Médica é encontrada morta dentro de banheiro de pronto-socorro em SP

Uma médica de 30 anos foi encontrada morta dentro de um banheiro do Pronto Socorro de Cubatão (SP), na madrugada desta segunda-feira (24). O caso é apurado pela Polícia Civil e será acompanhado pelo 3º DP da cidade.

O corpo de Ana Carolina Borges Gorga foi encontrado durante o plantão da profissional no Pronto Socorro Central de Cubatão. Equipes da Polícia Civil foram acionadas para atender o caso, que foi registrado como morte suspeita devido à falta de informações sobre o que pode ter levado a profissional a perder a vida.

Após a perícia, o caso foi registrado na Delegacia Sede de Cubatão, e depois encaminhado ao 3º DP, onde será investigado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), outros detalhes serão preservados para garantir autonomia ao trabalho policial.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Cubatão afirma que lamenta profundamente a morte da médica, e que, em respeito à família, não serão divulgadas informações pessoais ligadas ao caso.

A Secretaria de Saúde e a administração do PSC colaboram com a Polícia Civil para a investigação da causa da morte.

 

Crédito: G1

 

Deputado Filippe Poubel quer proibir banheiros unissex nas escolas públicas e privadas do RJ

A instalação de banheiros unissex em escolas das redes pública e privada poderá ser proibida no Estado do Rio de Janeiro. É o que defende o deputado Filippe Poubel (PSL) através do projeto de lei 5170/2021, em tramitação na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

O deputado considera fundamental que o “modismo da esquerda”, que vem ganhando espaço em estabelecimentos comerciais e escolas de samba, não chegue à rede de ensino estadual.

Na justificativa do projeto de lei, Filippe Poubel destaca que o principal objetivo é resguardar a individualidade, a privacidade e a segurança de alunos e professores das redes de ensino do Estado do Rio de Janeiro.

“É hipocrisia da esquerda pregar vagão exclusivo para mulheres nos trens e metrô, e agora querer banheiro unissex. Sou pai de gêmeas de 5 anos e não aceito que um menino use o mesmo banheiro que minhas filhas. Não vou aceitar”, afirma Filippe Poubel.

O deputado nega discriminação, homofobia ou transfobia, como alegam esquerdistas em relação aos parlamentares contrários aos banheiros multigênero.

“Deus fez o homem e a mulher, agora a esquerda quer criar gêneros. Parem de tentar acabar com a inocência de uma criança, de atentar contra a instituição família. Querem acabar com a família, é inaceitável. Estarei sempre lutando pelos bons costumes, pela família, pela segurança de nossas crianças e adolescentes”, conclui o deputado Filippe Poubel.

O projeto de lei 5170/2021 será analisado pelas comissões de Constituição e Justiça; Educação; Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso; e Orçamento.

 

 

Crédito: Juliana Oliveira