Julgamento de acusados pelas mortes de músico e catador em Guadalupe se inicia na Justiça Militar

Dois anos e meio depois da morte do músico Evaldo dos Santos Rosa e do catador de latinhas Luciano Macedo, a Justiça Militar começa o julgamento de 12 militares do Exército acusados pelas mortes. A equipe envolvida na ação deu mais de 257 tiros de fuzil contra o carro onde Evaldo estava com a família.

O caso aconteceu em abril de 2019, em Guadalupe, na Zona Norte do Rio. O músico seguia para um chá de bebê com a esposa, uma amiga dela, o sogro e o filho de apenas 7 anos. O veículo foi atingido por 62 disparos de fuzil e pistola. Luciano foi atingido ao tentar ajudar as vítimas.

Além das mortes, os militares são acusados de tentativas de homicídio contra os parentes de Evaldo que estavam no veículo e por não terem socorrido os feridos.

 

Fonte: BandNews

No Coelho em São Gonçalo, catador de recicláveis é encontrado morto.

Carlos Alberto de Souza, de 34 anos, catador de recicláveis, foi executado com um tiro na nuca na manhã desta sexta-feira (12), na Estrada do Coelho, no bairro de mesmo nome, em São Gonçalo.

Pai de quatro crianças, com o mais novo tendo apenas um ano e o mais velho dez, a vítima saiu de casa de bicicleta para vender o material recolhido no dia anterior. Ele prometeu voltar com pão e leite para o café da família.

“Ele saiu de casa para trabalhar e disse que retornaria às 10h com pão e leite para as crianças. Deu o horário e eu estava esperando ele chegar para tomarmos o café quando recebi a notícia. Éramos só nós dois e as crianças”, contou Elaine da Cunha, esposa da vítima, que também cata recicláveis e mora na região onde o caso aconteceu.

Na cena do crime, foram encontrados dois pinos de cocaína. A bicicleta de trabalho de Carlos estava a cerca de 50 metros de distância do corpo.

Apesar de conhecido na região, nenhuma testemunha foi encontrada para comentar o assassinato.

Carlos Alberto, que completaria 35 anos no dia 28 deste mês, teve o corpo periciado por agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG).

O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, em São Gonçalo. Agentes da DHNISG seguem investigando o caso e vão ouvir familiares para traçar a linha de investigação.

 

 

Fonte: osaogoncalo.com.br