Morto pelo jogador do Flamengo Ramon, estava trabalhando como entregador quando foi atropelado

O entregador de aplicativo Jonatas Davi dos Santos, de 30 anos, que morreu após ser atropelado por Ramon, lateral do Flamengo, no último sábado (4), na Barra da Tijuca, estava trabalhando no momento do acidente. O corpo de Jonatas Davi dos Santos, de 30 anos, será enterrado na manhã desta segunda-feira (6) no Cemitério Bongaba, em Magé, às 10h.

Em depoimento, Ramon afirmou que foi surpreendido pelo ciclista, que atravessou a pista no momento que ele estava passando. O jogador chamou o socorro e a vítima chegou a receber atendimento, mas não resistiu aos ferimentos e já chegou morto ao Hospital Lourenço Jorge.

Ramon procurou a Polícia Civil, prestou depoimento e foi liberado. O caso foi registrado como homicídio culposo provocado por atropelamento.

De acordo com a polícia, ele não apresentava sinais de embriaguez.

O acidente ocorreu na altura do número 10.500 da Avenida das Américas. Os bombeiros foram chamados às 20h35.

Em nota, Ramon afirmou que lamenta o ocorrido e colabora com as investigações e que busca forças para auxiliar, em tudo o que for necessário, a família da vítima.

De acordo com o ge, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim lamentou o ocorrido.

“Claro que a gente fica muito triste. Não sabemos nem em que condições ou o que aconteceu, pelas poucas informações. É um atleta exemplar, com comportamento exemplar. Em situações como essa, é óbvio que vamos prestar todo apoio”, disse.

Crédito: g1.globo.com

Ciclistas sobem a Serra neste domingo para GP das Montanhas Rota 116

Em sua quinta edição, o tradicional GP das Montanhas Rota 116 reúne neste domingo, dia 28, a partir das 9 horas, ciclistas de todo o Estado do Rio para a prova que terá 26 quilômetros de pedalada, sendo que 21 deles, de subida. A prova que exige muito esforço, reúne atletas de 18 a 70 anos, e entre eles estará a campeã brasileira da categoria Master B, Paula de Campos. O GP das Montanhas Rota 116 vale como pontuação para o ranking estadual de ciclismo.

Com largada no quilômetro 39 da RJ 116, em frente a Vila Olímpica de Cachoeiras de Macacu, a prova com cerca de 200 atletas inscritos, tem como ponto final o quilômetro 65, em Theodoro de Oliveira, a 1089 metros de altitude. Em 2019, quando aconteceu a última prova, o primeiro atleta a cruzar a linha de chegada fez o percurso em 55 minutos e 31 segundos.

Organizador da competição, Orlando Miele destaca que o GP das Montanhas, Rota 116 é uma das provas mais requisitadas do calendário nacional devido a exuberância das belezas naturais por onde os atletas passam, mas também pela infraestrutura fornecida pela Concessionária Rota 116, patrocinadora da competição.

“Poucas provas no Brasil têm essa estrutura, a Concessionária Rota 116 isola toda a faixa da direita da rodovia para os competidores e temos 21 quilômetros de pista segregada com cones o que dá muito conforto para os atletas. Além disso, viaturas ficam disponibilizadas em pontos estratégicos com o objetivo de orientar e prevenir qualquer incidente”, destaca Miele.

Para Edyano Bittencourt, superintendente geral da Rota 116, a prova de domingo já faz parte do calendário de eventos da Concessionária que busca sempre apoiar programas que estejam em sintonia com os princípios da Rota 116. “Esta é a quinta edição do GP das Montanhas Rota 116 e temos muito orgulho em dar total apoio à sua realização. A nossa rodovia corta o Parque Estadual dos Três Picos, e procuramos estar em sintonia com iniciativas que tenham um viés voltado para o esporte e a preservação do meio ambiente”, destaca ele.

Protocolos

A realização da edição 2021 do GP das Montanhas Rota 116 só foi possível devido a flexibilização das medidas de enfrentamento da Covid-19 por parte das prefeituras de Cachoeiras de Macacu e de Nova Friburgo e todos os protocolos de enfrentamento à pandemia estão sendo respeitados. Também é exigido o comprovante de vacinação de todos os atletas. “Essa prova não pode acontecer no ano passado, mas agora, com o controle da pandemia em nossa região conseguimos, respeitando todos os protocolos sanitários, realizá-la”, destaca Miele.

 

Crédito: Vinícius Martins