da cidade. Durante a ação, o passageiro de um ônibus que passava pela região foi baleado. Ainda não há informações sobre o estado de saúde da vítima.

Um homem em uma moto também foi baleado no interior da comunidade. Imagens feitas pelo Globocop mostraram homens armados com fuzis no interior da favela, no que seria uma base do tráfico de drogas da região.

Fonte: G1