Estado do Rio tem quase 4500 casos dengue em 16 dias, segundo boletim

às
Screenshot_2
Foto: © Arquivo/Agência Brasil

Dengue no Rio de Janeiro. Em apenas 16 dias, o estado do Rio de Janeiro já registra quase o mesmo número de casos de dengue das primeiras 8 semanas de 2023. O Panorama da Dengue, boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ) divulgado sexta-feira (19/01), destaca que o Rio de Janeiro segue com tendência de alta na quantidade de casos, apresentando números acima da média histórica para o início do ano. O documento reforça o alerta para o avanço da doença e a necessidade de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti. Com exceção da Região Metropolitana II, que inclui os municípios de Niterói e São Gonçalo, todas as outras oito regiões do estado apresentam casos prováveis acima do que se espera para essa época do ano.

Dados do sistema Monitora RJ, do Centro de Inteligência em Saúde (CIS) mostram que a SES-RJ recebeu 4.446 notificações de 1º a 16 de janeiro. Em 2023, o estado levou quase dois meses para chegar a esse patamar, com 4.728 casos em oito semanas. No entanto, como os dados levam de duas a seis semanas para serem inseridos no sistema pelos municípios, a secretaria trabalha com a hipótese de um número de casos ainda maior. E, por isso, prepara ações para se antecipar a um eventual aumento de demanda pelos serviços de saúde.

“Hoje, nossa preocupação está concentrada no Médio Paraíba, na Baixada Litorânea e no Centro-Sul. São regiões onde vários municípios estão com aumento de casos, chamando a atenção. Mas também estamos sempre de olho na Região Metropolitana, onde, por conta da grande população, as demandas costumam ser maiores”, explica Mário Sérgio Ribeiro, subsecretário de Vigilância e Atenção Primária à Saúde.

Dengue no Rio de Janeiro. Em 16 dias, o estado do Rio já registra quase o mesmo número de casos de dengue das primeiras oito semanas de 2023.

Dengue no Rio de Janeiro – Foto: © Divulgação/Fiocruz

Como parte do plano de contingência para enfrentamento à dengue, a SES-RJ realizou, em dezembro, capacitações visando melhorar o diagnóstico e manejo clínico dos pacientes, para médicos e enfermeiros dos 92 municípios fluminenses, bem como para os profissionais de saúde vinculados às unidades próprias da rede estadual. A capacitação incluiu, também, um evento exclusivo para manejo clínico de gestantes.

“Também incluímos ações de apoio aos municípios para a implantação de centros de hidratação. Essa é uma estratégia estabelecida pelo Ministério da Saúde, porque a hidratação é uma forma de reduzir as formas graves e óbitos. Quem tem dengue precisa ser hidratado imediatamente. Mas, muitas vezes, concorre com outros pacientes pelo atendimento nas unidades. Por isso, criamos alternativas e damos suporte aos municípios para que haja um atendimento separado para a dengue, para que os pacientes não evoluam para formas graves”, afirma Ribeiro.

Sobre o Panorama da Dengue

Elaborado por técnicos do Centro de Inteligência em Saúde (CIS) da SES-RJ, o Panorama da Dengue traz um detalhamento da tendência de contágio por regiões de municípios, com a comparação dos gráficos atuais com as médias históricas. Além de aumentar os esforços para eliminação de focos de mosquitos, a SES-RJ intensificou a coleta precoce de amostras de casos suspeitos de dengue e envio para o Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ), com objetivo de identificar os sorotipos do vírus da dengue em circulação no estado. Outras ações incluem a realização de treinamento com equipes da assistência sobre o manejo clínico dos pacientes com suspeita, além do registro oportuno das notificações dos casos suspeitos.

Baixada Litorânea: 197 casos prováveis.
A região tem número acima do esperado para o momento e já ultrapassando o máximo esperado para o período sazonal, março e abril. Rio das Ostras se destaca com o aumento de casos prováveis.

Região Metropolitana l: 2.993 casos prováveis
Apresenta número de casos prováveis acima do padrão esperado para o período. Todos os municípios estão com números acima do esperado, mas ainda com números absolutos baixos. Cidades que compreendem a reião: Rio de Janeiro, Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Paracambi, Queimados, São Gonçalo, São João de Meriti, Seropédica, Mesquita e Tanguá.

Região Metropolitana ll: 47 casos prováveis
Região notificou número de casos menor que o esperado nas primeiras semanas do ano de 2024. Cidades que compreendem a reião: Niterói, São Gonçalo, Maricá, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim.

Veja também

Ministério Público do estado, Secretaria de Polícia Civil e Delegacia de Homicídios também foram oficiados
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] em Rio Bonito e Silva Jardim Chefe de milícia é executado em quiosque no Recreio Estado do Rio tem quase 4500 casos dengue em 16 Maricá obtém na Justiça decisão contra a Enel Segurança morre esfaqueado por homem […]

trackback

[…] em Rio Bonito e Silva Jardim Chefe de milícia é executado em quiosque no Recreio Estado do Rio tem quase 4500 casos dengue em 16 Maricá obtém na Justiça decisão contra a Enel Segurança morre esfaqueado por homem […]

trackback

[…] em Rio Bonito e Silva Jardim Chefe de milícia é executado em quiosque no Recreio Estado do Rio tem quase 4500 casos dengue em 16 Maricá obtém na Justiça decisão contra a Enel Segurança morre esfaqueado por homem […]

Últimas Notícias