Homem é encontrado morto com golpes na cabeça, no Centro de Niterói

Quem passava pela Rua Santo Antônio, no Centro de Niterói hoje, segunda-feira (2), pela manhã, se assustou ao ver o corpo de um homem estendido no chão. O corpo foi encontrado com marcas de golpes na cabeça. Policiais da Divisão de Homicídios de Niterói,  Itaboraí e São Gonçalo foram ao local e realizaram uma perícia inicial.

O local onde o corpo foi encontrado fica atrás de um grande supermercado. As câmeras do estabelecimento podem ajudar a elucidar o crime. A vítima ainda não foi identificada, mas segundo informações dos policiais, aparenta ter cerca de 25 anos. A polícia trabalha, inicialmente, com a versão de que o homicídio tenha ocorrido durante uma briga.

O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) do Barreto.

 

Fonte: Jornal O São Gonçalo

Tanguá promove 1º Encontro de Artesãos e Trabalhadores Manuais

Pega, transforma, inova e reinventa. Esses são apenas alguns dos inúmeros desafios que os artesãos têm que superar todos os dias. A luta constante para manter a tradição, em muitos casos, passadas de geração em geração, ganha um reforço em Tanguá. Isso porque, além de promover nesta sexta-feira (30/07) o 1º Encontro dos Artesãos e Trabalhadores Manuais de Tanguá, o município também assinou um termo de cooperação técnica com o Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Com a parceria, técnicos do Estado e do município devem somar esforços para assessorar, orientar e capacitar todos que ainda exercem a atividade na cidade. Durante a assinatura, que contou com a presença de diversos representantes, os artesãos puderam dialogar sobre as políticas públicas a serem desenvolvidas em Tanguá. Além disso, o evento contou com uma exposição de produtos preparados por artistas locais.

“A gente precisa dar respostas, mas, para isso, a gente precisa ouvir e olhar nos olhos dos artesãos. Iniciamos a gestão com apenas 18 artesãos e após uma provocação, avançamos para 70. E tenha a certeza que somos muito mais que 70. Essa é uma construção coletiva da qual todos fazemos parte e através de parcerias vamos avançar ainda mais”, disse Reginaldo Garcia Serrano, secretário municipal de Cultura e Turismo.

Durante o evento, o prefeito de Tanguá, Rodrigo Medeiros, agradeceu a todos os artesãos presentes, e ressaltou o seu compromisso com a cultura e turismo da cidade.

“Em nenhum momento podemos nos esquecer de valorizar os artesãos e aqueles que mantêm vivas as nossas tradições. É por isso que, além de investir em capacitação técnica, queremos ouvir. Porque estando atentos aos anseios dessa categoria, teremos mais chances de acertar”, disse Rodrigo Medeiros.

O encontro também contou com a presença de alguns vereadores, como a parlamentar Aline Pereira, que vem apoiando a categoria. Em suas redes sociais, falou sobre o evento. “Essa (o artesanato) é uma política pública muito importante para nossa cidade, porque dá apoio ao turismo, dá apoio ao trabalho e a renda, e ainda gera empregabilidade”, disse ela.

 

 

Fonte: Secretaria de Comunicação de Tanguá

Prefeitura de Rio Bonito divulga nota sobre ‘revacinação’ e fala sobre responsabilização

A Prefeitura de Rio Bonito divulgou uma nota, nesta sexta-feira (30), em que alerta para a prática da “revacinação”, e suas responsabilizações legais. Segundo a publicação, a Secretaria Municipal de Saúde de Rio Bonito, através do Programa de imunização, alerta sobre o crime de revacinação. Pessoas procuram Unidades de Saúde para se imunizar com diferentes tipos de vacina contra a Covid-19, uma conduta que pode gerar responsabilidade cível e criminal por parte do “revacinado”, configurando fraude e dano moral coletivo, além de possíveis problemas de saúde. De acordo com a nota, está sendo feito um levantamento dos casos de “revacinação”, que serão encaminhados aos setores responsáveis.

“A ação segue a Recomendação Administrativa Nº 16/2021 do Ministério Público (MP) do estado do Rio de Janeiro. Segundo a equipe Sanitária, tal ato pode prejudicar a saúde e que não se sabe dos efeitos colaterais do ‘cruzamento ou sobreposição’ de doses de vacinas diferentes, além de comprometer o Plano Municipal de Vacinação com indivíduos já vacinados desviando doses que deveriam ser direcionadas ao restante da população ainda não agraciada pelo imunobiológico.

Informamos ainda que um levantamento dos casos de revacinação está sendo realizado através dos dados constantes dos sistemas informatizados e serão encaminhados ao setor responsável para acompanhamento de tais casos, bem como notificação ao Ministério da Saúde e Ministério Público para as devidas providências”.

 

 

Fonte: Secretaria de Comunicação Social

Polícia encontra ossos que podem ser de meninos desaparecidos em Belford Roxo

Depois da denúncia sobre a morte e onde estariam os corpos das três crianças que desapareceram em Belford Roxo, em dezembro, uma ossada foi encontrada por policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), hoje, sexta-feira (30), na área próxima a uma ponte, na mesma cidade. No lugar, teriam sido deixados os sacos com os corpos dos três meninos.

Os ossos encontrados, se assemelham a costelas e estariam dentro de um saco preto. O material foi levado para a perícia e deve levar ao menos 7 dias para ser analisado. Fios de cabelo também foram encontrados e serão analisados. Devido ao estado avançado de composição, não foi descartada a hipótese de que seja a ossada de um animal. De acordo com fontes da Polícia Técnico-Científica, a ossada será levada para o setor de antropologia do Instituto Médico Legal.

 

Denúncia

A informação da suposta localização dos corpos veio de uma denúncia feita nesta semana. Depois de sete meses de investigação, um homem se apresentou à polícia e disse que o próprio irmão tinha participado da ocultação dos corpos.

Lucas Matheus, de 9 anos, e Alexandre Silva, 11, e Fernando Henrique, 12, sumiram no dia 27 de dezembro depois que saíram de suas casas para brincar.

Uma das linhas de investigação é a de que as crianças tenham sido vítimas de traficantes da localidade. Outra hipótese é a de que os meninos foram mortos após um deles ter roubado uma gaiola de passarinho de um parente de um dos traficantes do Castelar.

 

 

Fonte: Jornal O São Gonçalo

Projeto Lona na Lua distribui cestas básicas para mais de 1800 famílias de Rio Bonito

Uma ação social promovida pela parceria entre o projeto Lona na Lua e a organização movimento União Rio, tem feito diferença na vida de 1827 famílias de Rio Bonito desde maio deste ano. Cerca de 200 cestas são entregues toda segunda-feira na sede do projeto, no Centro de Rio Bonito. São quase 3 mil cestas já distribuídas até agora. Para mostrar essa ação, a Live da Folha dessa semana aconteceu diretamente da lona do projeto, onde o fundador e diretor do Lona, Zeca Novais, concedeu uma entrevista e explicou como funciona a iniciativa.

Por conta do bom trabalho prestado pelo projeto e respeito adquirido ao longo dos mais de 10 anos de Lona, o movimento União Rio escolheu a instituição de Rio Bonito para ser o veículo dessa ação que beneficia os riobonitenses. Para Zeca, contribuir também dessa forma com a população da cidade, é uma alegria imensa. “O Lona na Lua é conhecido por ser um espaço de arte e de educação, mas também um espaço de cidadania. Mas nesse momento tão difícil, que todo mundo está passando, a gente vê a necessidade de contribuirmos de alguma forma”.

O diretor explicou que as 1827 famílias passaram por um cadastro prévio para se torarem aptas a receberem as cestas. E toda semana, recebem um comunicado indicando a data que terão que comparecer na sede do Lona na Lua para buscarem a doação. Durante a live, foi mostrado como funciona o esquema de distribuição. As pessoas entram uma a uma apenas quando são liberadas na portaria após receberem uma senha. Na sequência, se acomodam nas cadeiras que ficam posicionadas com distanciamento até que seu número seja chamado. Tudo é documentado com fotos e as pessoas assinam o recebimento para uma prestação de contas à União Rio, que por sua vez também presta contas aos doadores.

Uma das beneficiadas é a moradora do Parque das Acácias, Terezinha Conceição. “Tenho três filhos e no momento não estou podendo trabalhar por causa do meu joelho, então essas cestas ajudam muito porque a situação está muito difícil, só com o Bolsa família não está dando. Isso aqui faz a diferença”, disse a dona de casa.

 

Quer doar? Saiba como

Durante a live, Zeca Novais explicou, que quem quiser doar cestas básicas para que o Lona na Lua distribua para as famílias, pode doar para o movimento União Rio – as informações para doação estão contidas no site movimentouniaorio.org – ou podem apenas entregar as cestas na sede do Lona na Lua (terreno do antigo DNR). Como as atividades presenciais estão suspensas no projeto por conta da pandemia, os interessados podem encontrar as portas fechadas, por isso, ele pede para que entrem em contato previamente à doação através do site lonanalua.org.br ou através das redes sociais. A cada R$ 67,00 doado para o movimento União Rio, uma cesta é entregue.

Movimento União Rio

O Movimento União Rio é um movimento voluntário da sociedade civil do Rio de Janeiro que reúne pessoas, empresas e organizações não governamentais com objetivo de preservar vidas. Atuando em duas frentes, levantando as principais demandas na área de saúde e na área de apoio às comunidades vulneráveis para reduzir os impactos da pandemia da Covid-19.

 

 

Lívia Louzada