Farofa Gkay custou R$ 2,8 milhões e foi o assunto mais comentado da semana nas redes sociais

às

Nos últimos dias, não se falou em outra coisa. Durante três dias, a festa da Gessica Kayane, a “Farofa da Gkay”, reuniu artistas e influenciadores de diferentes segmentos, num hotel no Ceará, com tudo pago: hospedagem, shows, comida e bebida… Muita bebida, aliás. Para se ter uma ideia, o investimento para o evento, que acontece desde 2017, custou cerca de R$ 2,8 milhões.

Segundo dados da agência de influenciadores responsável pela carreira de Gkay, o conteúdo produzido por quem esteve na farra impactou um total de 66 milhões de pessoas. Só a anfitriã, no período dos festejos, conquistou um total de 680 mil novos seguidores.

Agora, só no Instagram, ela acumula 17 milhões de fãs. Os stories da influenciadora, durante os dias do evento, chegavam a registrar cerca de 4 milhões de visualizações, em média.

Muito dessa repercussão – além, é claro, dos babados e pegações protagonizados pelos convidados famosos – vem da estratégia de convidar influenciadores de ramos diferentes. Eles criam conteúdo por lá e repercutem tudo em suas próprias redes. Apenas uma foto de Viih Tube no evento, por exemplo, ultrapassou a marca de 1 milhão de curtidas.

Antes da Farofa, a expectativa era que 11 cotas de patrocinadores fossem vendidas, o que geraria uma receita de R$ 8 milhões, segundo dados da “Isto é Dinheiro”. Apenas três marcas, porém, compareceram.

A Farofa contou com shows de nomes como Alok, Léo Santana e Kevinho, além de ter sido o local onde foi mostrado pela primeira vez o novo trabalho de Anitta em parceria com Pedro Sampaio: “No chão novinha”.

Sucesso de público, a Farofa teve uma audiência acumulada em mais de 1 bilhão de impressões e seguidores reunidos.

 

Crédito: extra.globo.com

Veja também

Light afirma que teve que fazer uma parada emergencial por causa de um defeito na rede subterrânea.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias