Programa veterinário para atendimento gratuito de animais domésticos poderá ser instituído no Rio

às
FOTO PARA SITE MODELO (2)

O Governo do Estado poderá instituir o Programa de Incentivo à Saúde Animal para atendimento gratuito de animais domésticos. A autorização é da Lei 10.107/23, de autoria original do deputado Tande Vieira (PP), que foi sancionada pelo governador Cláudio Castro e publicada no Diário Oficial Extra do Executivo de quarta-feira (20/09).

O objetivo do programa é o incentivo a criação de hospitais veterinários regionais, bem como o apoio aos já existentes. Os hospitais devem funcionar por 24 horas e ser geridos pelas prefeituras ou através de consórcios regionais. Para ter acesso aos benefícios do programa, os hospitais devem ter setor de atendimento, diagnóstico, cirúrgico, de internação e de sustentação, bem como contar com a presença permanente de médico veterinário e seguir as normas da Resolução 1.275/19 do Conselho Federal de Medicina Veterinária. O hospital também precisa estar localizado em agrupamentos de bairros, cidades e/ou regiões que contemplem um território de cobertura assistencial com, no mínimo, 50 mil moradores. A medida ainda precisa de outras regulamentações do Executivo.

Os benefícios da norma são a disponibilização pelo Governo do Estado de recursos financeiros para construção de novas unidades, para adaptação e/ou ampliação de unidades já existentes, para aquisição de equipamentos e mobiliário, para custeio do funcionamento de cada unidade e para custeio do funcionamento de farmácias veterinárias públicas.

Os hospitais veterinários públicos já existentes, que se enquadrem nas normas previstas, podem ser beneficiados com projetos de ampliação, modernização de equipamentos e custeio das unidades e de farmácias veterinárias a elas relacionadas.

O texto autoriza o uso dos recursos do Fundo Estadual de Saúde (FES). O atendimento dos hospitais deve incluir consultas, urgências e emergências, tratamentos, castrações e cirurgias gerais, inclusive ortopédicas e oftalmológicas, internações, exames laboratoriais e de imagem, vermifugação, controle e combate de zoonoses, pulgas e carrapatos, além do controle populacional dos animais de rua.

O atendimento deve ser gratuito para todos os procedimentos, inclusive para animais de rua levados por tutores, cuidadores e/ou protetores, devendo o responsável se identificar através do seu Cartão Nacional de Saúde (CNS) para fins de cadastramento e comprovação de residência na área de atuação da unidade.

A Secretária de Estado de Saúde (SES) deve fixar, por meio de resolução, as metas de desempenho e produtividade que serão pactuadas com cada hospital veterinário. Os resultados dessas metas deverão ser publicadas semestralmente em site oficial e Diário Oficial.

“Sabemos que, infelizmente nos dias de hoje, pessoas mal-intencionadas maltratam, abandonam e até torturam os animais, mas não só isso, os animais em certos momentos precisam de ajuda por questões de doenças ou acidentes e assim, o Estado precisa intervir para cuidar de fato, inclusive dos animais que não têm um lar e vivem nas ruas”, afirmou Tande Vieira.

Também assinam a proposta como coautores os seguintes parlamentares: Val Ceasa (Patriota); Márcio Canella (União); Tia Ju (REP); Dionísio Lins (PP); Chico Machado (SDD); Lucinha (PSD); Yuri (PSol); Flávio Serafini (PSol); Carlos Minc (PSB); Luiz Paulo (PSD); Martha Rocha (PDT); André Corrêa (PP); Munir Neto (PSD); Jari Oliveira (PSB); Carla Machado (PT); Dani Balbi (PCdoB); Renata Souza (PSol); Vitor Júnior (PDT); Rosenverg Reis (MDB); Luiz Cláudio Ribeiro (PSD); Verônica Lima (PT); Filippe Poubel (PL); Marcelo Dino (União), Arthur Monteiro (Pode); Cláudio Caiado (PSD); Giovani Ratinho (SDD); Índia Armelau (PL), Carlinhos BNH (PP), Brazão (União), Prof. Josemar (PSol), Dr. Deodalto (PL), Anderson Moraes (PL) e Andrezinho Ceciliano (PT).

Veja também

Encerradas definitivamente, sistema de transferências via DOC, um dos mais tradicionais meios de pagamentos bancários por décadas.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias