Presidente Bolsonaro pede a ministros ‘auxílio imediato’ às vítimas do temporal em Petrópolis

O presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu aos ministros da Economia, Paulo Guedes, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, “auxílio imediato” às vítimas das fortes chuvas que atingiram o município de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, na tarde desta terça-feira, 15. Até a última atualização desta reportagem, o número de mortes estava em 38.

“De Moscou tomei conhecimento sobre a tragédia que se abateu em Petrópolis/RJ. Fiz várias ligações para os Ministros @rogeriosmarinho e Paulo Guedes para auxílio imediato às vítimas, bem como conversei com o @DefesaGovBr General Braga Netto, que me acompanha na Rússia”, publicou no Twitter o presidente, que está em visita oficial à Rússia.Segundo Bolsonaro, ele também conversou com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL). “Retorno na próxima sexta-feira e, mesmo distante, continuamos empenhados em ajudar ao próximo. Deus conforte aos familiares das vítimas”, finalizou o chefe do Executivo, na mesma rede social.

Na manhã desta quarta-feira, 16, o governador do Rio, que está em Petrópolis desde a noite passada, escreveu, em publicação no Instagram, que a equipe do Estado está preparada e mobilizada para atender a população de Petrópolis. “Os maquinários da @seinfrarj e equipes do DER-RJ estão atuando na desobstrução de barreiras na subida da Serra. Nos locais de difícil acesso, os equipamentos do Inea e os reboques da concessionária Porto Seguro estão entrando para a reorganização dos bairros atingidos”, postou Castro.

O ministro Rogério Marinho afirmou, nesta manhã, que Bolsonaro chegará à cidade na sexta-feira. “Hora de solidariedade e ajuda as famílias impactadas pelas chuvas em Petrópolis RJ, nosso sec de defesa civil está se deslocando para o local hoje, ontem fui contactado pelo PR @jairbolsonaro da Rússia, que determinou mobilização de todos para ajudar. Sexta ele estará conosco no local”, tuitou o titular da pasta de Desenvolvimento Regional.

O vice-presidente Hamilton Mourão se manifestou sobre a tragédia pelo Twitter. “Meus sentimentos às famílias que perderam seus entes queridos durante as fortes chuvas na Região Serrana do RJ. O Governo Federal já se mobiliza para minimizar os danos causados pelos alagamentos, inundações e deslizamentos em Petrópolis”, publicou.

 

 

Crédito: Jornal O Dia

Prefeitura de Rio Bonito arrecada donativos para as vítimas das chuvas em Petrópolis

A prefeitura de Rio Bonito organizou uma campanha para arrecadar donativos que serão destinados às famílias que vêm sofrendo com os efeitos das chuvas que atingiram Petrópolis nesta terça-feira, dia 15. Itens de higiene pessoal, de limpeza, alimentos não perecíveis, cobertores, água potável e roupas, podem ser entregues em vários pontos de coletas espalhados pelo município, como na Secretaria de Assistência Social, nas Estratégias de Saúde da Família (ESF), nos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS), no Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS), no Ambulatório Municipal Manoel Loyola Filho, na Clínica da Família e no Ambulatório Municipal de Boa Esperança (Esperanção).

A administração municipal manifesta publicamente sua solidariedade por esta tragédia que vem afetando as famílias da cidade de Petrópolis. Segundo o prefeito Leandro Peixe, essa solidariedade vem acompanhada de gestos concretos com o objetivo de amenizar a dor e o sofrimento das vítimas da chuva nesta região do Estado. Esse trabalho, segundo ele, está sendo feito de forma integrada entre as secretarias municipais, com o objetivo de arrecadar os donativos que serão entregues às famílias atingidas, como galões de água, material de limpeza doméstica e material de higiene pessoal, como sabonete e creme dental, entre outros itens.

Locais de recebimento das doações:

• Secretaria de Assistência Social
• Estratégias de Saúde da Família (ESF) – Todos os ESFs
• Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) – Centro, Basílio e Parque Andrea
• Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS)
• Ambulatório Municipal Manoel Loyola Filho – Mangueirinha
• Clínica da Família – Praça Cruzeiro
• Ambulatório Municipal de Boa Esperança (Esperanção) – Boa Esperança

 

 

Crédito: Ascom RB

Número de pessoas desabrigadas por causa nas enchentes no Tocantins sobre para 340

O número de pessoas desabrigadas por conta das enchentes no Tocantins subiu para 340 na última segunda-feira (3). Segundo a Defesa Civil, já são 798 impactados entre desalojados, desabrigados, resgatados, retirados das casas ou afetados de alguma outra forma.

A situação mais grave é em São Miguel do Tocantins, na região do Bico do Papagaio. O município que fica às margens do rio Tocantins, na divisa com o Maranhão, tem 404 pessoas afetadas. Do total, 198 pessoas estão desabrigadas. No último domingo (3) eram 91.

Em todo o estado, 35 municípios afetados por cheias estão sendo monitorados.

Após recusa do governo federal, Argentina oferece ajuda direta à BA e governador diz que aceitará sem passar pela diplomacia brasileira

Após a recusa do governo Federal em receber ajuda humanitária da Argentina, o governador da Bahia, Rui Costa, anunciou, através das redes sociais, que o estado aceitará ajuda de forma direta, sem que o apoio precise passar pela diplomacia brasileira.

“A Argentina ofereceu ajuda humanitária às cidades afetadas pelas chuvas na Bahia, apesar da negativa do Governo Federal. Me dirijo a todos os países do mundo: a #Bahia aceitará diretamente, sem precisar passar pela diplomacia brasileira, qualquer tipo de ajuda neste momento”, disse o governador pelas redes sociais.

“Os baianos e brasileiros que moram aqui no estado precisam de todo tipo de ajuda. Estamos trabalhando muito, incansavelmente, para reconstruir as cidades e as casas destruídas, mas a soma de esforços acelera este processo, portanto é muito bem-vinda qualquer ajuda neste momento”, completou.

De acordo com o governo estadual, a Argentina ofereceu envio imediato de dez profissionais especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas de desastres. Antes da recusa do Itamaraty, o governador do estado chegou a fazer um pedido de autorização para a missão estrangeira. No entanto, o Ministério das Relações Exteriores recusou o apoio.

O g1 teve acesso com exclusividade ao documento do Ministério das Relações Exteriores que foi enviado à embaixada da Argentina que dispensa a ajuda oferecida. Em um trecho do documento, o governo federal afirma que os recursos pessoal e financeiro são suficientes, com reserva de R$ 200 milhões para enfrentar a emergência.

Nesta quinta-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro comentou a negativa. “Em contato com o Itamaraty, a Chancelaria Argentina ofereceu assistência de 10 homens (“capacetes brancos”) para trabalho de almoxarife e seleção de doações, montagem de barracas e assistência psicossocial à população afetada pelas enchentes na Bahia”, escreveu Bolsonaro nas redes sociais.

“O fraterno oferecimento argentino, porém muito caro para o Brasil, ocorre quando as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando aquele tipo de assistência à população afetada, inclusive com o apoio de 3 helicópteros da Marinha e Exército”

Segundo Bolsonaro, o auxílio da Argentina não é necessário no momento em que mais de 629 mil pessoas são afetadas pelas chuvas na Bahia, e 91.258 estão desabrigadas ou desalojadas. Ao todo, 136 cidades baianas estão em situação de emergência.

“A avaliação foi de que a ajuda argentina não seria necessária naquele momento, mas poderá ser acionada oportunamente, em caso de agravamento das condições. A resposta do Ministério das Relações Exteriores à Embaixada Argentina é clara a esse respeito”.

O presidente informou ainda que o governo federal está aberto a ajuda e doações internacionais.

“Ontem [quarta, 29], o Itamaraty aceitou doações da Agência de Cooperação do Japão (JICA): são barracas de acampamento, colchonetes, cobertores, lonas plásticas, galões plásticos e purificadores de água, que chegarão à Bahia por via aérea e/ou serão adquiridos no mercado brasileiro”.

 

Crédito: g1

 

Barney, cão que ajudou em resgates de Brumadinho, morre fazendo buscas em Santa Catarina

O cão Barney, que ficou conhecido após atuar no resgate de vítimas do desastre de Brumadinho, morreu no início da noite da última sexta-feira (3) enquanto participava de buscas por uma vítima desaparecida no município de Içara, em Santa Catarina. O anúncio do falecimento foi feito pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina.

De acordo com a instituição, o soldado BM Rangel, tutor de Barney, estava atuando na busca durante toda a sexta-feira. Ao farejar uma possível vítima, Barney entrou em um rio, submergiu e não retornou à superfície. Os bombeiros acreditam que o corpo do cão tenha ficado preso no leito do rio.

A corporação espera encontrar o corpo de Barney, que deve seguir para a cidade de São José, na grande Florianópolis, onde será cremado. Afirma, ainda, que acompanhará o caso e fornecerá apoio psicológico aos envolvidos.

Confira a nota completa: