Karen Figueiredo e Rafael Fróes vencem eleição para presidente, e vice, da 35ª Subseção da OAB

Por 124 votos a 84, a chapa 1, encabeçada pelos advogados Karen Figueiredo, que é a atual presidente, e Rafael Fróes, ganhou as eleições para comandar a 35ª Subseção da OAB – Rio Bonito, Tanguá e Silva Jardim – nos próximos três anos. A eleição aconteceu hoje (16), na sede da subseção, localizada no Centro de Rio Bonito, onde 210 advogados estiveram presentes para escolher os dirigentes da instituição nos três municípios.

Assim como em todos os municípios do estado, os advogados também votaram para escolher a próxima diretoria da OAB do Rio de Janeiro. Na 35ª Subseção, a chapa 1, do atual presidente Luciano Bandeira, venceu a eleição em Rio Bonito. Até o fechamento desta edição, o resultado final da eleição da OAB-RJ ainda não havia sido divulgado.

A eleição

Os advogados votaram de 9h às 17h, e por volta das 17h30 o vencedor foi anunciado pela Comissão Eleitoral da subseção.

À reportagem da Folha, a presidente eleita falou que o processo eleitoral aconteceu de forma tranquila e dentro do esperado.

“Tudo transcorreu muito calmamente, não tivemos nenhum tipo de conflito, de atrito. Ficamos felizes porque a advocacia veio participar desse processo eleitoral”, disse a presidente reeleita.

O vice-presidente eleito falou sobre o apoio dos colegas advogados. “Foi muito bom recepcionar os colegas que não víamos há muito tempo por conta desse período pandêmico. Foi muito satisfatório receber esse apoio, esse carinho, e acima de tudo receber o voto deles”, disse Rafael.

Prometendo modernizar a subseção, os advogados disseram que “todas as propostas são prioritárias, mas com muita luta e engajamento, conseguiremos colocar tudo em prática”, disse o vice-presidente eleito.

Chapa 2

Prometendo alternância de poder, apesar de não terem conseguido vencer o pleito, os candidatos da chapa 2, Glauber Guadelupe, e o candidato a vice, Luiz Felipe Boareto reconheceram a derrota e cumprimentaram os eleitos, ainda durante a apuração, quando não haviam mais chances de vencerem.

“A gente vê que o processo democrático está sendo observado. Infelizmente perdemos por 40 votos. Mas a gente vai continuar na luta em prol da instituição”, disse Glauber Guadelupe.

 

 

Lívia Louzada

Candidatos a presidente da 35ª Subseção da OAB (Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim) expõem suas propostas

Com a aproximação da eleição para escolher a nova diretoria que comandará a 35ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim – pelos próximos três anos, que acontecerá no dia 16 de novembro, a FOLHA convidou os candidatos para uma entrevista na tentativa de que os advogados pudessem conhecer as propostas e fundamentar melhor seu voto. Por esse motivo, nas duas últimas semanas, a Live da Folha foi com os candidatos a presidente e vice da Chapa 1 – ‘OAB Forte e Unida’, Karen Figueiredo e Rafael Fróes; e Chapa 2 – ‘Pela Ordem’, Glauber Guadelupe e Luiz Felipe Boareto.

Esse é apenas um resumo das lives. As duas entrevistas estão disponíveis no Facebook, Instagram e no YouTube do Jornal Folha da Terra

Chapa 1

A chapa 1, que leva o nome de “OAB Forte e Unida”, é formada pela atual presidente da 35ª subseção, Karen Figueiredo, como candidata a presidente, e Rafael Fróes, candidato a vice-presidência. Segundo a candidata a reeleição, o período de pandemia atrapalhou a execução de diversas ações que estavam em andamento e também outras que seriam iniciadas pela sua gestão, como a proposta de disponibilizar uma van para que os advogados dos três municípios que competem a 35ª subseção, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim, possam se deslocar para os fóruns. E de acordo com ela, esse é um dos projetos que será colocado em prática, se sua chapa ganhar o pleito.

A dupla de advogados ainda listou algumas outras propostas que estão em seu plano de ação para o próximo triênio, como a capacitação profissional, oferecendo cursos e palestras; trazer a Justiça Itinerante Trabalhista para Rio Bonito novamente; dar assessoria e assistência informativa para que os advogados trabalhem com as mídias digitais; suporte e auxílio para os jovens advogados; lançar o projeto ‘prerrogativa digital’ através de um link nas redes sociais para que o advogado envie sua reclamação de forma online; e ainda criar em Silva Jardim um escritório compartilhado digital, como o que já existe em Rio Bonito.

Karen e Rafael ainda falaram sobre uma grande demanda, a falta de um juiz titular para a 1ª Vara do Fórum de Rio Bonito. Segundo eles, a proposta seria desvincular o juizado da 1ª Vara, para que assim, o volume de processos seja menor e juízes tenham o interesse de assumir a vaga.

Para Karen, “a perspectiva para o próximo triênio é trabalhar mais pela advocacia. É colocar em prática o que não conseguimos colocar (por causa da pandemia também). Nossas propostas são atuais. Nosso desejo é ter a advocacia cada vez mais forte e unida porque acho que só seremos fortes, se formos unidos, divisão não dá certo, a ideia é união”, enfatizou.

Alinhado com o mundo digital, Rafael Fróes disse que a intenção é “compatibilizar o que tem de legal na questão virtual, com o que tem de muito legal nas questões presenciais, que a gente está com saudade. Então o desafio da advocacia é esse, unidos, fortes, e buscando melhoria da advocacia que vai repercutir diretamente na população, na sociedade. Compatibilizar o que tem de bom na área tecnológica, com o que não se pode perder nunca, que é a essência humanística do presencial”, finalizou o advogado.

Chapa 2

Representando a chapa 2, “Pela Ordem”, o candidato a presidente Glauber Guadelupe e o vice, Luiz Felipe Boareto disseram que defendem a alternância de poder e que a 35ª subseção precisa ter mais “representatividade” na municipalidade.

“Nós entendemos que a OAB como instituição, tem que ter uma interferência maior, principalmente na municipalidade. (…) A gente quer dar a nossa contribuição porque a gente acha que a gente tem que trazer novas ideias”, disse Glauber.

Durante a entrevista, os candidatos falaram sobre diversas propostas que pretendem realizar à frente da subseção, se forem eleitos. Uma delas é o ‘happy hour jurídico’, que seria um encontro de novos e antigos advogados, para troca de experiências, boas e ruins, com o objetivo de crescimento profissional.

Outras propostas são; uma parceria com táxis e carros de aplicativo, para facilitar o transporte dos advogados até o Fórum dos municípios; conseguir o retorno da Justiça do Trabalho para Rio Bonito; instalação do Fórum de Tanguá, realizar a Semana Jurídica, com palestras e eventos que contribuam para o crescimento da profissão; formar um grupo para acompanhamento da utilização da verba proveniente do leilão da Cedae, que Rio Bonito e Tanguá receberam; e ainda a volta do projeto ‘OAB Vai a Escola’, em que advogados visitam escolas e ministram palestram sobre noções básicas de cidadania e Direitos Fundamentais, por exemplo, para os estudantes.

No entendimento de Boareto, o fortalecimento da instituição, é uma das questões mais importantes. “A intenção nossa como instituição OAB, é ter uma OAB mais forte, só que pra OAB ficar mais forte, eu dependo de que o advogado inscrito nela também se torne mais forte. Isso é uma coisa muito importante. Nós não temos que dar cesta básica para o advogado, nós temos que fazer com que o advogado ganhe dinheiro, que ele tenha trabalho”.

Defendendo a representatividade da OAB, Glauber prometeu ação, se eleito for. “A gente pretende efetivamente representá-la em todos os sentidos, não só no sentido jurídico, mas também no sentido social e econômico, perante os três poderes. Não só com ações judiciais, mas com efetivas diligencias ao Executivo e Legislativo. E para o advogado colega, eu peço que ouça nossos projetos. Não decida seu voto antes de nos ouvir. Nos dê essa oportunidade de fazer um trabalho real para o advogado”, disse.

 

Lívia Louzada

 

Escritórios compartilhados da 35ª Subseção da OAB já são uma realidade

Se antes da pandemia os serviços já eram digitalizados e virtuais, com a retomada das atividades, o mundo ficou ainda mais online. E como historicamente a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sempre foi uma instituição pioneira na luta para garantir que todos tenham acesso à Justiça, a 35ª subseção da OAB – Rio Bonito, Tanguá e Silva Jardim – não poderia ficar para trás. Assim que as atividades na sede da subseção voltaram, gradativamente, em julho deste ano, foi feito todo possível para dar segurança e estrutura para advogados e clientes. Os escritórios compartilhados e os processos digitalizados são um exemplo disso.

Segundo a presidente da subseção, Karen Figueiredo, palestras, minicursos, e solenidades de compromisso para entrega de Carteira de Advogados e Estagiários já retornaram normalmente. E os escritórios compartilhados, onde advogados podem receber seus clientes, estão sendo cada vez mais usados, por isso receberam uma nova estruturação.

“Tivemos um olhar direcionado para a estruturação (dos escritórios) com webcams e microfones para que os advogados e advogadas pudessem utilizar em suas audiências e despachos virtuais. Isso foi necessário por conta da nova realidade, fruto da virtualização dos processos e acessos ao Tribunal, que ainda prioriza por videoconferência, e plataformas digitais que os Tribunais vem utilizando. E além dos escritórios compartilhados serem úteis para que o advogado atenda seus clientes, ele se tornou um instrumento de trabalho também para a realização de audiências e despachos virtuais e balcão virtual. Então tivemos esse olhar para que fosse implantado de forma urgente”, explicou Karen.

A presidente ainda contou que por conta da parceria que foi feita com os Tribunais de Rio Bonito e Silva Jardim, mais de 100 processos já são digitais, o que facilita a vida do advogado e consequentemente a de seu cliente.

 

 

Texto: Lívia Louzada

Fotos: Divulgação

Prefeito de Tanguá, Rodrigo Medeiros, e a presidente da 35ª subseção da OAB/RJ, Karen Figueiredo, assinam Termo para instalação do novo escritório compartilhado digital

A 35ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) – Rio Bonito, Silva Jardim e Tanguá – e a Prefeitura de Tanguá assinaram um Termo de Permissão de Uso, na última quarta-feira (22), para a instalação do novo escritório compartilhado digital da 35ª subseção. O ambiente ficará localizado dentro do Espaço Cidadania, nas dependências da Prefeitura.

Segundo a presidente da subseção, a advogada Karen Figueiredo, a intenção é proporcionar aos advogados, mais um espaço para atendimento, peticionamento, realização de audiências e demais atos processuais digitais.

“A diretoria agradece a disponibilidade e compreensão do prefeito Rodrigo Medeiros, ao colocar em prática este projeto tão agregador não só para a advocacia, como para a sociedade tanguaense. E agradecemos também ao presidente da OAB/RJ, Dr. Luciano Bandeira, por todo apoio direcionado a advocacia de Rio Bonito, Silva Jardim e Tanguá”, disse a presidente.

De acordo com o prefeito de Tanguá, Rodrigo Medeiros, foi uma honra assinar esse Termo que será útil aos advogados.

“Tive a honra de assinar o Termo de Permissão de Uso para a instalação de uma sala de escritório digital para atender à Advocacia, no Espaço Cidadania, aqui mesmo na Prefeitura, de modo a que seja utilizado pelos profissionais do Direito, não apenas da nossa cidade, bem como por todos os profissionais que atuam em uma das mais célebres profissões entre todas as demais. Sejam muito bem-vindos, advogados! Sem advogado não há Justiça!”, disse o prefeito.

35ª subseção da OAB de Rio Bonito questiona omissão em combate ao coronavírus

35ª subseção da OAB de Rio Bonito emite nota ante a omissão em combate ao coronavírus

A presidente da 35ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Rio Bonito, Silva Jardim e Tanguá, Karen Lívia Figueiredo, se reuniu nesta quarta-feira (6) com o Gabinete de Crise criado pela Prefeitura Municipal em esforços ao combate do coronavírus. Na ocasião, além da diretora-tesoureira e de um representante da Comissão de Prerrogativas  também estiveram presentes líderes religiosos da cidade e outras personalidades vinculadas à Prefeitura.

No encontro, foram abordadas questões como a forma com que a Covid-19 se desenvolve e afeta o organismo, além do problema já exposto pela Prefeitura de Rio Bonito em relação as dificuldades para a aquisição de equipamentos de saúde e insumos da área.

A presidente da 35ª subseção, Karen Lívia Figueiredo, questionou a comissão sobre o acordo celebrado entre Rio Bonito, Tanguá e Silva Jardim para o combate conjunto à doença, que juntas, registram 67 casos da doença. Em nota oficial divulgada pela Subseção, a resposta dada pela dirigente da reunião foi de que “os municípios vizinhos não estão dando continuidade ao acordo, que fizeram tentativas para darem prosseguimento mais ninguém aparece, que os referidos municípios já receberam seus respectivos repasses”.

Em relação a compra dos insumos necessários para o tratamento da Covid-19, a resposta recebida pela subseção da OAB foi de que a demora é causada pelos “preços altos para compra dos equipamentos necessários, que a Prefeitura não vai comprar em caráter emergencial, para que não hajam problemas futuros”.

Karen também questionou a possibilidade da Prefeitura Municipal de Rio Bonito de atuar com sua parte no acordo, juntamente com o Hospital Regional Darcy Vargas, utilizando os recursos e a quantia destinada ao município pelo Governo Federal. Em resposta, foi garantido que “até a próxima semana, o Hospital Darcy Vargas já estará com estrutura para atendimento dos casos do Covid-19”.

Em nota oficial, a diretoria da 35ª subseção criticou a postura dos municípios de Silva Jardim e Tanguá, afirmando esperar que “os municípios de Silva Jardim e Tanguá apresentem uma justificativa de forma a provar a motivação de um comportamento omissivo e de extrema gravidade, já que estamos em um momento onde as palavras que cabem são legalidade, moralidade e eficiência”. A nota, diz, ainda, que a diretoria da Subseção possui “imensa dificuldade em acreditar e aceitar posturas políticas tão distantes da realidade atual”, lembrando que “ninguém está livre do Covid-19”.

A Subseção afirmou esperar, ainda, que “o município de Rio Bonito repasse todas as verbas devidas ao Hospital
Regional Darcy Vargas, seja pelo governo Estadual e/ou Federal, para o efetivo e ininterrupto atendimento à população, tal como se manifeste sobre a recusa e/ou demora dos referidos repasses”, acrescentando, ainda, que acreditam que este “não é o momento para disputas partidárias e pessoais”.