Responsáveis por autistas poderão ter acompanhamento emocional

Alerj analisa projeto de lei do deputado Guilherme Delaroli para acolhimento e capacitação com psicólogo, psiquiatra e neurologista
às
thumbnail
Foto: Divulação/Alerj

A Alerj aprovou na última quinta (04) um projeto de lei que visa os responsáveis por autistas ter acompanhamento emocional no RJ, Projeto de Lei 1.433/23, do deputado Guilherme Delaroli (PL), que autoriza a criação do Programa de Acolhimento e Capacitação para pais ou responsáveis de pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Por ter recebido emendas, o texto ainda deverá ser votado em redação final.

Responsáveis por autistas poderão ter acompanhamento emocional Foto: Julia Passos

A medida tem como objetivo proporcionar apoio psicológico pós-diagnóstico à família das pessoas no TEA e promover a capacitação de todos, especialmente gestores, sobre os aspectos desta condição, como rigidez cognitiva, literalidade, comunicação efetiva, estratégias para situações difíceis e delicadas, acomodações sensoriais, atenção, previsibilidade e ambiente incluso. A capacitação tem o objetivo de garantir autonomia à pessoa com TEA.

O programa também tem o objetivo de combater a discriminação contra pessoas com TEA e outras deficiências, respeitar a dignidade e autonomia e liberdade de escolho desses indivíduos, reconhecer e aceitar a diversidade humana e garantir a igualdade de oportunidades, acessibilidade e equidade entre homens e mulheres com TEA.

Leia também – Deputado estadual Guilherme Delaroli troca tiros com criminosos em Itaboraí siga nossas redes sociais.

“A compreensão da condição por parte dos pais ou responsáveis não só facilita a intervenção precoce e o acompanhamento adequado, mas também pode ajudar a minimizar os sintomas e melhorar o desenvolvimento em várias áreas da vida do indivíduo, incluindo aprendizado e socialização”, comentou Delaroli na justificativa do projeto.

O programa prevê uma equipe multidisciplinar, com profissionais especializados no TEA, como psicólogos, psiquiatras, psicopedagogos, neurologistas e assistentes sociais, que garantirão o adequado acolhimento e capacitação dos familiares.

O texto também autoriza o Estado do Rio de Janeiro a firmar convênios com instituições universitárias para viabilizar o atendimento.

Crédito: Alerj

Veja também

A população de Casimiro de Abreu demonstrou grande solidariedade às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul
às
Uma nova frente fria deve se estabelecer no Brasil neste final de semana. Essa mudança na temperatura irá provocar o aumento
às
aplicativo oferece de forma simples, rápida e segura a realização de denúncias de violência contra mulher
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias