Prefeitura de Maricá retoma cadastro do Auxílio Recomeço nos dias 07 e 08/11

Inscrições para o programa destinado às vítimas do temporal que atingiu a cidade no dia 05/10, em Itaipuaçu, devem ser feitas no Centro Administrativo
às
cadastramento-auxilio-recomeco-1
Foto: Clarildo Menezes

A Prefeitura de Maricá vai reabrir nesta terça e quarta-feira (07 e 08/11), das 09h às 17h, o cadastro para o “Auxílio Recomeço”, programa destinado somente às vítimas do temporal que atingiu a cidade no último dia 5 de outubro, em Itaipuaçu, e teve como um dos locais mais atingidos as regiões do Jardim Atlântico Leste, Oeste e Central. Os interessados devem se dirigir ao Centro Administrativo de Itaipuaçu, localizado na Rua Van Lerbergue, 249, Itaipuaçu.

O cadastramento foi aberto na manhã de terça-feira (31/10) para os moradores que estiveram no local para efetuar a inscrição e tirar dúvidas. Por causa do feriado de Finados, o atendimento será retomado na terça e quarta-feira (07 e 08/11).

O benefício será pago no valor de cinco mil mumbucas (equivalente a R$ 5 mil) em parcela única. Serão priorizados aqueles que tenham um imóvel nas localidades Jardim Atlântico Leste, Oeste e Central, em Itaipuaçu, e que tenham renda familiar total menor que cinco salários mínimos.

O “Auxílio Recomeço” foi utilizado pela primeira vez de forma emergencial para ajudar 3.531 pessoas na reconstrução de residências, aquisições de imóveis e eletrodomésticos perdidos após o temporal que atingiu a cidade em abril de 2022. Na ocasião, a tempestade foi a maior em volume de água já registrada pelos pluviômetros nos últimos dez anos em Maricá.

Sobre a lei

A lei que criou o auxílio foi aprovada pela Câmara Municipal no último dia 30/10 e visa a cobertura de despesas com materiais de construção das casas e de estabelecimentos comerciais atingidos pelas adversidades climáticas ocorridas no município de Maricá.

O auxílio será creditado à família que tenha residência fixa e à pessoa que possua empreendimento sediado em Maricá e que foi vítima de desastres naturais decorrentes de chuva, ventanias e/ou deslizamentos ou que estejam em situação de vulnerabilidade temporária. Os imóveis precisam ter o laudo emitido pela Secretaria de Proteção e Defesa Civil, devem atender aos critérios de construção a serem verificados junto à Secretaria de Urbanismo e, caso seja unidade empresarial, devem estar autorizados a funcionar.

No caso de pessoa jurídica, os critérios para receber o valor é que seja microempreendedor individual; classificada como microempresa; classificada como empresa de pequeno porte; pessoa jurídica com mais de dois anos de inscrição com sede no município; que o dano causado pelas adversidades climáticas coloque a coletividade em risco, conforme laudo da Secretaria de Proteção e Defesa Civil.

Sanções em caso de descumprimento de regras

O beneficiário deverá devolver os valores recebidos na hipótese de: constatado o descumprimento das situações previstas; constatado o pagamento do auxílio para duas, ou mais pessoas, da mesma unidade danificada. A ausência de utilização do auxílio no prazo de dois meses, contados de sua disponibilização, gerará o cancelamento automático do auxílio financeiro e devolução do valor correspondente que ainda estiver na conta, independentemente de prévia ou posterior notificação do beneficiário.

Veja também

Encerradas definitivamente, sistema de transferências via DOC, um dos mais tradicionais meios de pagamentos bancários por décadas.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias